Bauru e grande região - Terça-feira, 23 de julho de 2019
máx. 29° / min. 15°
12/07/19 07:00 - Tribuna do Leitor

O último passeio

Bruno E. Sanches

Desde fevereiro, nem sempre eu estava lá. Mas, quando eu estava, ela pedia pra mim. Onze anos se passaram, em que eu via algo diferente no olhar: algo profundo, ininterrupto, ansiedade sem tamanho. Então, vinha a pergunta: "vamos passear?", seguida de pulos de alegria, coleira e vamos lá.

Ela estava mancando da pata traseira há duas semanas. Mesmo assim, ela não abria mão do passeio. "Viu, Maira, reformaram a quadra!". E ela olhava pra mim e talvez pensasse: "Ih, você tá atrasado, já faz uns dias que terminaram a reforma".

Tudo bonito, tem academia ao ar livre e balanço para as crianças, bem diferente das nossas épocas de passeio diário, em que o mato e as saúvas prevaleciam por lá.

O tempo mudou, o clima está mais frio, as passadas dela bem mais contidas do que anos atrás, quando ela me puxava para onde quer que fosse. O caminho havia ficado mais curto.

À vontade? Não. Um xixi aqui, um cocô ali, cisca na pouca grama que agora existe. Satisfeita? Como sempre. Dá um tchau pra Priscila, sua vizinha poodle!

Entramos. Tiro a coleira, dou seu osso de presente. Esse minipasseio era a sua alegria do dia. Pensando bem, a nossa. De quinze a vinte minutos do dia, o tempo era nosso. Todo e qualquer passeio, a partir de agora, vai ser um pouco vazio, repleto de saudade.

Você vai fazer falta pra sua mãe, e pra mim também. E fica aquela gratidão imensurável, por toda a alegria que nos proporcionou.

Mas, aí no céu dos animais, livre de qualquer amarra, seus passeios serão muito bons, tenho certeza.

Obrigado por tudo, Maira.





publicidade
(SF) © Copyright 2019 Jornal da Cidade - Todos os direitos reservados - Atendimento (14) 3104-3104 - Bauru/SP