Bauru e grande região

Bairros

Skate dá exemplo de cidadania em Bauru

Esporte faz e acontece por alguns bairros da cidade

por Marcele Tonelli

15/04/2018 - 07h00

 

Aceituno Junior

Skatistas reunidos na Bauru Skate Park, principal pista voltada ao esporte na cidade, no Jardim Aeroporto

Incompreendido por muita gente, o skate ainda é taxado como brincadeira. Mas este conceito tem mudado a cada ano, principalmente após a modalidade ser considerada olímpica. Em Bauru, mesmo que a passos lentos, o esporte ganhou mais espaço e respeito, recentemente. A inauguração da Bauru Skate Park (BSB), a primeira pista oficial do esporte no município, é um dos exemplos.

E é com intuito de ampliar o apoio da população ao skate que grupos de jovens praticantes têm praticado cidadania nos pontos de encontro que frequentam (no JC Digital, no Flip do JC nos Bairros, capa, clique sobre a seta e veja vídeo gravado pela reportagem; se quiser ver mais imagens, clique sobre a câmera que aparece sobre as fotos).

Além da BSB, que fica no Jd. Aeroporto, são vários os chamados "picos" de skate pelos bairros. O JC nos Bairros foi às ruas para conhecer quais e como são os locais de treino dos skatistas de Bauru, atualmente (veja no mapa abaixo).

No Núcleo Geisel, há uma quadra comunitária coberta apelidada como "Brooklyn"; no Mary Dota, outra quadra, porém descoberta, reúne praticantes aos finais de semana; na Vila Aviação, a entidade Wise Madness recebe skatistas gratuitamente em sua pista; no Terra Branca, uma pista pública de skate incompleta também é opção, assim como uma praça oriental do bairro; no Bauru 22, uma pista pública no Centro Social Urbano (CEU) das Artes abriga iniciantes no skate.

Outras iniciativas do tipo, porém particulares, mas que são gratuitas e abertas ao público, podem ser encontradas em uma casa na Vila Cidade Universitária, onde um quintal foi transformado em rampa. E, no Bela Vista, a área externa da Igreja Batista deu espaço a uma pista de skate - o local, contudo, foi fechado para reforma e deve reabrir até o final do ano.

Cidadania na BSB X vandalismo

Skatistas de Bauru/ Divulgação
Pista de skate do Jd. Aeroporto ganhou nova cara e maior proteção, após investimento dos próprios frequentadores do espaço

Inaugurada há pouco mais de dois anos, a Bauru Skate Park é a pista mais frequentada da cidade. Dezenas de atletas se reúnem por lá principalmente aos finais de semana. E, como forma de preservar o espaço, uma galera do skate se une para dar manutenção ao local com recurso próprio. Nas últimas semanas, a BSB ganhou nova cara com a pintura do Bowl, dispositivo que se parece com uma piscina.

"O skate foi muito rotulado por muito tempo, quem pratica era chamado de maloqueiro, era acusado de brincar e não trabalhar. Na verdade, o skate é muito mais que um esporte, é cultura é arte. Somos pessoas normais que fazemos nossa parte aqui, nossa cidadania, para que todo mundo possa usar o espaço", comenta Sereno Sachs, 43 anos, skatista há mais de três décadas. 

A iluminação foi trocada pela prefeitura recentemente, mas imóvel que abriga os banheiros é alvo frequente de vandalismo.

"Não são os skatistas que depredam, nós ajudamos a coibir o vandalismo em todos os picos que usamos. Mas nadamos contra a maré", ressalta o skatista Tiago Negretty, 33 anos.

E a pista do Jardim Terra Branca?

Inaugurado em agosto de 2014, na praça José Jorge Tamião, o dispositivo que chegou a ser chamado de pista de skate pela prefeitura, na região do Terra Branca, é incompleto. Apesar de ainda ser considerado um dos três principais equipamentos púbicos do esporte, o local tem reunido poucos praticantes. O espaço é considerado deficiente para a prática por possuir apenas um obstáculo sem rampas para dar velocidade ao atleta.

Skatistas 'adotam' quadra de escola no Núcleo Geisel

Samantha Ciuffa
Victor Guintter frequenta semanalmente a quadra do Núcleo Geisel

Foi para contornar a falta de pista no bairro que skatistas moradores do Núcleo Geisel resolveram adotar a quadra coberta da Emef NER Lidya Alexandrina Nava Cury.

Há aproximadamente 2 anos, eles utilizam o espaço no contraturno escolar e, como contrapartida, eles têm ajudado a zelar pelo ginásio público, trocando lâmpadas dos refletores e ajudando na preservação e limpeza do local, principalmente na época de férias escolares.

"Fizemos um campeonato aqui há algum tempo para arrecadar verba especialmente para isso. E para manter os obstáculos de madeira que utilizamos na quadra", conta o skatista Valter Hugo dos Santos, 36 anos, o Branco.

Apelidado de "Brooklyn", o ginásio reúne skatistas depois das 17h quase todas as quintas, sextas, sábados e domingos. "Revezamos com o pessoal do futebol", explica Branco.

"Quando chove, lota ainda mais, porque é o único local público coberto da cidade para o skate", completa Leandro Esporte, 33 anos.

NÃO ATRAPALHA, MAS...

A diretora da Emef NER Fernanda Fantin, 45 anos, elogia a atitude dos atletas. "Houve um acordo entre a Prefeitura de Bauru, a Câmara Municipal e a associação de moradores do bairro para uso da quadra, que hoje é comunitária. É bom porque eles ajudam a cuidar", comenta a diretora.

Antigamente, o espaço ficava fechado com cadeado e era alvo frequente de invasões.

