Bauru e grande região - Sexta-feira, 18 de janeiro de 2019
máx. 33° / min. 23°
28/01/00 00:00 -

Basquete

Basquete

Wagner Teodoro


Tilibra é Campeão Paulista


Texto: Wagner Teodoro


O Tilibra-Copimax bateu o Marathon/Franca, por 91 a 82 (40
a 33), ontem à noite, no Ginásio do Noroeste, e
conquistou, pela primeira vez na história, o título
do Campeonato Paulista de Basquete Masculino.

Com o ginásio lotado e um grande apoio da empolgada
torcida, o Tilibra foi mais determinado e fechou a série
melhor-de-cinco, em 3 vitórias a 1. A conquista também
é a primeira de Guerrinha na condição de
técnico. Do lado de Franca, Hélio Rubens, que vai
para o Vasco e dirigiu o Marathon pela última vez, despede-se
da equipe com um vice-campeonato.


Tilibra e Marathon fizeram um primeiro tempo com muitos erros
no ataque. O time francano, que jogava com a obrigação
de vencer para provocar o quinto jogo, não se acertou em
quadra. A equipe bauruense só ficou em desvantagem por
alguns segundos, quando Chuí marcou os dois primeiros pontos
do jogo. Logo em seguida, Brasília fez duas cestas, virou
o placar e só deu Tilibra-Copimax.


O time de Bauru, com excelente movimentação
no ataque, tornava quase impossível a marcação
de Franca, que só conseguia parar o Tilibra com faltas.
Apesar de se portar bem taticamente em quadra, a equipe comandado
por Guerrinha não conseguiu concluir com precisão
as jogadas nesta etapa.


O jogo seguiu sempre com os bauruenses na frente, porém,
sem conseguirem ampliar a vantagem. Faltando 5'48", Franca
encostou no placar: 32 a 31. Em um erro de Patterson no ataque,
o Marathon teve a chance de virar o marcador. Porém, tropeçou
em suas próprias falhas ofensivas e desperdiçou
o ataque. O Tilibra se aproveitou e, em dois contragolpes abriu
seis pontos. Nem mesmo as broncas de Hélio Rubens puseram
o Marathon de volta na partida e o Tilibra fechou o primeiro tempo
em 40 a 33.


No segunda etapa, o Tilibra voltou mais solto e com a mão
calibrada. Os experientes Patterson e Maury comandavam a equipe
em quadra. Com agressiva marcação individual, a
equipe bauruense dificultava as ações ofensivas
do adversário. O time francano não conseguia diminuir
a diferença.


A medida que os erros do Marathon se sucediam, a pressão
da torcida se tornava maior e o Tilibra tomava completamente o
controle da partida. Na metade da etapa, os bauruenses, jogando
com extrema consciência, valorizando a posse de bola e contando
com Evans, cestinha da partida, em uma noite inspirada, abriram
14 pontos de vantagem: 61 a 47.


O Franca, abatido em quadra e correndo contra o tempo, não
conseguiu mais tirar a diferença. Nos momentos finais,
o Marathon teve que recorrer às faltas para ganhar tempo.
O Tilibra, com grande aproveitamento, no lances livres garantiu
a vitória e o histórico título para Bauru.
Final: 91 a 82.


"É uma coisa muito gratificante chegar a uma cidade
como Bauru, que nunca teve um time competitivo, e poder dar esse
presente para os torcedores. A gente sente o apoio deles nas ruas",
disse o ala Vanderlei. Já o armador Raul lembrou a superação
do time. "Tivemos problemas de contusão durante o
campeonato. Os jogadores que entraram deram conta do recado. Na
final, enfrentamos uma equipe de tradição, fizemos
o máximo e vencemos", comemorou.


O presidente do Tilibra-Copimax destacou o trabalho desenvolvido.
"Uma trajetória brilhante. Uma ascensão rápida,
fruto de muito trabalho. Um trabalho consciente, que sempre buscou
formar uma equipe de ponta, que trouxesse retorno em todos os
sentidos. Agora, vamos entrar no Campeonato Brasileiro buscando
manter nossa posição de força do basquete
nacional", concluiu.


Tilibra-Copimax: Patterson
(19), Maury (10), Evans (22), Michel (9), Gema (14), Brasília
(15), Vanderlei (2) e Raul.


Marathon/Franca: Chuí
(15), Valtinho (13), Douglas (14), Jaja (8), Edu (13), Jorginho
(10), Márcio (6) e Matheus (3).


Em meio à empolgante festa pela comemoração
do título de campeão paulista de basquete, o treinador
Jorge Guerra, o Guerrinha, do Tilibra-Copimax, mostrou seriedade
e deu grande importância para a filosofia que está
sendo implantada no clube. "O título coroou nosso
trabalho, que foi desenvolvido com bastante transparência
durante toda a competição, mas devemos ressaltar
que o mais importante é que estamos conseguindo implantar
uma filosofia que já está dando certo", avaliou.


Desde agosto de 98 em Bauru, o técnico, três vezes
vice-campeão (Paulista de 97 e Brasileiro de 98, pelo Ribeirão/COC
e Sul-Americano, pelo Tilibra-Copimax, em 99), conquistou o seu
primeiro título na carreira de treinador, iniciada em 1997.
"Esta conquista é muito importante para mim, que tenho
uma carreira curta, mas que começou de forma muito intensa",
comemorou.


O armador e capitão Maury, que levantou a taça de
campeão, conquistou o título paulista pela sétima
vez. "Todos as conquistas foram muito importantes na minha
carreira, mas esta é diferente por ser um título
que entra para a história da cidade", lembrou. Maury,
que também é dentista em Bauru, é o jogador
mais antigo do elenco do Tilibra-Copimax. O armador chegou na
cidade em 1997, para a disputa do Paulista pela Luso-Brasileira,
no primeiro ano do time de Bauru na 1ª divisão. "Acreditei
no trabalho desde o início", ressaltou.


O ala Evans, cestinha do jogo de ontem, lembrou da importância
da torcida nesta conquista. "Nós jogamos bem em todo
o campeonato e a torcida também ajudou muito", disse
o jogador. Ontem, mais de 3 mil torcedores lotaram o ginásio
do Noroeste. A festa pela inédita conquista começou
nas arquibancadas e ganhou as ruas da cidade.


Sem muito tempo para comemorar, a equipe bauruense já começa
a pensar no Campeonato Nacional, que começa domingo, contra
o Botafogo, em Bauru. Mas para não dispersar, o agora campeão
Guerrinha avisa: "Vamos entrar para o jogo de domingo como
se fosse o quinto jogo do playoff".





publicidade
Projeto Cidade Promoções e Eventos
(SF) © Copyright 2019 Jornal da Cidade - Todos os direitos reservados - Atendimento (14) 3104-3104 - Bauru/SP