Bauru e grande região

Auto Mercado

Traje de passeio

Fiat aposta na imagem esportiva do Cronos HGT para valorizar a gama do sedã compacto

por Eduardo Rocha

27/11/2019 - 03h31

Fotos: Divulgação

O Fiat Cronos é um sedã novo, tecnológico e tem um motor bem forte para seu peso e tamanho. Na configuração HGT, que é uma versão de imagem, ele traz quase todas os recursos disponíveis na linha

Já há algum tempo, a Fiat decidiu parar de correr atrás de volumes para se concentrar na rentabilidade. E o sedã compacto Cronos é um exemplo de como esta estratégia pode funcionar bem. A versão mais em conta do modelo é o Cronos 1.3, que custa a partir de R$ 58.990, sem opcionais. Mesmo assim, vem emplacando quase 2 mil unidades mensais. Não é tanto quanto a Fiat esperava quando lançou o modelo em fevereiro do ano passado, mas também não ficou tão distante. Seja como for, a estratégia de menos e melhores carros recebeu um reforço com a chegada da versão HGT.

O modelo de visual esportivo é bem completo, tem um visual sofisticado e não é nada barato. Começa em nada menos que R$ 78.490 e pode chegar a R$ 86.490, caso da versão testada. É o que se costuma chamar de carro de imagem, que normalmente não representa mais do que 5% das vendas da gama, mas empresta prestígio a toda a linha. Para cumprir a função, o Cronos HGT aparece com a motorização mais forte da linha. Trata-se do ETorQ 1.8 16V de 139 cv, gerenciado por um câmbio automático de seis marchas. É o mesmo usado pela Jeep no Renegade e pelas versões de entrada da picape Toro. Com este conjunto, o Cronos faz de zero a 100 km/h em 9,9 segundos com etanol e em 10,8 s com gasolina. A máxima fica em 196 e 195 km/h.

O recheio também é bem caprichado. O Cronos traz de série ar-condicionado digital automático, direção elétrica, alarme, trio elétricos, sistema multimídia com tela "touch" de 7 polegadas, chave com telecomando, computador de bordo, volante multifuncional, display TFT de 7 polegadas no painel de instrumentos, sistema de monitoramento da pressão dos pneus, controle de tração e de estabilidade, hill holder, rodas de liga leve pintadas de preto aro 17 com pneus 205/50, spoiler na tampa traseira, ajuste de altura do banco do motorista, cintos de segurança de três pontos e apoio de cabeça para todos os ocupantes e volante regulável em altura e profundidade, emblemas e frisos externos em preto. Como opcionais, a versão traz bancos em couro sintético, espelhos rebatíveis eletricamente, sensores de luz e chuva, chave presencial para trava e ignição, botão de partida, câmara de ré, teto em preto e airbags laterais.

Ponto a ponto

Divulgação

Cronos HGT aparece com a motorização mais forte da linha; trata-se do ETorQ 1.8 16V de 139 cv

Desempenho – O Fiat Cronos HGT se movimenta com uma boa agilidade, mas nada que o classifique verdadeiramente de esportivo. Arrancadas, retomadas e ultrapassagens são feitas de forma rápida, mas o modelo é anestesiado pelo câmbio automático. É preciso elevar os giros para se alcançar a faixa de torque máximo de 19,3 kgfm, que só chega ao 3.750 rpm, para então o motor 1.8 de 139 cv desenvolver e mostrar alguma elasticidade. Nota 8.

Estabilidade – A suspensão do Cronos costuma buscar um equilíbrio entre estabilidade e conforto, mas como a versão HGT tem uma pegada esportiva e traz rodas maiores com pneus de perfil menor, a dinâmica muda um pouco. Por conta dessa troca de rodas e pneus, aumentou o vão livre para o solo, ainda assim o Cronos consegue contornar bem as curvas e a rolagem lateral é bem administrável. A direção é bem comunicativa e o motorista tem sabe sempre onde as rodas estão. O modelo conta com um controle eletrônico de estabilidade que dificilmente entra em ação. Nota 8.

