Bauru e grande região

Bairros

Grupos de WhatsApp são utilizados para reivindicar melhorias nos bairros

Mais do que uma boa convivência, vizinhos criam grupos de Whats App com o intuito de conquistarem avanços para os locais onde moram

por Ana Beatriz Garcia

29/09/2019 - 06h00

Fotos: Vinicius Bomfim

Cássio Ferreira e Isabel Ferreira são membros do grupo que pede por asfalto no Jardim Marambá

Um grupo de WhatsApp sem piadas, sem "bom dia", "boa noite" ou correntes para sobrecarregar os celulares de mensagens desnecessárias. Foi isso que moradores de determinados bairros de Bauru criaram para organizar e discutir sobre melhorias para os locais onde residem.

Benefício indireto, mas importante dessa ferramenta, é o estreitamento de laços entre os vizinhos. Muitas vezes, não se conhece as pessoas que moram nas casas ao lado. Criar um grupo da vizinhança pode aproximar os moradores, criando um senso de comunidade entre as pessoas, o que é positivo não só para conquistas para a região, mas para segurança e convivência de um modo geral.

REIVINDICAÇÃO

No Jardim Marambá, foi a espera pelo asfalto que uniu os moradores para reivindicar melhorias. "Depois de algumas reuniões com o prefeito Clodoaldo Gazzetta, resolvemos criar um grupo entre os vizinhos para dar força ao nosso pedido. O grupo foi criado com o intuito de unir os moradores e conseguirmos o asfalto para essa região", afirma um dos membros do grupo, Pedro Luís Mariano do Prado, 59. "Já conseguimos melhorias para a praça do nosso bairro. Mas ainda aguardamos pelas soluções a respeito do asfalto."

Também morador do bairro há 19 anos, Cássio Henrique Ferreira, 55 anos, conta que o bairro sofre as consequências da falta de asfalto em outros aspectos além da infraestrutura. "A poeira é muita, entra em nossas casas, nossos filhos sofrem de rinite alérgica e, quando chove, é a lama", lamenta.

O grupo ainda é recente, tem pouco mais de um mês, mas os moradores contam com a participação de um dos integrantes da Câmara dos Vereadores, Serginho Brum (PSD), na esperança de conseguirem acelerar o processo.

SEGURANÇA

Já na quadra 1 da rua Augusto Boemer, na Vila Falcão, vizinhos criaram um grupo de Whats App denominado "Nossa rua, nossa casa" com representantes de 14 casas e já vêm sentindo os efeitos dessa organização. Devido à proximidade da favela São Manoel, onde existe grande fluxo de usuários de drogas, a rua Augusto Boemer recebia diversas pessoas em atitude suspeita e furtos nas casas daquela quadra.

"Ano passado isso se agravou muito e nos mobilizamos criando esse grupo para nos comunicar em relação às movimentações estranhas, às nossas viagens e saídas de casa. Vem fazendo efeito, sempre que percebemos algo ou nos manifestamos, o que inibe a ação, ou entramos em contato com a Polícia Militar que, inclusive, foi de enorme gentileza com a gente, trazendo policiais para a área para realizar inspeção, dar orientações e ensinar defesa pessoal. Somos muito gratos à atuação da PM depois que entramos em contato com eles e explanamos a situação que vivíamos", afirma a idealizadora do grupo, Tânia Ávila Sollero, 50 anos.

Com quase um ano de interação, o grupo deixa de lado as conversas paralelas para focar na segurança. "Quando uma pessoa percebe algo, logo avisa e todos ficamos alertas. Essa movimentação faz com que espante essas atitudes suspeitas e eles fiquem um tempo sem aparecerem por aqui. Depois do grupo, não tivemos mais furtos."

Ler matéria completa