Bauru e grande região - Segunda-feira, 10 de dezembro de 2018
máx. 31° / min. 16°
06/12/18 07:00 - Tribuna do Leitor

Crescimento da informalidade aumenta déficit da previdência

Fabrício Genaro

O Brasil conta hoje, segundo dados do IBGE, com 37,3 milhões de pessoas trabalhando sem carteira assinada, ou seja, 40,8% da população ativa está na informalidade. A informação foi divulgada um dia após o novo governo anunciar o fim do Ministério do Trabalho.

Crise e desemprego fazem o trabalho informal crescer. A previdência social não precisa de reformas. Nosso regime tem caráter contributivo, fundamentado no princípio da solidariedade, portanto, se não houver uma política agressiva de combate ao desemprego e na geração de renda de nada adiantará a não ser fomentar um regime complementar por meio de capitalização e dessa forma alimentar o maior parasitário do sistema capitalista; o sistema bancário.

Se a informalidade não for combatida, no tempo o déficit da previdência tenderá a aumentar.

Mais de 37 milhões de brasileiros na informalidade somado aos 13 milhões que se encontram desempregados parecem não incomodar o novo governo que anuncia com orgulho a extinção do Ministério do Trabalho, um órgão criado a 88 anos para assegurar um mínimo de proteção ao trabalhador. Governo que entra em consonância com o que sai. Aprovaram a terceirização irrestrita, a reforma trabalhista e agora extinguem o Ministério do Trabalho.

 





publicidade
Projeto Cidade Promoções e Eventos
(SF) © Copyright 2018 Jornal da Cidade - Todos os direitos reservados - Atendimento (14) 3104-3104 - Bauru/SP