Bauru e grande região

 
Natal 2020

Um fim de ano diferente

Pandemia trouxe uma nova realidade e é preciso respeitar a decisão do outro

13/12/2020 - 05h00

Freepik

Decidiu comemorar sozinha? Sem problema, mas compartilhe seu momento com amigos e familiares

Confraternização na empresa, reunião com os amigos, Natal com toda a família reunida, Ano Novo na praia em grandes aglomerações. Em tempos de pandemia de Covid-19, não são boas opções. E muita gente acabou mudando os planos e diminuindo o tamanho da festa para evitar aglomerações desnecessárias. O problema é que este é um assunto que divide as pessoas: enquanto uns acham que estão protegendo seus familiares e a si, outros acham que é exagero. Será?

Para a doutora em psicologia e coordenadora do curso de psicologia do Centro Universitário Cesusa, em Cachoeirinha (RS), Paola Vargas Barbosa, é necessário se esforçar para compreender a nova realidade. "É preciso fazer um esforço para contribuir com as regras de distanciamento. As pessoas precisam pensar em como o distanciamento funciona dentro dos seus grupos. Há regiões onde o risco de contaminação é mais baixo. Em outras, não. Mas o mais importante, é respeitar a decisão de quem decidiu manter o distanciamento da família neste momento", afirma. 

Para diminuir o peso de todas as questões que envolvem a Covid-19, Paola Barbosa sugere que o anfitrião ou responsável por organizar a atividade, crie alguma brincadeira consciente. "Um cartaz legal, um boneco-Noel que faz o papel de hostess, que dá as boas-vindas, pode estimular o uso de álcool em gel logo na entrada da casa e em outros lugares", sugere.

O importante, ressalta a psicóloga, é não ignorar algo tão relevante como uma pandemia. "Ignorá-la coloca pessoas em risco e podemos ter um novo aumento de casos e mortes", avisa.

Ler matéria completa