Bauru e grande região

Bairros

Mato alto e folhagens se tornam obstáculos em ciclovias de Bauru

Reportagem percorreu as pistas exclusivas para bicicletas na cidade e encontrou problemas em três das quatro vias

por Ana Beatriz Garcia

18/04/2019 - 07h00

Bruno Freitas
Ciclovia no entorno da Nações Norte tem vários obstáculos
Fotos: Malavolta Jr.
Jeanete Aparecida Félix Alves reclama da situação da ciclovia da avenida Nações Norte; em outro trecho da mesma via, obstáculo é árvore (abaixo)

Mato alto, copas de árvores e buracos são alguns dos obstáculos encontrados por quem utiliza as ciclovias em Bauru. No total, a cidade conta com 10.900 metros de pistas exclusivas aos ciclistas, distribuídas entre as avenidas Engenheiro Edmundo Coube, Nações Norte, Jorge Zaiden e em um trecho que liga o Distrito 1 ao Núcleo Octávio Rasi.

A reportagem do JC percorreu as ciclovias na semana passada e em pelo menos três das quatro pistas haviam obstáculos. A prefeitura prometeu resolver os problemas.

Segundo aqueles que utilizam a pista para ciclistas que fica próxima à Universidade Estadual Paulista (Unesp), na avenida Engenheiro Edmundo Coube, o mato alto é o grande obstáculo no local. Com isso, acaba ocorrendo uma espécie de inversão.

"Eu caminho por aqui todos os dias e o principal problema é que o mato está sempre alto, além dos buracos. Por conta disso, os ciclistas passam pela calçada de pedestres e aí sobra a ciclovia para a gente poder caminhar", diz Emílson Bueno da Silva, de 50 anos.

Na ciclovia da avenida Nações Norte, em três pontos distintos, o problema era causado pelas copas de árvores que invadem a pista, impedindo, inclusive, a visão de quem vem do outro sentido da pista. A dificuldade não se restringe só aos ciclistas, mas também aos pedestres que transitam pela calçada no local. "Além dessas árvores no caminho, também tem buracos e vazamento de água. Minha filha e meu genro usam bastante a ciclovia para passearem com a bicicleta e sempre reclamam dessas coisas também", afirma Jeanete Aparecida Félix Alves, de 52 anos.

A reportagem do JC ainda apurou que, na avenida Jorge Zaiden, a ciclovia apresenta restos de árvores, galhos e mato seco bem em cima da pista.

AÇÕES DA PREFEITURA

De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, ainda na semana passada, equipes da Secretaria Municipal de Administrações Regionais (Sear) roçaram e recolheram materiais na avenida Edmundo Coube.

A pasta ainda afirma que trabalharam em datas anteriores na ciclovia que liga o Distrito 1 ao Núcleo Octávio Rasi - a única que a reportagem não constatou problemas - e que os serviços continuariam nesta semana. O trabalho também se estenderia às praças.

Já na avenida Jorge Zaiden, a secretaria afirma que há previsão para início dos serviços de limpeza na semana do próximo dia 21.

Fotos: Malavolta Jr.
Inversão: Emílson Bueno da Silva diz que caminha na ciclovia da avenida Edmundo Coube porque ciclistas usam calçada para desviar do mato alto 

Mais obstáculos: restos de árvores e galhos secos em ciclovia da avenida Jorge Zaiden