Interatividade – O Cronos tem recursos bem funcionais. principalmente considerando-se a faixa de preço em que atua. Entre os instrumentos, há uma tela de TFT de 7 polegadas com informações do computador de bordo. Para controlar o sistema multimídia, a melhor opção é o sistema “touch” da tela de 7 polegadas situada no console central, semelhante a um tablet. O acesso de comando vocal é meio irritante, pois não costuma ouvir direito o que é falado. O sistema multimídia controla sistema de som e os recursos de smartphones Android e iPhone. O volante multifuncional traz botões para navegar pelas funções do carro. Todos os botões ficam nos lugares lógicos. A chave presencial opcional para travas e ignição é muito prática. Nota 9.

Consumo –O motor 1.8 do Cronos não é exatamente econômico. E a coisa piora com o câmbio automático de seis marchas. Segundo o InMetro, com esta motorização o sedã compacto da Fiat cumpre médias de 7,2/9,6 km/l com etanol no tanque na cidade/estrada e 10,3/13,3 km/l com gasolina, nas mesmas condições. No geral, o modelo recebeu nota C, com índice D na categoria. Nota 5.

Conforto – Embora o conjunto rodas/pneus torne a rodagem mais rígida, a suspensão consegue filtrar boa parte das imperfeições do pavimento. Bancos têm boa ergonomia e sustentam bem o corpo. O isolamento acústico é dos melhores na categoria. Nota 8.

Tecnologia – O Cronos usa uma estrutura moderna, que utiliza aços especiais e tem uma plataforma tecnológica bem atualizada, que aceita recursos de auxílio dinâmico, como controle de tração e estabilidade, e conectividade com smartphones e tela de alta definição. O problema aqui é o motor, que vem sendo modernizado, mas usa uma base dos anos 1990. Essa questão só vai se resolver mesmo quando a Fiat lançar o motor Firefly turbo, já bem difundido nos modelos da FCA na Europa. Nota 7.

Habitabilidade – Por fora, o Cronos não está entre os maiores sedãs compactos, mas internamente o espaço é surpreendentemente bom. Os ocupantes encontram espaço para pernas e cabeça no banco traseiro, onde quatro passageiros viajam bem. O porta-malas com capacidade de 525 litros é bem suficiente para o uso familiar. Nota 8.

Acabamento – A Fiat está ganhando tradição em acabamento nos últimos tempos, Mesmo as superfícies com materiais rígidos têm textura agradável e são atraentes. O modelo testado trazia bancos revestidos em couro ecológico opcional. A versão HGT recebe um volante em couro com o emblema da Fiat em preto. Nota 8.

Design – As linhas do Cronos misturam elementos orgânicos, que dão musculatura, com outros geométricos, como no contorno das rodas e nos para-choques. O resultado é um desenho dinâmico e equilibrado. No caso da versão HGT, chamam a atenção os detalhes em preto, como acontece com os emblemas, o spoiler e o teto. Todas as intervenções feitas pelo departamento de estilos da Fiat foram elegantes e bem dosadas. As rodas pintadas em preto brilhante também são bonitas, mas seus raios abertos deixam à mostra os freios traseiros a tambor, o que rebaixa a imagem esportiva do modelo. Esse detalhe, o entanto, não chega a prejudicar o conjunto. Nota 9.

Custo/benefício – O Fiat Cronos é um sedã novo, tecnológico e tem um motor bem forte para seu peso e tamanho. Na configuração HGT, que é uma versão de imagem, ele traz quase todas os recursos disponíveis na linha, mas cobra bem por isso: R$ 78.490. O modelo testado, recheado com todos os opcionais, custava ainda mais: R$ 86.490. Está nivelado com as versões de topo da maioria dos modelos rivais, mas ficou caro depois da chegada do novo Onix Plus. Nota 6.

Total – O Fiat Cronos HGT somou 75 pontos em 100 possíveis.

Ler matéria completa