Bauru e grande região

Auto Mercado

Recapado, remold ou recauchutado?

Veja as diferenças e, na hora da escolha, tome todos os cuidados necessários

19/02/2020 - 03h39

Pixabay

Na troca de pneu, não esqueça: verifique a procedência do produto

Muitas vezes, na hora de trocar os pneus do veículo, vem a dúvida: o que comprar? Pneu recapado, remold ou recauchutado? Pode parecer algo simples, mas uma peça que é fundamental para o veículo requer toda a atenção possível. Então, antes de tomar sua decisão, é preciso analisar diversos fatores, que vão muito além do preço. E lembre-se: a escolha dos pneus, combinada com as ações que você pode fazer para aumentar sua durabilidade, é determinante no que diz respeito à segurança de quem anda no veículo.

Pneu recauchutado

Este tipo de produto costuma ser muito utilizado em veículos pesados, como ônibus, caminhões e também aviões. O seu processo de reconstrução se dá por meio da substituição da borracha da banda de rodagem que, por se tratar de um pneu usado, apresenta certo desgaste. Para isso, o fabricante cobre tanto a banda de rodagem quanto os ombros da carcaça com camelback.

Após a realização desse procedimento, o pneu é levado a um molde, onde é aquecido a uma temperatura que gira em torno dos 150ºC. Este é o processo à quente, no qual o camelback tem seu desenho formado.

Pneu recapado

A utilização do pneu recapado pode ser feita apenas por veículos cuja função é transportar carga, como caminhões. O seu processo de fabricação de assemelha ao do pneu recauchutado, porém, neste caso, somente a borracha da banda de rodagem é substituída, sem que haja alteração no ombro da carcaça.

Outra diferença para o pneu recauchutado é que para construir um pneu recapado, é possível realizar tanto o processo à frio quanto à quente. Se a recapagem for realizada à frio, utiliza-se uma banda de rodagem pré-moldada, que já é aplicada na carcaça.

Caso seja à quente, a banda de rodagem é encaixada no pneu por meio da aplicação de camelback e aquecida à temperatura de cerca de 150ºC.

Pneu remold

É o que mais passa pelo maior processo de transformação, pois a sua fabricação é feita a partir de uma reestruturação completa. Além da substituição das bandas de rodagem, as laterais e superfícies também são modificadas. O fato de passar por uma reestruturação completa pode tornar o pneu mais confiável e resistente.

No entanto, essa manufatura a mais que o pneu remold recebe, faz com que as suas informações originais de fabricação sejam perdidas. Isso significa que não é possível ver, por exemplo, em qual ano o pneu original foi produzido, bem como qual foi seu fabricante.

Fique atento!

Optou por pneu recauchutado, remold ou qualquer outro tipo? Não importa. O que importa mesmo é que você tome os cuidados necessários. Afinal, estamos falando de uma peça que está não apenas relacionada ao desempenho e à dirigibilidade do carro, como à segurança de todos que andam no automóvel.

Em primeiro lugar, verifique a procedência do produto que você deseja adquirir. É preciso que o fabricante seja confiável e siga todas as normas necessárias. Então, veja se o pneu possui a certificação de qualidade do INMETRO.

Não se esqueça também de verificar se o modelo é mesmo o correto para a roda e o automóvel. No manual do proprietário do carro, você pode encontrar as informações que dizem respeito à largura, relação de aspecto, diâmetro da roda e capacidade de carga, por exemplo. É importante seguir as recomendações, pois o pneu errado afeta no desempenho e na segurança do veículo.

Além dos cuidados no momento da compra, é necessário preocupar-se com a preservação do pneu. Isso significa tomar precauções na direção, para que o desgaste seja menor, por exemplo. Saber como calibrar os pneus do seu carro faz toda a diferença, pois, dessa forma, você não apenas evita que surjam problemas como ainda economiza combustível.

Ler matéria completa