Bauru e grande região

 
Eleições 2020 - Cobertura Multimídia

Raul propõe reduzir filas na saúde e comenta polêmicas de campanha

O candidato afirma que vai ter diálogo com a Câmara Municipal e com os deputados para buscar recursos para Bauru

por Thiago Navarro

24/11/2020 - 05h00

Malavolta Jr.

O candidato Raul Gonçalves Paula disse que encerrará Cohab

O candidato Raul Gonçalves Paula (DEM) foi o entrevistado de ontem do JC, JCNET e 96 FM, com apoio da Rogério Lopes TV. Raul obteve 53.299 votos, 32,80% dos votos válidos no primeiro turno. No 2º turno, ele enfrenta a candidata Suéllen Rosim (Patriota). O médico Raul Gonçalves Paula tem como  vice o vereador Fábio Manfrinato (PP). A coligação 'Mudança com Verdade!' é formada por DEM, PP, PSL, PRTB e MDB. Ainda no primeiro turno, recebeu a adesão do Cidadania, e no segundo turno o apoio do Republicanos. A seguir, os principais trechos da entrevista.

COLIGAÇÃO

"Uma das coisas mais importantes é eleger uma base sólida na Câmara Municipal. No primeiro turno, formamos praticamente a maioria dos vereadores, são oito eleitos que estão na nossa coligação. Isso faz com que o prefeito possa colocar em prática os seus projetos. Não significa que os vereadores vão falar amém para tudo, mas que compartilham das mesmas ideias. Aquele que acredita que a Câmara não é importante, acaba se dando mal. Cada vez que um projeto vai para a Câmara, ele fica melhor, são 17 vereadores que representam diferentes segmentos da sociedade. Eu não discuti cargos comissionados, estamos discutindo o município, ninguém repartiu cargos na prefeitura"

ESTADO E UNIÃO

"Quem foi o candidato do João Doria em Bauru? O Gazzetta, do seu partido, o PSDB. Eu não tenho relação com o Doria. O vice dele sim, o Rodrigo Garcia, é do DEM, o meu partido. Isso me dá força política para reivindicar avanços para Bauru com o Estado. Não se conquista nada ficando isolado. Bauru precisa ter relações institucionais com o Estado e a União. Vou dar um exemplo: o Poupatempo veio para cá por conta do governo estadual, a obra da avenida Nações Unidas Norte a mesma coisa, a construção das marginais da Rodovia Marechal Rondon também. O município não tem como fazer tudo sozinho. O mesmo com o governo federal. O PSL está na minha chapa e tem vários ministros, temos deputados e senadores do meu partido e de aliados. Isso propicia o acesso de Bauru a recursos, dentro dos programas dos ministérios e secretarias"

HABITAÇÃO

"O Rodrigo Garcia, além de vice-governador, já foi secretário de Habitação, e conversei com ele para um projeto nesta área, tem um programa que é o Nossa Casa, com subsídio de R$ 7 mil a R$ 11 mil para a entrada, o que permitirá a compra da casa própria por muitas pessoas que estão esperando. A Cohab precisa fechar. Nos últimos anos, virou um escritório de recebíveis, e não há mais necessidade alguma da Cohab seguir. As construtoras hoje fazem isso diretamente"

SAÚDE

"Uma das nossas propostas é o Hospital do Idoso, que será no Hospital Manoel de Abreu. A reforma deve acabar em um ano, e vamos negociar com o Estado para que seja criado lá uma unidade para atender a população idosa, com o apoio do município. Também pretendemos criar o Hospital da Criança, na área do Macksoud, que pode negociar a construção que parou há muitos anos. Alguns empresários já indicaram que podem colaborar com a construção"

ESPERA POR CIRURGIAS

"A Fundação Regional de Saúde, que foi uma ideia minha e implantada no período em que o Fernando Monti era o secretário de Saúde. Eu era vereador, e a prefeitura entendeu que deveria ser regionalizada. Considero que deveria ser apenas para Bauru, mas os funcionários lá já me avisaram que a regionalização permite um lucro maior, é algo que vamos analisar com calma. Considero que a Fundação é uma ferramenta importante para contratar mais serviços, fazer mutirões e resolver parte da fila de espera por consultas, exames e até cirurgias. O agendamento de cirurgias eletivas vai aumentar pois o Hospital Estadual está praticamente direcionado para a pandemia. E tem as cirurgias de emergência, no Hospital de Base. O que proponho é uma parceria para que o município possa aportar um recurso e o paciente já ir direto para o Base, e lá receber uma avaliação"

VERBA PARA OBRAS

"Vamos começar propostas que deverão ter continuidade depois. Umas delas é o Ambulatório de Especialidades do Município, é algo que pode ser credenciado no Ministério da Saúde, e assim receber recursos federais continuamente. O mesmo para obras de estrutura, um pouco dá para buscar verba a fundo perdido ou emendas parlamentares, com contato pelos deputados, mas a maioria são projetos que os ministérios abrem e os municípios devem estar preparados para apresentar projetos e trazer os recursos necessários".

Ação e prestação de contas: 'fake news e tema resolvido'

Nesta semana, vídeos na internet mostraram uma ação contra Raul na Justiça Federal, relativa a supostos atendimentos médicos recebidos e não realizados no serviço público. "Isso é fake news. As pessoas pegam a inicial de um processo como este, de 25 anos atrás, e não colocam a última página, onde está a decisão do juiz. A sentença foi pela absolvição. Mas muitos querem confundir a população", afirma. O candidato também citou falhas que ocorreram na prestação de contas da campanha de 2018, quando concorreu a deputado estadual. "A nota fiscal do impulsionamento do Facebook é emitida por uma empresa terceirizada. Mas não usamos tudo o que foi contratado, e isso deu diferença na prestação de contas, o que foi resolvido", frisa.

O vice

A situação envolvendo o candidato a vice Fábio Manfrinato (PP) foi comentada por Raul na entrevista. "A citação dele no caso não veio do Ministério Público e sim de matérias na imprensa. Ele não foi citado para investigação na Justiça. O Gasparini Jr. era articular do governo, então as relações institucionais podem ter ocorrido em reuniões. Escolhemos o Fábio Manfrinato pela sua força política, foi duas vezes o vereador mais votado, o que mais teve votos para deputado estadual. Sobre a situação dele, primeiro que não há indiciamento nenhum, e ele já prestou esclarecimentos na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara. Se houver algo, ele terá que responder, mas nesse momento não há nada", afirma.

Raul afirma que gostaria de seguir atuando na medicina

Caso eleito, Raul afirma que gostaria de continuar atuando na medicina - ele é oftalmologista - mesmo com a agenda apertada do cargo na prefeitura. "O dia tem 24 horas. A gente tem que se programar para fazer aquilo que precisa. Tenho dois filhos já formados, que são oftalmologistas, e duas noras que também são formadas na mesma área. Então, eles podem dar suporte e continuar o nosso trabalho. Mas pretendo continuar atendendo pacientes, não gostaria de parar. O Pedro Tobias foi deputado estadual por 20 anos e continuou fazendo atendimentos na Maternidade Santa Isabel, quero continuar se for possível", avisa.

Ler matéria completa