Bauru e grande região

 
Eleições 2020 - Cobertura Multimídia

Bauru tem segundo turno pela quarta vez

Essa possibilidade só existe para municípios com mais de 200 mil eleitores, número que a cidade atingiu em 2004

por Thiago Navarro

29/11/2020 - 05h00

Marcelo Camargo/Agência Brasil

A eleição deste ano é a quarta com a realização de segundo turno em Bauru, desta vez com Suéllen Rosim (Patriota) e Raul Gonçalves Paula (DEM) disputando a principal cadeira do Executivo. A primeira vez que Bauru teve dois turnos foi em 2004, pois havia acabado de superar a marca de 200 mil eleitores, mínimo exigido para que um município possa ter segundo turno, caso nenhum candidato obtenha 50% mais um dos votos válidos já no primeiro turno.

Naquele pleito, Tuga Angerami e Caio Coube foram ao segundo turno, com Tuga vencendo a eleição.

Em 2008, Bauru teve mais uma decisão em segundo turno, com Caio Coube e Rodrigo Agostinho, que acabou vencedor. Ele tinha ficado em segundo lugar no primeiro turno, mas conseguiu a virada e foi eleito prefeito.

Já em 2012, não houve necessidade de dois turnos, pois Rodrigo foi reeleito com 82% dos votos já na primeira rodada de votação. A terceira vez com segundo turno em Bauru foi em 2016, com disputa entre Clodoaldo Gazzetta e Raul Gonçalves Paula. O candidato Gazzetta ganhou. Na região, Bauru é o único município em que há dois turnos para prefeito.

APURAÇÃO

Em todas as vezes que a eleição acabou no segundo turno em Bauru, a apuração foi rápida, com a população conhecendo o resultado entre 19h e 20h do dia da votação.

No primeiro turno, há duas semanas, houve uma demora fora do comum para a liberação dos resultados, que começaram a sair por volta das 22h40, pois toda a divulgação foi concentrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Desta vez, como são apenas 57 municípios do País com segundo turno, e a escolha é apenas para prefeito, o TSE afirma que a liberação deve ser mais rápida.

Cuidados sanitários para evitar a Covid devem ser mantidos

A orientação do TSE para o segundo turno em relação aos cuidados com a pandemia segue a mesma. Os eleitores só poderão entrar nas seções usando máscara. Além disso, é recomendado que a pessoa leve a própria caneta para assinar o livro de presença. Haverá álcool gel em todas as seções para a higienização das mãos, para uso tanto de mesários quanto dos eleitores.

Para votar, é obrigatória a apresentação de um documento oficial com foto, como carteira de identidade, carteira nacional de habilitação, carteira de trabalho ou passaporte. A apresentação do título é facultativa, mas neste caso é importante que o eleitor já saiba seu ponto de votação. O e-título no celular pode ser usado como documento oficial, se a pessoa já tiver feito a biometria. O e-título ainda serve para consultar o ponto de votação do eleitor, que também pode verificar esta informação no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), caso não encontre o título de eleitor convencional.

Justificativa

Os eleitores que estiverem fora de seu domicílio eleitoral no dia da votação podem usar o e-título para justificar a ausência. Se isso não for possível e a pessoa estiver em algum município onde também haverá segundo turno, é possível fazer a justificativa em uma das seções eleitorais. Caso esteja em uma cidade em que não há segundo turno, ou não for possível realizar o procedimento por qualquer outro motivo, a justificativa deve ser feita até 60 dias depois do pleito em um cartório eleitoral.

Ler matéria completa