Bauru e grande região

 
Eleições 2020 - Cobertura Multimídia

Suéllen propõe mutirões na saúde e fala sobre fatos da campanha de 2018

Candidata afirma que vem com intenção de renovação e aberta ao diálogo com a população, caso seja eleita em 29/11

por Thiago Navarro

20/11/2020 - 05h00

Francisco Brunelli

Suéllen Rosim é a candidata a prefeita do Patriota

A candidata Suéllen Rosim (Patriota) foi a entrevistada de ontem do JC, JCNET e 96 FM, com apoio da Rogério Lopes TV. Suéllen obteve 57.844 votos, 35,60% dos votos válidos no 1º turno. Agora, ela enfrenta Raul Gonçalves Paula (DEM). "Vamos fazer auditorias em contratos e ajustes no que for necessário. A proposta é melhorar o que já tem, pretendo ter um governo realista e transparente com a população. Eu peço o voto para as pessoas porque acredito que dá para ser diferente, venho com sangue novo e novas ideias para Bauru", afirma.

A jornalista Suéllen Rosim tem como candidato a vice o médico Orlando Costa Dias, do mesmo partido. O Patriota não fez coligações. A seguir, os principais trechos da entrevista e mais abaixo ela comenta sobre fatos de sua campanha a deputada em 2018, como as contas eleitorais rejeitas e depois regularizadas.

ESTADO E UNIÃO

"Acima de tudo, se eleita, a minha relação tem que ser a melhor com os governos estadual e federal. O partido tem a sua relação, mas quem vota em mim são as pessoas. Vou bater na porta do Estado e da União com um único objetivo, que é trazer recursos para Bauru. Eu quero que o Brasil vá para a frente. Portanto, temos que dialogar bem com todas as esferas da administração pública. Eu me considero alinhada com Bauru. Estou aqui para defender a cidade, isso não é ficar em cima do muro. Sou uma pessoa de diálogo e que vai governar para todos"

TRANSPORTE

"A gente tem que fazer o contrato ser cumprido. A população tem direito a ter um bom transporte coletivo, em algumas regiões o transporte sequer chega. Vamos fazer as correções necessárias, com metas e ampliações de linhas, o que é fácil se houver um bom estudo e ouvir a população. Nas principais vias, faremos ajustes com estudos, para dar uma condição melhor de trânsito, com pessoas técnicas, organizando por setores"

SAÚDE

"Tenho ao meu lado o vice Orlando Costa Dias, que é uma pessoa com bastante conhecimento em gestão hospitalar e já fez muito na iniciativa privada. Vamos começar dando atenção ao básico, fazendo mutirões para reduzir a fila de espera. Não posso mentir para a população e falar que no primeiro ano vamos fazer tudo, a minha proposta é minimizar os impactos e dar assistência básica. A gente tem que ser realista e vou ser resolutiva em tudo o que for possível"

MEIO AMBIENTE

"Pretendemos organizar as nossas praças, melhorar a limpeza. A preservação ambiental também vai priorizar muito a conclusão da ETE. A preservação do Rio Batalha passa pelo contato com os municípios do entorno e as propriedades rurais, para usar os recursos e resolver. Não adianta só sair perfurando poços. O combate ao desperdício de água tem que começar pelo DAE, a população muitas vezes nem água tem em casa"

SEGURANÇA

"Vamos fazer um estudo para viabilizar a guarda patrimonial. Temos escolas e praças em que não há um cuidado com a depredação. Vamos precisar realocar o Orçamento, estimular a atividade delegada com a Polícia Militar e Polícia Civil. O projeto do videomonitoramento tem que ser colocado para funcionar"

CÂMARA

"Sou do diálogo e tenho certeza que os vereadores trabalharão por Bauru. O meu grande diferencial, é que não faço parte de uma política que trava a cidade. A população sabe disso, e nessa eleição as pessoas entenderam que é preciso governar para todos. O mais difícil na política é driblar fake news. Vou trabalhar com gente técnica e engajada, e o diálogo com os vereadores será claro e constante, sem negociações como muito já se fez"

MINORIAS

"Proponho buscar o funcionamento da Delegacia da Mulher por 24 horas com o Estado. Como pretendo governar para todos, as minorias terão espaço e assistência. Sou uma mulher de 32 anos, negra, e é fundamental ter a representatividade e mostrar que há capacidade para um bom trabalho"

COHAB

"A Cohab está nas mãos do Ministério Público. Temos que evitar que o mesmo processo de corrupção aconteça em outras áreas. Já o encerramento da Cohab será aos poucos, os contratos vão acabando e a própria companhia será reduzida e encerrada nos anos seguintes".

Presença da igreja

Cantora gospel, a candidata frisa que a religião não terá influência em decisões de governo. "A influência do gospel é do relacionamento com Deus. Vou governar para todos, abrindo diálogo com todos os setores, sou reflexo dos princípios que tenho. Se você vai a um hospital pública, as pessoas não perguntam qual a sua religião. Ou se vai ser asfaltada uma rua, não vai asfaltar a metade do crente e não fazer a metade do católico. Essa é uma visão errada, de achar que só por ser evangélica vai ter um direcionamento. Estou feliz com a acolhida que tive de pastores, de católicos e de pessoas de diversas religiões. Dentro das igrejas existem médicos, professores, funcionários públicos", afirma.

Ao ser questionada sobre a manutenção de eventos culturais como o Carnaval, a Parada da Diversidade, Semana do Hip Hop e o festival Vitória Rock, que são tradicionais em Bauru, Suéllen garantiu que não haverá alterações. "O Carnaval é uma questão cultural, não vamos mudar nada. Tenho boa relação com pessoas do segmento cultural e estarei aberta ao diálogo", completa.

Mãe e irmã na campanha e contas

Após a eleição para deputada estadual, em 2018, Suéllen teve que devolver R$ 25 mil por causa de falhas na prestação de contas com a Justiça Eleitoral. O fato tem sido explorado na internet, com publicações. "Essa é uma política nojenta, querem intimidar uma pessoa de 32 anos que vai trabalhar por Bauru. A minha campanha no primeiro turno saiu das minhas ideias. Em 2018, fui candidata a deputada estadual e tive grande parte das contas aprovadas. Apenas correções foram necessárias, mas na ocasião o meu advogado e o meu contador deixaram à revelia, não entraram com recurso. Foi um erro, por isso tive que devolver R$ 25 mil, que estou pagando de forma parcelada. Hoje, tenho bons advogados e contadores, porque um erro como este atrapalha", cita.

A candidata critica o uso político do caso. "Agora foi falado que eu fiz lavagem de dinheiro e teria beneficiado a minha família, o que é uma mentira, algo muito grave, e estou tomando as providências jurídicas. Tudo isso é algo de dois anos atrás e que estão colocando de novo agora. A minha irmã e a minha mãe trabalharam na campanha, me apoiaram, e não há irregularidade, com valores irrisórios. Tudo já foi corrigido e a devolução está sendo feita. O que está acontecendo é difamação, e meu advogado entra com as medidas necessárias", conclui.

Naquela eleição, Suéllen Rosim ainda tinha seu domicílio eleitoral em Birigui. No ano passado, ela transferiu para Bauru, onde já morava.

Ler matéria completa