Bauru e grande região

Bairros

Bibliotecas trabalharão em rede

A expectativa da Divisão de Bibliotecas é atualizar o sistema interno permitindo mais acesso aos dados; nos bairros, unidades já são tidas como polos culturais

por Ana Beatriz Garcia

20/10/2019 - 06h00

Tainá Vétere

Marco Aurélio Octaviano fala sobre a proposta de integração dos sistemas das bibliotecas central e ramais

Hoje, a Divisão de Bibliotecas de Bauru é integrada pela Biblioteca Municipal "Rodrigues de Abreu" e sete bibliotecas ramais nos bairros Falcão, Geisel, Jardim Progresso, Tibiriçá, Ouro Verde e CEU das Artes. Algumas dessas últimas, já tornaram-se mais do que bibliotecas, mas verdadeiros polos de cultura para os bairros em que estão inseridos (leia mais abaixo).

Para o próximo ano, a expectativa é de aproximar ainda mais a comunidade e ter maior acesso às informações do perfil dos leitores de Bauru. "Ainda estamos em um processo para definir qual o melhor programa que fará essa integração. Portanto, sabemos que não será uma ação para agora, mas com certeza para o próximo ano", afirma o auxiliar de biblioteca e ex-diretor da Divisão de Bibliotecas de Bauru, Marco Aurélio Octaviano.

O objetivo dessa atualização da rede é ter maior controle sobre os exemplares das bibliotecas ramais e conhecer mais sobre o perfil dos leitores. "No momento, nós só temos um sistema na biblioteca central, mas as ramais não estão integradas. Tendo este programa, a intenção é aumentar o controle e saber mais detalhes como quais livros têm mais procura, quais faltam", diz. "Além disso, queremos estruturar melhor algumas unidades ramais", completa.

ENVOLVIMENTO

Além das estantes recheadas de livros, a Biblioteca Ramal Núcleo Geisel guarda todo o carinho e dedicação da comunidade pela cultura. O local, ativo há 6 anos, é exemplo dentre as bibliotecas ramais que virou ponto de encontro para pessoas de diferentes idades, seja para leitura, passatempo ou cursos variados.

A agente cultural Neli Maria Fonseca Viotto acompanha o crescimento e a interação do bairro de perto. "Temos atividades durante toda a semana. As escolas trazem seus alunos regularmente, um grupo de mais de 20 senhoras vêm fazer aulas de tricô e crochê e temos alunos de desenho também", conta.

Outras unidades, como a da Vila Falcão e Mary Dota, também desempenham atividades semelhantes, que servem como chamariz para a presença constante de visitantes na biblioteca do bairro. Além de empréstimos de livros, são desenvolvidas palestras, cursos, exposições e oficinas para a comunidade local.

Apaixonada pelo trabalho diário, Neli também é contadora de histórias e atende aos chamados das escolas para atividades na biblioteca ou fora dela. "Nesta semana da criança, levei a contação de história para mais de 1500 crianças das escolas que atendemos", revela, acrescentando que acha importante a biblioteca ir até a população.

DESDE CEDO

Mariana Arques de Campos, 12 anos, é leitora assídua da biblioteca do Geisel desde ainda mais nova. "Hoje, eu ainda tenho outros livros da escola para ler, o que me tira um pouco o tempo. Mesmo assim, amo ler livros e sempre que posso empresto um daqui", diz. Segundo ela, os preferidos são os da série "Diário de um banana" e os mangás - história em quadrinhos feita no estilo japonês. "Eu tenho livros também na minha casa e sempre falo para as minhas amigas lerem também. Aqui, a gente se reúne, sempre tem alguma atividade, é um lugar gostoso", conta.

Neli conta que, assim como Mariana, outros estudantes também preferem os infanto-juvenis. "Eles gostam muitos dos livros da Coleção Vagalume e também emprestam bastante os gibis", finaliza.

Perfil e incentivo

Tainá Vétere

Lidyane Silva Lima reforça a importância do incentivo à leitura

A bibliotecária Lidyane Silva Lima reforça a importância do incentivo à leitura e da inserção da sociedade neste ambiente. Trabalhando na Biblioteca Central "Cor Jesu", da Unisagrado, ela destaca que as obras raras e os grandes clássicos tem destaque especial. "Além dos alunos que fazem uso da biblioteca para estudos e pesquisas, notamos a presença de pessoas da comunidade em geral que encontra em nossa biblioteca títulos raros e exemplares importantes da literatura brasileira e internacional", comenta. "É importante sempre frisar a importância deste incentivo à leitura para a formação das pessoas. Todos os nossos processos cognitivos estão relacionadas à nossa capacidade de ler e interpretar", destaca.

A Biblioteca Central "Cor Jesu", da Unisagrado, fica aberta de segunda à sexta-feira das 13h às 22h e aos sábados das 9h às 13h. No período de férias e recesso escolar, o horário muda para segunda à sexta-feira, das 9h às 17h. O endereço é rua Irmã Arminda, 10-50 - Jardim Brasil.

 

Ler matéria completa