Bauru e grande região

Bairros

Operação tapa-buraco aguarda chuva passar

Secretario de Obras afirma que os reparos serão feitos apenas em vias de grande fluxo e que representem perigo; operação começará em meados de maio

por Ana Beatriz Garcia

09/02/2020 - 06h00

Tainá Vétere

Quadra 15 da rua Presidente Kennedy tem exemplo de buracos que se repetem em outros pontos da cidade

A chegada do período de chuvas dá destaque a um problema já bastante conhecido pela população e autoridades de Bauru: as ruas esburacadas. Entra ano e sai ano e as condições da pavimentação asfáltica é uma constante preocupação, principalmente nesses meses em que as chuvas alagam e danificam as vias.

O secretário de Obras, Sidnei Rodrigues, afirma que o início para a operação tapa-buracos aguardará a passagem do período de chuvas. Por enquanto, apenas buracos em locais de grande fluxo e que representam perigo aos motoristas e pedestres receberão reparos. "Não é que não estamos fazendo (reparos), mas a massa asfáltica é cara. Então, imagina aplicar todo dia e, no outro, a chuva levar esse dinheiro embora? Estamos nos preocupando mais com os buracos maiores, para evitar acidentes e nos em locais de grande tráfego", comenta.

Segundo informa a Secretaria de Obras, a pasta gasta de 35 a 40 toneladas de massa asfáltica no tapa-buraco para realizar o conserto de, em média, 250 buracos por dia. Para isso, são utilizados dois caminhões da pasta e dois da Administrações Regionais. "A Secretaria de Obras está atuando em vias de tráfego intenso, enquanto os caminhões da Administração Regionais atendem o pedido da população das periferias e bairros", explica Rodrigues.

O asfalto utilizado é produzido na usina do próprio município, e, de acordo com o secretário, a pasta mantém, como retaguarda, contrato com uma empresa terceirizada, que também pode fornecer o material.

OPERAÇÃO

Também a operação tapa-buraco contará com uma terceirização para ser realizada. O processo licitatório que deu início ao processo foi aberto na última sexta-feira (7). "Vamos trabalhar com quatro equipes contratadas, além das da prefeitura. Estamos contratando agora, porque fazer este trabalho no período de chuva, para nós, é enxugar gelo. Nós tapamos o buraco e a massa quente do asfalto se descola com as chuvas", afirma o secretário.

A intenção da pasta é dar início aos trabalhos a partir da segunda quinzena de maio. "A partir do começo de abril, as chuvas já começam a ir embora. Então, pretendemos começar os trabalhos e serão recuperados, em grande escala, todos os bairros", diz.

RECAPEAMENTO

Outra preocupação são quanto às ruas com asfalto antigo que não recebem o recapeamento. De acordo com Rodrigues, há em Bauru cerca de 5.500 quadras de asfalto com mais de 20 anos de uso. "A norma técnica diz que o asfalto pode aguentar até oito anos. A partir disso, começa a ser desgastado e já merecia uma capa. Então, pelo menos essas 5.500 quadras precisariam de um recape, e por isso vemos buracos com frequência", explica.

Ainda de acordo com ele, a prefeitura vem buscando recursos, por meio de emendas com o governo do Estado, para realizar os trabalhos de recapeamento na cidade. "A população está sempre cobrando o recape da rua Bernardino de Campos, avenida Castelo Branco, dentre outras. A prefeitura não tem orçamento específico para este ano. Mas temos cerca de cinco projetos para alguns trechos. Por exemplo, a avenida Pedro de Toledo, que será remodelada e recapeada por meio de uma emenda parlamentar. Já os demais locais, contamos com a ajuda do governo Estadual", finaliza.

 

Ler matéria completa