Bauru e grande região - Terça-feira, 26 de setembro de 2017
máx. 34° / min. 17°
10/09/17 07:00 - Tribuna do Leitor

Sabe o que significa governo grátis?

Kleber R. Moni

Significa excesso de Estado e nenhuma motivação ao empreendedorismo. Significa proselitismo, niilismo, ilusão... Foi isso o que fez o governo do PT ao longo dos quatorze anos em que ficou no poder central. Levou o Brasil ao mais baixo nível de educação, saúde, segurança pública e incentivo à geração de riquezas, algo tão necessário em nosso país. Também não esqueçamos que levou a corrupção a um novo patamar.

Em alguns ambientes acadêmicos que ainda não foram ideologizados, vejo muitas pessoas engajadas, com uma visão diferente de mundo, pessoas que enxergam no empreendedorismo a geração de riquezas, de emprego e renda, de divisas para o país, ao mesmo tempo que promove o desenvolvimento e justiça social.

Pessoas que querem empreender, criar, gerar riqueza, criar empregos, enfim, querem inovar, prosperar sem alguém inventando mais burocracia, afinal o Estado paternalista inventa a burocracia, criando dificuldades para depois vender facilidades. É isso que faz um governo socialista que não preza pela livre concorrência, pelo livre mercado. Desejam mais Estado, mas quanto mais Estado, mais corrupção. Temos tantas estatais como exemplo, infelizmente.

O objetivo do estado é cumprir com as funções precípuas do "Estado", e não ser empresário. As privatizações/estatizações se fazem necessárias para o Brasil sair da lama em que está e começar a de fato se desenvolver. Está na hora de deixarmos de lado o discurso de "estatais tesouros nacionais", ou "o petróleo é nosso", ou mesmo "casa da moeda, soberania nacional".

Está na hora de abrir a concorrência para melhorar a vida do cidadão brasileiro que trabalha e produz riquezas, e hoje, infelizmente paga o alto custo que a corrupção petista trouxe ao país.

Com leis e regulamentação forte e coerente aliada a ética, as privatizações/estatizações podem beneficiar muito o povo brasileiro através da livre concorrência, além de economizar o dinheiro do pagador de impostos com a folha de pagamentos destas estatais que consomem muitos recursos financeiros que poderiam estar sendo empregados em áreas estratégicas como saúde, educação e segurança.

Que o Brasil consiga dar este passo para o desenvolvimento, deixando para trás o "lindo discurso" nacional-desenvolvimentista que não nos levaram a lugar algum. Que consigamos entrar de fato na era do desenvolvimento e do livre mercado com menos estado e mais geração de riquezas por quem de fato sabe empreender com as melhores práticas, ou seja, a iniciativa privada.

Que o estado diminua seu tamanho e pare de onerar o cidadão trabalhador que produz e carrega uma das maiores cargas tributarias do planeta nas costas. Que o país pense mais em educação e menos em socialismo. Que não tenhamos mais professores deixando de lado a matéria para fazer discursos políticos dentro das salas de aula e que eduquem os jovens para geração de riquezas, pois é o que nosso país realmente necessita.





publicidade
As Mais Compartilhadas no Face
Projeto Cidade Promoções e Eventos
(SF) © Copyright 2017 Jornal da Cidade - Todos os direitos reservados - Atendimento (14) 3104-3104 - Bauru/SP