Bauru e grande região

Ciências

Você respeita o outro? És coerente? Por Alberto Consolaro

22/09/2018 - 07h00

Quando você tenta convencer o outro, menosprezando a escolha e a opção do outro, você está sendo desrespeitoso, deselegante, intolerante e convencido de que és a melhor bolacha do pacote! Calma amigo, você é apenas mais um na multidão, faça a sua parte e respeite o que o outro representa e pensa! Sem você, oh convencido, o mundo continua o mesmo.

Quando você tenta convencer o outro, você está tentando colonizar o interior e invadir a individualidade do outro com seus pensamentos, preconceitos, modos de encarar o mundo com sua moral! Pare, diria Saramago! Quem disse que a sua moral é a melhor? Quem disse que seu pensar é o mais apropriado! Logo você, cara, que geralmente é cheio de taras, manias e coisas erradas varridas debaixo do tapete pois sonega imposto, falsifica programas e aplicativos, faz ligações clandestinas, engana os guardas, para em fila dupla e é deselegante com os humildes e subordinados! Além de baixar músicas e filmes sem pagar nas frentes das crianças!

Deixe as pessoas viverem a seu modo de ser e no próprio espaço pessoal que é dela! No conjunto, a maioria da sociedade faz um consenso predominante que, desta forma, vai respeitar as outras formas de pensar! Não menospreze ninguém por votar em certas pessoas ou partidos! Isto é democracia, mesmo que você considere o candidato dela, uma escolha inadequada! Fazer gozações e piadas com o candidato alheio é humilhar, é se achar o melhor. Repito: você nunca será o melhor!

Quando se diz: - eu não acredito que você vai votar no ciclano! Você está sento autoritário, convencido e desrespeitoso. Seja elegante, diga que a sua opção é outra e ponto. Se perguntarem qual a razão de sua opção, aí sim explique e, se quiser! Mas sem imposições, grosserias e demonstração de superioridade. Temos que respeitar o outro na sua individualidade e integridade.

Além do mais, quando você faz isto, quem assiste ou é a vítima de sua ira, nunca mais terá respeito com você e longe de você demonstrará todo o nojo e rejeição que lhe cabe! Ganhou uma discussão, no mínimo perdeu um amigo! Se toque caro amigo, ainda dá tempo em parar de ser ridículo! Pense assim: eu gostaria que fizesse comigo o que faço com os demais quando tento convencê-los?

A BASE

Lawrence Reed da "Foundation for Economic Education" foi implacável: "o mundo vive um processo de corrosão de caráter, que faz com que as pessoas só pensem em si próprias e isto limita o avanço da economia".

Quem sabe fazer as melhores escolhas não são as mais escolarizadas. Para Lawrence, os alemães da década de 30 eram pessoas muito bem-educadas na arte e filosofia e terminaram em um regime de direita, ditatorial e fascista". Ainda disse: "Você pode ser bem educado, mas sem caráter. A sociedade precisa de pessoas que respeitem as vidas e as propriedades dos outros (músicas, programas, ebooks e direitos autorais), que sejam escrupulosas, comprometidas com a verdade, responsáveis por suas ações e não procurem culpar os outros em seus julgamentos!"

Sobre os brasileiros, Lawrence respondeu: "O problema é que a erosão do caráter tem sido comum. As pessoas não planejam mais seu futuro, vivem para o presente, só pensam nelas próprias e não na sociedade, tentam conseguir coisas à custa dos outros e não são honestas em seus negócios."

EXEMPLAR?

Filho, como comprou este chiclete. Ah, mãe peguei no supermercado e a moça não viu! O rubor tomou sua face e com calma falou: - filho isto se chama roubo, você pegou algo que não lhe pertence!

- Mas, fui no supermercado com meu amigo e ele disse que é normal fazer isto. Que a mãe dele chupa uva no supermercado sem pagar, abre embalagens escondidas e que de vez em quando coloca pilhas na bolsa. Até carteirinha de estudante falsa os pais dele usam para pagar meia entrada!

- Vamos ao caixa pagar o chiclete e pedir desculpas. Nunca esqueça: quem rouba um centavo se capacita a roubar mais de um milhão!

REFLEXÃO FINAL

Antes de tentar convencer e colonizar o interior e a alma do outro com suas opções e escolhas, responda: 1. Mentir, trair, declarações falsas ao telefone e atestados médicos falsos são antiéticos? 2. E enganar os amigos no trabalho é legal? 3. Você é realmente a pessoa perfeita para cobrar e invadir o outro?

Ciência também é questionar!

Alberto Consolaro é professor titular da USP - Bauru. Escreve todos os sábados no JC.