ASSINE: (14) 3104-3144  |  ATENDIMENTO JC  |  BUSCA  |  NEWSLETTER  |  EDIÇÃO DIGITAL  |  SEGUNDA-FEIRA
JCNet.com.br
Bauru e grande região -
máx. 34° / min. 24°
Carregando
Política
Economia
Geral
Polícia
Bairros
Esportes
Regional
Cultura
Nacional
Internacional
Eleições 2014
Classificados
Agendinha
Cinema
Bauru Pocket
Tribuna do Leitor
Entrelinhas
Tá Valendo
Em Confiança
Horóscopo
Falecimentos
JC na escola
Loterias
Atendimento JC
No JC
Nacional

Dilma anuncia novo pacote de medidas para combater seca no Nordeste

Compartilhar via Facebook
Compartilhar via Google+
Reprodução
Dilma Rousseff anuncia R$ 1,4 bilhão para combater seca no Nordeste

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira (2) um pacote de R$ 1,4 bilhão com medidas para combater os efeitos da seca no Nordeste. Neste segundo bloco de medidas -o primeiro foi anunciado há um ano- há prorrogação do pagamento de dívidas dos agricultores, manutenção da Bolsa Estiagem até o fim da seca, aumento do número de carros-pipa e construção de mais cisternas, dentre outras ações.

O governo federal afirma que já gastou cerca de R$ 7,6 bilhões no combate de uma das piores secas dos últimos 40 anos na região. Com as novas medidas, totalizará R$ 9 bilhões.

Cerca de 10 milhões de pessoas em 1.415 municípios nordestinos estão sendo atingidas pela estiagem que, em algumas localidades, começou no final de 2011.

No mês passado, a presidente disse que o governo está investindo um total de R$ 30 bilhões para tentar ampliar a oferta de água no Nordeste até 2014, em uma conta que inclui obras estruturantes, como barragens, adutoras, canais, estações de tratamento e redes de abastecimento, além do programa Água para Todos.

No início de seu discurso desta terça-feira, Dilma afirmou que o governo foi bem-sucedido em atenuar os efeitos da seca na população afetada, mas que o foco agora é enfrentar problemas com a produção.

"Se podemos dizer que atingimos o objetivo de proteger a população dos aspectos mais perversos da seca, devemos constatar que o desafio de enfrentar os efeitos da seca na esfera produtiva persistem", disse.

Os benefícios foram anunciados em reunião do conselho da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste), em Fortaleza, na presença de governadores do Nordeste e outros políticos da região. Antes do evento, os governadores realizaram um encontro sem a presidente para discutir as reivindicações que seriam apresentadas ao governo federal.

Os que chegaram mais cedo a essa reunião foram o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), potencial adversário de Dilma na disputa pela Presidência em 2014.

Uma das principais pautas dos governadores é a simplificação no envio de recursos para os cofres estaduais, permitindo que obras emperradas pela burocracia saiam do papel.

Sobre essa questão, a presidente anunciou que fará repasses diretos aos cofres dos Estados e que, logo após a licitação das obras, já serão transferidos 30% dos recursos para agilizar o andamento.

Dilma também afirmou que está sendo aplicado nessas obras o RDC (Regime Diferenciado de Contratação), nova modalidade de licitação criada justamente para agilizar o trâmite. Em relação à situação dos agricultores, Dilma afirmou que irá prorrogar o pagamento das dívidas de crédito rural contratado entre 2012 e 2014 por dez anos, com início do pagamento em 2016 para os agricultores familiares.

Essa era a principal demanda dos agricultores. Na semana passada, Eduardo Campos passou a defender essa bandeira, pedindo a "anistia" das dívidas.

Além disso, Dilma anunciou redução de dívidas em caso de liquidação de crédito rural contratado até 2006 e um novo aporte de R$ 350 milhões para a oferta desse crédito, totalizando agora R$ 3,1 bilhões em crédito rural.

Haverá ampliação e manutenção da Bolsa Estiagem (R$ 80 por família), que foi novamente prorrogado. Agora irá durar até o fim do período de seca e vai incorporar 361 mil novos beneficiários. O pagamento do Garantia-Safra (destinado a agricultores que fizeram seguro ao contrair empréstimo do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultora Familiar) também será mantido enquanto durar a seca.

O governo federal anunciou ainda o aumento na oferta de carros-pipa (de 4.746 para 6.170), construção de mais cisternas (240 mil para consumo humano até o fim deste ano) e distribuição de 340 mil toneladas de milho para os meses de abril e maio.

Na tarde desta terça-feira, a presidente se reúne com prefeitos do Ceará para cerimônia de entrega de equipamentos rurais, também com o objetivo de auxiliar a agricultura e combater os efeitos da seca.





publicidade


Projeto Cidade Promoções e Eventos
(SF) © Copyright 2014 Jornal da Cidade - Todos os direitos reservados - Atendimento (14) 3104-3104 - Bauru/SP