Bauru e grande região - Sexta-feira, 18 de janeiro de 2019
máx. 33° / min. 23°
24/09/06 00:00 - Esportes

Basquete: Bauru luta pela sobrevivência

Gabriel Pelosi
Após confirmar o afastamento do Bauru Basquete dos próximos campeonatos Paulista e Brasileiro, o presidente Sérgio Domingues prometeu o retorno no Estadual de 2007. Segundo ele o Bauru Basquete não fechou as portas, apenas pediu o afastamento das próximas competições e prometeu que não vai sossegar enquanto não reconstruir o time que deu diversas glórias ao esporte bauruense.

Com a fuga das empresas patrocinadoras, Domingues viu o fim da equipe quando assumiu a presidência do Bauru Basquete, em junho passado. O problema da falta de patrocínio e o afastamento dos campeonatos é uma novela que o Bauru Basquete já assistiu, quando o mesmo aconteceu em 2003. O então presidente Caio Coube pediu o afastamento da equipe junto à Federação Paulista de Basquete (FPB). O time voltou em 2004 com os patrocínios da Plasútil e da Sukest.

Para manter-se vivo, o time necessita de pelo menos R$ 30 mil mensais. Além disso, possui uma dívida que gira na casa dos R$ 50 mil. “Com 30 mil por mês eu consigo montar um time modesto para disputar o Campeonato Paulista, que começa em outubro”, afirmou Sérgio Domingues.

“Quando tomei posse fiz bastante contato com empresas que tinham o potencial para possíveis patrocinadoras. Algumas delas prometeram me ajudar, mas como não tive retorno fiquei de mãos atadas”, contou Domingues, que preferiu não revelar os nomes das empresas que prometeram apoiar a equipe.

A Federação Paulista de Basquete divulgou no último dia 15 os times inscritos na competição, que começa no próximo dia 4. Na lista aparecem CA Paulistano, Associação Brasileira “A Hebraica” de São Paulo, Santo André/Pinheiros, São Caetano EC, Franca BC, Assis/Conti/AMEA, São João da Boa Vista, Limeira/Winner, Rio Claro/Bandeirantes, Sorocaba/Objetivo, São José dos Campos, Araraquara/Uniara/Lupo, São Carlos/Objetivo e AD Guarujá.

Apesar do nome de Bauru não estar na lista, Sérgio Domingues faz questão de afirmar que o Bauru Basquete não acabou. “Não fechamos as portas. Quero deixar bem claro que o Bauru Basquete continua vivo e em busca de patrocinadores para 2007”, ressaltou.

Prova de que o Bauru Basquete continua vivo é a equipe juvenil, comandada pelo técnico Gilmar Barros, que disputa a Segunda Fase do Campeonato Paulista da categoria. Porém, o futuro é incerto.

Quanto à utilização do ginásio Panela de Pressão, de posse do Esporte Clube Noroeste, Domingues afirma que pretende propor uma parceria com o Norusca que vá além do aluguel do ginásio.

“Atualmente, temos um gasto de aproximadamente R$ 2.000 de aluguel da Panela de Pressão. Para o projeto que tenho, visando o futuro do Bauru Basquete, quero propor uma parceria com o Noroeste”, afirmou Domingues sem revelar detalhes.

Apesar da curta história no esporte nacional, o Bauru Basquete tem em seu hall de troféus importantes conquistas. Em um passado não muito distante, o Bauru Basquete tinha o patrocínio da Tilibra e da Copimax e um orçamento acima dos R$ 100 mil. Com esse aporte, a equipe foi campeã paulista em 1999 e vice em 2000. Além disso, sagrou-se campeã brasileira em 2002, com diversos jogadores da Seleção Brasileira de Basquete no elenco.

A situação do Bauru Basquete reflete a situação em que se encontra o basquete nacional masculino. Outras equipes também têm fechado as portas. É o caso do Ribeirão Preto/COC, do carioca Telemar, entre outros. A extinção do basquete masculino brasileiro se deve a alguns fatores. Um deles é o pífio desempenho da Seleção Brasileira nos últimos anos. Nos dois últimos Mundiais de Basquete Masculino, o time ficou abaixo das expectativas. Este ano, no Japão, o País obteve sua pior classificação na história da competição, com o 19º lugar. Além disso, o Brasil não consegue classificação para as Olimpíadas desde os Jogos de 1996, em Atlanta.

Outro aspecto, este mais agravante, é a ausência de um campeão brasileiro de basquete. Então, qual empresário apoiará uma equipe em um campeonato que é decidido no “tapetão”?


____________________


Para Raul, Bauru Basquete acabou

Na opinião do técnico da equipe principal do Bauru Basquete, Raul Togni Filho, será muito difícil Bauru ter uma equipe competitiva de basquete nos próximos anos.

“Do jeito que está sendo conduzido, dificilmente o Bauru Basquete voltará a disputar uma competição de alto nível. Está tudo muito mal organizado. Não existe um conselho diretor, o Sérgio Domingues trabalha sozinho em busca de patrocínio. Assim, fica difícil.”

Segundo Raul, a situação veio se agravando e culminou com o novo afastamento do clube de competições oficiais. “O problema não é de agora. Desde o início, quando o Bauru Basquete fechou o patrocínio com a Plasútil e a Sukest, deveria ter sido realizado um trabalho visando o futuro da equipe. Mas não foi o que aconteceu. Por isso o time está nessa situação”, desabafa o técnico.

“Fico triste de ver o Bauru Basquete passando por essa situação difícil. Tentei ajudar da maneira que pude, fiz contato com possíveis patrocinadores, mas não teve jeito. Agora só um milagre salva o Bauru Basquete``, completa.

Com o fim da equipe profissional do Bauru Basquete, Raul Togni está afastado do trabalho de técnico. Ele segue na sua profissão de formação, educação física, e está aberto a propostas para voltar ao basquete.





publicidade
Projeto Cidade Promoções e Eventos
(SF) © Copyright 2019 Jornal da Cidade - Todos os direitos reservados - Atendimento (14) 3104-3104 - Bauru/SP