Bauru e grande região

Bairros

Erosão 'gigante' assoreia Lagoa da Quinta e se aproxima de casas

por Cinthia Milanez

18/06/2019 - 07h00

Malavolta Jr.
O buraco na Quinta da Bela Olinda está a cerca de 100 metros das casas, segundo informações da Secretaria Municipal de Obras

Uma erosão gigante preocupa os moradores da Quinta da Bela Olinda, em Bauru. A poucos metros da quadra 7 da rua Sílvio Turbiani Neto, o buraco assoreia a lagoa daquela região e está se aproximando das casas do entorno. Em ambas as situações, o problema se intensifica toda vez que chove forte.

De acordo com a dona de casa Edmara Athie Rodrigues Magalhães, de 24 anos, a erosão existe há, pelo menos, quatro anos, desde que ela se mudou para a via, acompanhada do marido, bem como dos dois filhos pequenos.

Ainda segundo a moradora, as crianças só brincam fora de casa sob a sua supervisão, justamente, para evitar que caiam no buraco ou algo do tipo. Embora o local esteja um pouco distante da rua, existe a possibilidade de algum distraído se acidentar. "Muita gente pesca na lagoa e passa pela erosão para cortar caminho", acrescenta.

Além disso, o buraco fica bem no meio de quatro torres pertencentes à rede de transmissão de energia elétrica. Se aumentar, pode ameaçar o sistema.

DRENAGEM FALHA

Questionado, o titular da Secretaria Municipal de Obras, Ricardo Zanini Olivatto, informa que a erosão é consequência de uma falha na rede de drenagem do local. A obra, inclusive, foi desenvolvida pelo proprietário daquela região, que a adquiriu com o propósito de transformá-la em um condomínio fechado.

Agora, o atual dono do espaço pretende repassá-lo a outro empreendedor e o Ministério Público (MP) media a negociação. Somente depois de ter uma definição, o buraco e o manancial serão recuperados.

Para o secretário, o município só deve intervir se houver risco iminente. Caso o fizesse, mandaria a conta ao proprietário. "No momento, não é o caso, porque a erosão está a 100 metros de distância das casas e da rede de transmissão de energia elétrica", argumenta.

De qualquer forma, Ricardo Olivatto pediu que a Defesa Civil cercasse o trecho, prevenindo, assim, algum acidente.

PRIORIDADES

A pasta trabalha na recuperação de outras erosões, consideradas mais graves. Este é o caso de dois buracos imensos na região do Popular Ipiranga. A erosão próxima ao Córrego Água do Sobrado e ao Pátio também está entre as prioridades do município.

Porém, ela só começará a ser recuperada após o término da transferência dos moradores do acampamento Nova Canaã, em cumprimento ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em janeiro do ano anterior.

Isso porque a Obras não possui caminhões suficientes para atender, concomitantemente, todas estas demandas. O buraco formado no Sambódromo, há três meses, também aguarda interferência. Conforme o JC já noticiou, a expectativa é de que o serviço tenha início ainda neste mês.