ASSINE: (14) 3104-3144  |  ATENDIMENTO JC  |  BUSCA  |  NEWSLETTER  |  EDIÇÃO DIGITAL  |  SEGUNDA-FEIRA
JCNet.com.br
Bauru e grande região -
máx. 34° / min. 20°
Carregando
Política
Economia
Geral
Polícia
Bairros
Esportes
Regional
Cultura
Nacional
Internacional
Eleições 2014
Classificados
Agendinha
Cinema
Bauru Pocket
Tribuna do Leitor
Entrelinhas
Tá Valendo
Em Confiança
Horóscopo
Falecimentos
JC na escola
Loterias
Atendimento JC
No JC
Regional

Homem espanca cão até a morte

Porteiro confessa na delegacia de Lins que maltratou poodle e vai responder por praticar ato de abuso a animais

Compartilhar via Facebook
Compartilhar via Google+

Lins – Um porteiro de 48 anos, morador do bairro Labate, confessou ter espancado um cachorro da raça poodle até a morte, na manhã da última terça-feira, em Lins (102 quilômetros de Bauru). Encaminhado à delegacia, ele foi ouvido e liberado para responder pelo crime em liberdade. A dona do cão, que mora no jardim Morumbi e pediu para que o seu nome não fosse divulgado, espera que o acusado seja punido.

 
De acordo com ela, seu cachorro era macho e tinha 11 anos de idade. A mulher conta que, no domingo à tarde, ele saiu de casa para fazer suas necessidades, como fazia todos os dias, mas não voltou. Desesperada, na segunda-feira de manhã, ela procurou uma emissora de rádio da cidade para anunciar o desaparecimento do animal de estimação. “Na terça-feira de manhã, fizeram uma ligação anônima falando onde o cachorro estava e que a pessoa judiava do cachorro”, diz.
 
Após receber a notícia, o marido dela foi até o endereço informado pelo denunciante, na rua Noroara, com a fotografia do cachorro. “A vizinhança disse que era nosso cachorro mesmo e que o homem tinha maltratado ele a noite inteira e, de manhã, também tinha batido no cachorro”, declara. Quando o porteiro J.D.D.R.J. chegou em casa, a Polícia Militar (PM) foi chamada e ele acabou confessando que havia matado o animal.
 
A dona do poodle acredita que o acusado tenha achado o cão na rua e o levado para casa. “Ele disse que ficou nervoso porque o cachorro não cruzou com a cachorra dele e chutou ele até matar na terça-feira de manhã”, diz. “Ele confirmou que matou, botou em um saco de lixo e o lixeiro passou e levou. Eu esperava que ele ficasse preso mas, infelizmente, disseram que só prendem se aparecesse o cachorro morto”.
 
O caso foi registrado no 1º Distrito Policial (DP) de Lins como “Praticar Ato de Abuso a Animais”. Ontem, a reportagem tentou conversar com o delegado responsável pela unidade, André Ricardo Hauy, mas foi informada de que ele só estaria no local hoje pela manhã. O acusado não foi localizado pela reportagem para falar sobre o assunto.
 




publicidade


Projeto Cidade Promoções e Eventos
(SF) © Copyright 2014 Jornal da Cidade - Todos os direitos reservados - Atendimento (14) 3104-3104 - Bauru/SP