Bauru e grande região

Ciências

Observatório

Comunique-se Email: [email protected]

14/12/2019 - 06h00

Os medicamentos aplicados nas lesões herpéticas ficam ativos pouco tempo no local, menos ainda nas mucosas. Alimentos, saliva e os movimentos da língua e lábios removem precocemente o remédio. Aplicações locais como radiações, laser e outras estratégias, atuam momentaneamente e representam uma terapêutica complementar.

Em pesquisa governamental recente, 70% dos brasileiros acham que antibióticos atuam sobre os vírus! Antibióticos atuam sobre bactérias, sobre os vírus atuam as drogas antivirais. Bactérias são seres vivos unicelulares e geralmente se localizam por entre, fora das células. Muitas poucas bactérias gostam de ficar dentro das células onde, geralmente, são digeridas, eliminando-as. As bactérias têm metabolismo próprio e se multiplica por si só!

Os vírus são muito menores que as bactérias, muitas vezes menores. Os vírus parecem minúsculos "frutinhos" onde se tem uma ou duas capas ou cascas, chamada de capsídeo e envelope e, no seu interior, tem um filamento de DNA ou RNA. Raramente tem algo além disto, às vezes uma ou outra enzima ou proteína. Vírus não têm metabolismo próprio e para se multiplicar precisam estar dentro de uma célula.

HERPESVÍRUS

Ele entra dentro das células da pele ou mucosas e mistura o seu DNA com o destas células. Pronto, agora as células contaminadas só irão fazer isso: sintetizar moléculas para fabricar novos vírus e mais nada, até que morram por esgotamento, mas antes fabricam bilhões de vírus por hora!

A resposta inflamatória contra isto resulta em vesículas ou bolhas e o corpo retoma o controle da região entre 7 a 10 dias. Depois disto, muitos vírus ficam escondidos e quietos dentro das células da pele ou mucosas, enquanto outros entram nos nervos do local e por eles viajam até o gânglio neural mais próximo do cérebro ou da medula, onde ficam em latência até a próxima oportunidade para sair e de novo provocar a doença!

TRATAMENTO

A cada recorrência, novos bilhões de vírus se formam. Para parar este processo, as drogas antivirais para herpes, por exemplo, são formadas por uma guanina "anômala" para competir e entrar na formação de vírus dentro destas células. Guanina junto com a adenina, citosina e timina formam o DNA viral. Vírus defeituosos com guanina anômala não fazem nada contra nós. As drogas antivirais atuam por competição na síntese de novos vírus, especialmente de seu DNA.

Se todas as vezes que o vírus sair das células e nervos, a droga antiviral atuar, depois de algumas recorrências, não se terá mais herpesvírus para gerar a doença. Mas tem que ser assim: pensou ou imaginou que o herpes vai aparecer, tem que tomar o remédio receitado. Se esquecer ou tomar atrasado já era, bilhões de vírus se formarão e recomeça tudo de novo!

Se for metódico, quase que neurótico, pode se curar da doença!

Ler matéria completa