Bauru e grande região

Bairros

Em vias movimentadas tem também

Avenidas Nações Unidas, Getúlio Vargas e Comendador José da Silva Martha também são endereços de árvores frutíferas

por Ana Beatriz Garcia

12/01/2020 - 03h40

Malavolta Jr. Malavolta Jr.

Pitangas colorem árvores na quadra 29 da Comendador José da Silva Martha

Boa parte da população passa pelas principais avenidas da cidade em seus carros, motos e transportes públicos, o que dificulta, por vezes, observar os frutos que nascem nas árvores localizadas nesses pontos da cidade. Exemplo disso é um caminho repleto de pitangueiras carregadas, na altura da quadra 29 da avenida Comendador José da Silva Martha, no Jardim Shangri La.

Já que não é grande fluxo de pedestres no local, é possível observar centenas de pitanguinhas espalhadas pelo chão, que acabam servindo de alimento aos animais. E claro que algumas pessoas, que caminham ou passam de bicicleta pelo local, também param para saborear a fruta.

Distante dali, pela avenida Getúlio Vargas - onde, aí sim, o fluxo de pedestres é bastante significativo - um pé de amora dá sabor às caminhadas. Quando a reportagem parou ao lado da amoreira, na quadra 19, José Rubens Ortega, de 67 anos, chegou para procurar por um fruto maduro. “Sempre que vejo alguma frutinha, eu aproveito”, comenta. Ele, inclusive, já tinha comido outras quatro em uma amoreira no canteiro central da avenida. “Quando faço minhas caminhadas, passo nas duas para ver se tem alguma madura”, diz enquanto mostra as mãos ainda avermelhadas do contato com a fruta.

Já em pleno canteiro central da avenida Nações Unidas, na altura da quadra 34, um grande e bonito pé de manga faz sombra em frente à um dos retornos da via. 

Romã na Antônio dos Reis

Malavolta Jr. Malavolta Jr.

Pé de Romã na quadra 8 da rua Antônio dos Reis

Em frente a uma casa, na quadra 8 da rua Antônio dos Reis, um pé de romã chama a atenção dos pedestres. "Tem quem pare, toque a campainha e pergunte se pode levar alguns para casa. Temos esse pé há muito tempo, mais de 30 anos", afirma um dos moradores da casa, René Lopes. Ele ainda conta que o pé de romã é atrativo para outro tipo de apreciadores de frutas. "Tem uns saguis que ficam neste quarteirão e que, às vezes, 'roubam' algumas romãs", finaliza.

Abacateiro em frente ao DAE

Malavolta Jr. Malavolta Jr.

Árvores frutíferas em vias públicas rua Padre João q-11 Pé de Abacate Caption

Apesar de alto, o abacateiro localizado na rua Padre João quadra 11, bem em frente à sede do Departamento de Água e Esgoto (DAE) de Bauru está carregado. Ali, em meio à correria do dia a dia, das empresas que o circundam, o abacateiro passa, praticamente, despercebido. 

Pitangas espalhadas pelas Vilas

Malavolta Jr. Malavolta Jr.

Fernando de Andrade Salles plantou um pé de Pitanga na rua São Lourenço

Boa parte da população passa pelas principais avenidas da cidade em seus carros, motos e transportes públicos, o que dificulta, por vezes, observar os frutos que nascem nas árvores localizadas nesses pontos da cidade. Exemplo disso é um caminho repleto de pitangueiras carregadas, na altura da quadra 29 da avenida Comendador José da Silva Martha, no Jardim Shangri-La.

Já que não é grande fluxo de pedestres no local, é possível observar centenas de pitanguinhas espalhadas pelo chão, que acabam servindo de alimento aos animais. E claro que algumas pessoas que caminham ou passam de bicicleta pelo local, também param para saborear a fruta.

Distante dali, pela avenida Getúlio Vargas - onde, aí sim, o fluxo de pedestres é bastante significativo - um pé de amora dá sabor às caminhadas. Quando a reportagem parou ao lado da amoreira, na quadra 19, José Rubens Ortega, 67 anos, chegou para procurar por um fruto maduro. "Sempre que vejo alguma frutinha, eu aproveito", comenta. Ele, inclusive, já tinha comido outras quatro em uma amoreira no canteiro central da avenida. "Quando faço minhas caminhadas, passo nas duas para ver se tem alguma madura", diz enquanto mostra as mãos ainda avermelhadas pelo contato com a fruta.

Já em pleno canteiro central da avenida Nações Unidas, na altura da quadra 34, um grande e bonito pé de manga faz sombra em frente à um dos retornos da via. 

Ler matéria completa