Bauru e grande região

Ciências

Você saberia mesmo perdoar alguém?

por Alberto Consolaro é professor titular da USP - Bauru

21/04/2019 - 07h00

As pessoas ficam perdidas, com os pensamentos embaralhados e as línguas paralisadas quando são indagados: o que é perdão? A voz fica embargada! Diante de tal dificuldade, proponho que para responderem, imaginem-se dentro de uma sala onde ninguém tomaria conhecimento de seus pensamentos, apenas haveriam muitos espelhos! E neste "eu comigo mesmo, apenas isto", respondam para vocês mesmo: eu sei perdoar?

Muitas pessoas, inclusive eu, já ouviram dizer que "a mágoa só faz mal ao hospedeiro!" É verdade, mas tirar a mágoa pode ser apenas uma das etapas desta difícil atitude ou processo chamado perdão. O perdão não está em moda! A vingança, a raiva, a punição e o desamor sim, está na moda e na mídia. Era moda o repórter perguntar às vitimas dos crimes: você o perdoa? Agora não, a pergunta é: o que o senhor (a) espera acontecer agora? A resposta varia muito, mas quase sempre, o perdão não está entre os sentimentos e desejos citados!

O judiciário alivia as penas de quem confessa e pede perdão publicamente? O cidadão embriagado que arrancou o braço do ciclista em São Paulo e o jogou no rio, inviabilizando o reimplante, foi perdoado e, incrível, parece que sinceramente, pela vítima, após muitos anos do ocorrido.

O "cidadão" que cometeu os vários crimes monstruosos de estuprar e matar, identificado, preso e já condenado foi "vítima" da pergunta do repórter: você pede desculpas ou perdão? Ele responde: eu já fiz, então para que pedir perdão? Se ele pedisse, ninguém acreditaria mesmo, nem o repórter que fez a pergunta!

VALIDADE

Perdão tem validade se for sincero interiormente, consigo mesmo, se não vier acompanhado de qualquer retaliação e especialmente se for primariamente para o bem do outro, ou seja do agressor, e não esperando o alívio para si mesmo. O perdão me parece verdadeiro quando é para o próximo e apenas secundariamente para si mesmo.

Perdoar é não se vingar, não retaliar, não tripudiar ainda quando isto for totalmente possível. Perdoar não significa necessariamente abraçar o agressor, conviver com ele e partilhar a vida cotidiana com aquele que lhe fez mal, e nem mesmo, perdoar significa abrir mão de seus direitos civis e indenizatórios.

Perdoar passa por sublimar e não se mortificar pelo sentimento da mágoa, tristeza e solidão. Perdoar sinaliza ao agressor que na vida ele não ganhou um inimigo, apenas indica que ele encontrou alguém com um grau muito maior de compreensão do mundo e suas leis naturais. Se o agressor perceber isto, se sentirá perdoado e dirá: fui mal! Aí se arrependeu mesmo. Caso ele não tenha esta sensibilidade para tanto, o tempo o conduzirá necessariamente para este caminho: apenas o tempo e nada mais! E pode demorar anos, ou vidas!

O marido da vítima grávida, estuprada e assassinada que deixou duas crianças pequenas órfãs respondeu ao repórter: sim, eu o perdoo pelo que fez! Já, o profundamente sincero e experiente taxista do alto de seus 72 anos de vida, esfaqueado no peito pelo agressor, respondeu: este cara tem que ser morto! Não o perdoou.

Perdoar não é indenização do tipo: "perdoo porque senão vai me fazer mal para mim; senão fica prejudicando a gente mesmo." Isto não é perdão no sentido maior do cristianismo e ou do humanismo, pois está se perdoando para obter benefícios próprios. Perdoar de verdade não é fácil, é muito difícil por que é para o próximo e não para si mesmo. Se colocar no lugar destas vítimas e de seus parentes mais próximos, que ainda assim perdoam seus agressores, pode representar um exercício de humildade e reflexão sobre nosso autoconhecimento.

POR FIM

Analise as redes sociais! Nas mensagens que recebe e as que envia aos seus amigos e família! Quantas pregam o amor e o perdão? Quais são aquelas que o assunto não passa pelo ódio, intolerância, preconceito e violência gratuitos! As redes sociais são nosso ambiente de vida, a forma como nos comunicamos com o mundo, é nossa voz!

Faça um levantamento numérico em suas mensagens recebidas e enviadas. Quantas falam de ódio, intolerância, preconceito e violência! Ser for mais que 30%, reconheça-te como alguém que precisa repensar sua forma de viver! Eu tive que fazer isto para lhe desejar uma Feliz Páscoa!