Bauru e grande região

 
Natal 2020

A tradição das comidas típicas

Os pratos mais tradicionais têm origens diversas e, em muitos casos, ganharam um toque bem brasileiro

13/12/2020 - 05h00

Timolina

Tradição de comer peru no Natal veio dos EUA, baseada na cultura do Dia de Ação de Graças

Um dos pontos principais da Ceia de Natal, antes da troca de presentes para a maioria das pessoas, é a mesa farta para a confraternização com familiares e amigos. Neste ano, as mesas vão estar menores, mas nem por isso os pratos mais tradicionais precisam ficar de fora.

Os pratos típicos da noite natalina têm origens diversas que se unem, em muitos casos, ao toque brasileiro. Em muitas mesas não falta o peru assado que já ganhou a concorrência de outras aves preparadas especialmente pela indústria alimentícia para a ceia. Já em outras, a rabanada, trazida pelos colonizadores portugueses, assim como o bacalhau, figuram com destaque.

O ceia natalina dos brasileiros é resultado de uma mistura de tradições trazidas para o País por colonizadores e imigrantes. Outros pratos foram "importados" e o maior exemplo é o peru que é tradicional no Dia de Ação de Graças nos EUA. Logo depois dele veio o chester, uma ave com peito e coxas abundantes desenvolvida na década de 1970. Não há como fugir dos pratos que passaram a fazer parte do Natal. Veja na página a seguir sugestões saborosas para servir na ceia.

wOrigem

l Peru de Natal: A tradição de comer peru no Natal é baseada na cultura do Dia de Ação de Graças nos EUA. A ave era consumida pelos índios e os colonos americanos a incorporaram ao cardápio de grandes banquetes pelo tamanho dela. No Brasil há ainda como opção ao peru o chester, um frango com o peito e coxas mais desenvolvidos.

l Panetone: Existem muitas lendas para a origem. O que todas possuem de comum é que o criador se chamava Toni e morava em Milão, Itália. Umas versões dão conta de que ele era auxiliar em um banquete e cansado, se atrapalhou com as receitas e o criou por acaso. Seu chefe o homenageou diante de tanto sucesso chamando o pão de de Pão do Toni. A receita chegou ao Brasil com os imigrantes italianos.

l Rabanada: De origem portuguesa, a rabanada é tradicional no dia da Consoada, que acontece em 24 de dezembro em Portugal. Feita com "sobras" de pão polvilhadas com açúcar, a sobremesa se tornou prato típico natalino. Também há relatos de que seria uma tradição europeia servir rabanada para mulheres que davam à luz, com o intuito de que produzissem mais leite.

l Bacalhau: O hábito de comer bacalhau no Natal também é uma herança portuguesa. A tradição surgiu na Idade Média, com o calendário cristão, onde as pessoas faziam jejum, na altura das principais festas católica.

l Salpicão: O nome do prato seria oriundo da palavra salpicón, comum na culinária mexicana e francesa, e que faz referência ao preparo que leva ingredientes crus e molho. Trata-se de um prato servido em forma de salada, frio. No Natal, a receita que leva batatas, cenoura, frango e outras tantas opções de ingredientes costuma ser incrementada com adicionais como nozes picadas e uvas passas.

l Nozes, castanhas e avelãs: Frutos secos, típicos dos países nórdicos, podem ser consumidos sozinhos ou em sobremesas. A associação com o Natal está relacionada à época típica de produção das plantas nativas da Europa e da Ásia, que costumavam dar frutos no fim de outono e começo do inverno. Histórias natalinas como a do quebra-nozes, lançada em 1881, ajudaram a popularizar a tradição.

Ler matéria completa