Bauru e grande região

Ciências

Quase ninguém quer ser professor! Por Alberto Consolaro

15/06/2019 - 07h00

A plenitude de ser professor requer valorização social e remuneração digna!

Quase ninguém opta por ser professor por duas razões muito simples: 1ª) Uma profissão deve lhe dar distinção e orgulho a si mesmo na sociedade que vive, incluindo a sua família. O respeito está inserido na distinção. 2ª) A remuneração da profissão deve lhe oferecer dignidade de viver a começar pela vestimenta, alimentação, transporte, lazer, moradia e aposentadoria.

DUAS HISTÓRIAS

A primeira se deu no respeitável Japão. Por onde passa o venerado imperador, todos, indistintamente, se curvam frente a ele em uma deferência super especial. Apenas os professores não precisam fazer tal cumprimento, pois um certa vez ele determinou: "- Professores estão dispensados desta forma de se portar frente ao imperador, pois se não houvessem professores, não haveriam imperadores!". O líder de uma nação, necessariamente, tem que ser um sábio.

A segunda história dizem que aconteceu na Alemanha, onde a primeira-ministra Ângela Merkel, em seus debates e discussões, teve que se explicar em uma assembleia de magistrados sobre por que não concordava com a remuneração que pleiteavam para as suas atividades. Ela explanou e serenamente saiu mais admirada do que entrou naquele recinto: "- No país eu devo ter como parâmetro de remuneração os professores; nenhuma profissão deve ganhar mais que os professores, pois sem eles não haveria nenhuma outra profissão!"

CONHECIMENTO

Por onde queira circular no mundo do conhecimento ou da informação, entre na internet, veja os bancos de dados, os vídeos, consulte as mídias e vejam os sites. Se quiser fazer de forma antiga, vá até a biblioteca, circule por entre as estantes com os livros, revistas e outras formas concretas de dados, o que também é muito bom. Um professor não deve ser respeitado e muito bem recompensado pelo que leu, assistiu ou ouviu na vida. O professor trabalha a informação, extrapola e aplica o que chamamos de conhecimento. A isto também se dá o nome de sabedoria.

Conhecer é pensar, tem relação direta com o saber da finalidade das coisas e da razão de ser! A história é a história do conhecimento e conhecimento verdadeiro é aquele que atinge as razões e causas das coisas, não simplesmente as coisas. Pensar é prerrogativa, direito e obrigação perante a vida recebida. No momento que o homem procura ultrapassar o simples conhecer pelo empenho em pensar, vai despontando o elemento básico do viver com a abstração, reflexão, crítica e a objetividade. E não há razão para temer o espírito crítico e a reflexão viajante de um pensador, pois não há razão para temer a verdade.

SABEDORIA

"O que muda um povo e seu país não é simplesmente a educação, mas sim a cultura, criando-se acesso e estimulando-a em todos os níveis sociais, econômicos e etários!". Uma escola é lugar para se praticar a abstração e a reflexão a partir do conhecimento. A educação na escola serve para fazer dela, uma maternidade da cultura!"

Um homem sábio é sereno, elegante e seguro. Ele usa toda informação, todo conhecimento, toda capacidade de abstração para refletir e tomar as melhores decisões. O professor na acepção da palavra é assim: diante do conhecimento que se buscou ou se apresentou, ouve todas as possíveis interpretações, abstrações e reflexões, conduz o pensamento para um caminho do consenso dentre as diferentes possibilidades.

Sem o consenso nas diferenças, nunca seremos iguais na convivência com paz, respeito e democracia. O professor desde o ensino primário até a pós-graduação, ao fazer o seu papel ensina necessariamente a ser democrático, pacífico e respeitador do pensamento e do jeito de ser do outro. O outro é aquele que Jesus chamou de "próximo" e que aliás faz parte de uma "família"! Todos somos o próximo de Jesus e representa a família que temos, incluindo os mais desqualificados e desprezíveis da sociedade!

FINALMENTE!

Ser professor é ser democrata, é induzir reflexão, é ser crítico e analítico com qualquer ideia, é fazer o outro pensar! Ser professor é induzir os alunos a amarem um ao outro, mesmo que muito diferentes entre si! Talvez por isso que uma pesquisa mundial revelou que o Brasil é o país que menos valoriza no mundo, em todos os sentidos, a figura do professor!

A educação e a cultura choram!

Alberto Consolaro é professor titular da USP - Bauru. Escreve todos os sábados no JC.