Samantha Ciuffa
Pista de skate no CEU das Artes, no Bauru 22

Professor de educação física da escola, Paulo Gimenez, 55 anos, faz ressalvas. "O piso não é adequado para o esporte e a tinta acaba saindo com tanto impacto. Mas eles são educados e não atrapalham a rotina das aulas", pontua.

Pista no CEU das Artes é opção para iniciantes

O CEU das Artes, inaugurado em 2015 no bairro conhecido como Bauru 22, possui em sua extensão uma pista de skate contendo três rampas e obstáculo com caixote de concreto e corrimão. O local, contudo, costuma reunir poucos praticantes. Skatistas afirmam que houve má execução do projeto da pista que, além de curta, possui muitas ondulações e imperfeições que dificultariam a prática.

Os obstáculos baixos, no entanto, torna o local opção para quem está iniciando no esporte.

Elias Batista, 15 anos, que está há três meses no skate, é um dos frequentadores de lá. "A pista é meio ondulada e esburacada e não tem espaço para manobra solo, mas o obstáculo menor ajuda", opina.

Arquivo pessoal
Vinicius Bomfim

No Mary Dota também...

No Mary Dota, outra quadra, porém descoberta, existente no cruzamento da rua Francisco Antônio Rodrigues com a Tenente Décio da Costa Vale também costuma reunir skatistas aos finais de semana. Chamado de Complexo Esportivo do Mary Dota, o local, no entanto, apresenta sinais de deterioração e frequentadores pedem maior atenção do poder público.

Opinião de um skatista

"Existe um grande diferencial no skate bauruense em si. Os próprios skatistas se organizam para manutenção e limpeza da pista, assim como a sua organização interna. O número de praticantes triplicou. Bauru não vive apenas da zona sul, existe uma dificuldade imensa para quem quer 'andar de skate' em uma pista, obrigando os praticantes mais afastados a desenvolverem novos lugares para se andar. É preciso, sem dúvida, que o esporte seja devidamente valorizado na cidade, é uma forma de integração social que impacta no desenvolvimento da cidade. Assim como outros setores, o esporte precisa de uma valorização dedicada. O fato não é anunciar projetos e construções, e sim, ao fazer, que a qualidade da obra esteja dentro do requisito mínimo para uma pratica ideal e justa. Se não fosse pela boa vontade dos locais, o skate estaria enfraquecido em Bauru em diversos pontos."

Vinicius Bomfim, skatista e estudante de jornalismo

Vila Aviação tem skate de atitude e solidariedade

Marcele Tonelli
Enilson Komono, idealizador da ONG Wise Madness

Constituída em maio de 2011, a ONG Wise Madness é outra opção de espaço gratuito para a prática do skate em Bauru. Todas as segundas e quartas-feiras, das 19h30 às 22h, o local é aberto ao público praticante do esporte. Há, inclusive, a possibilidade de aprender, porque skatistas mais experientes atuam como professores voluntários por lá nestes dias.

Além disso, a Wise Madness possui um convênio com a prefeitura e recebe 130 crianças, de 6 a 15 anos, no contraturno escolar todos os dias da semana.

"São crianças e adolescentes de comunidades no Jardim Niceia, da Vila Zilo, Parque das Nações, Jardim Europa. O ônibus passa pegar e, na volta, deixa eles na entrada dos bairros", comenta Enilson Komono, idealizador e coordenador da entidade.

Lá, eles recebem refeição, almoço e café. Com a verba do convênio, a ONG paga faxineiro, motorista do ônibus e cozinheira. O restante é mantido com verba própria e voluntária.

GRATIFICANTE

Quinze pessoas atuam lá como voluntários. Junior Ramiro, 35 anos, é um dos professores. "Eu ensino e aprendo com eles ao mesmo tempo, é muito gratificante", comenta.

Alex Fabbro, 42 anos, leva o filho Murilo Massini Fabbro, de 9 anos, semanalmente. "Ele evoluiu rápido no esporte. Tem que investir, quem sabe ele não se torna um campeão olímpico?", projeta o pai, colocando equipamentos de segurança no filho.

João Vitor Bueno, de 23 anos, também é frequentador do local. "Bauru precisava de mais espaços assim. Aqui, a gente aprende mais que skate, aprende cidadania e convivência", cita.

Sempre antes do início das sessões, Komono reúne toda a galera presente para orações, ensinamentos e alerta sobre a missão voluntária e cidadã do espaço.

Igreja Batista do Jardim Bela Vista/Divulgação
Skatistas reunidos na pista de street da Igreja Batista, há alguns anos

Igreja no Jardim Bela Vista também abre as portas ao skate

A Igreja Batista do Jardim Bela Vista também oferece uma pista de skate aos praticantes do esporte. Funciona, inclusive, uma escolinha no local desde 2012. Nas últimas semanas, porém, o espaço foi interditado para obras.

"Faremos a recuperação de nossas rampas, caixotes, pinturas das paredes, enfim uma melhor adequação para a prática do skate", diz a página da igreja no Facebook.

Além disso, o local passará a contemplar, além da modalidade street, a vertical com a construção de um bowl. A previsão é de que as obras sejam concluídas até o final deste ano. A data certa não foi informada.

Prefeitura: novas pistas a caminho

Segundo a prefeitura, no final do ano passado, o prefeito Clodoaldo Gazzetta assinou convênio com o Estado para a construção de uma nova pista de skate no Parque Santa Edwirges. Também há convênio com a União para construção de outra no Mary Dotta. A licitação deve ser feita neste ano.

Há ainda previsão de outras duas novas pistas de treinamento: uma próxima à Emef NER, no Geisel, e a outra no Tangarás.

Ainda segundo a prefeitura, "apenas a pista do Jardim Aeroporto é oficial, as demais são de treinamento, por isso não possuem a mesma estrutura".