Bauru e grande região

Cultura

Expectativas racionais

Edy Rock, dos Racionais MCs, fala sobre show em Bauru na Virada Cultural, revela repertório e pede atenção com segurança

por Da Redação

11/05/2012 - 00h35

 

A voz da periferia ganha seu espaço e o rap é um dos ritmos que vai marcar presença durante a 6º edição da Virada Cultural Paulista, que acontece nos próximos dias 19 e 20 de maio em várias cidades do Estado de São Paulo. Em Bauru, o grupo Os Racionais MCs são atração principal e sobem no palco do Parque Vitória Régia a partir da meia-noite do dia 20 (domingo). Liderados por Mano Brown, os “Racionais” prometem tocar os hits “Jesus Chorou”, “Negro Drama”, entre outras.

 

As letras dos MCs geralmente são carregadas de críticas sociais e versam sobre a realidade das periferias urbanas, narrando e denunciando situações que envolvem o crime, a pobreza, a violência, o preconceito social e racial, drogas e consciência política. O JC divulga a entrevista com o vocalista Edy Rock, um dos “cabeças” dos Racionais, realizada pela Secretaria de Estado da Cultura. Confira os principais trechos:

 

 

 

O que significa participar de um evento como a Virada Cultural Paulista?

 

Edy - Sempre é uma satisfação enorme fazer parte de manifestações populares, representado uma delas, no caso o rap. Fico feliz por sermos lembrados e não vamos decepcionar! Espero que o contingente de segurança, que é o principal em shows de rua, esteja devidamente preparado pra lidar com a multidão!

 

 

 

Qual sua expectativa com relação ao evento?

 

Edy - A melhor possível, se tratando de Racionais, o local e a ocasião totalmente novas. Vai ser a primeira vez que o grupo toca em um evento ao ar livre organizado pela Virada. Temos pouca relação com o Governo do Estado, espero que essa seja a primeira de muitas! 

 

 

 

O que você acha dessa iniciativa do governo do estado de São Paulo?

 

Edy - Estou torcendo para dar tudo certo do início ao final e que as pessoas participem e estejam com a intenção apenas de se divertir e não causar tumultos. Que estejam lá pra curtir, ouvir o que nós temos pra falar, para cantar novidades e mensagens, e não confundir a ocasião com um campo de guerra. A iniciativa do governo é ótima, mas existem direitos e deveres mútuos.

 

 

 

Fale sobre o show que será apresentado. Qual o repertório? Quais os destaques?

 

Edy - Estamos misturando sons do “Sobrevivendo no inferno” e “Chora agora e ri depois” com músicas novas, inclusive do meu CD solo que está programado pra sair em meados de maio e junho, com a música carro-chefe “That’s my way” gravada com Seu Jorge. Entre outras, como “157”, “Diário de um detento”, “Mágico de Oz”, “Jesus chorou”, “Mulher Elétrica”...

 

 

 

Tem algo especial reservado para a Virada?

 

Edy - Um show eletrizante, de uma hora e meia no mínimo. E quem comparecer não se arrependerá! KL-jay, como sempre, o maestro nos toca-discos, Helião do RZO, Lino Krizz e mais.

 

 

 

Reunião discute evento hoje

 

O secretário municipal de Cultura, Elson Reis, participa de reunião nesta sexta-feira com secretarias, autarquias e Polícia Militar (PM), todos envolvidos na organização da Virada Cultural Paulista 2012.  Em pauta, estão a discussão sobre interdições, segurança e fiscalização de comércio nos locais em que acontecerão os shows da Virada. A reunião será no auditório Helvécio Barros, no Centro Cultural da av. Nações Unidas 8-9, a partir das 9h.

 

 

 

Virada no ritmo de rap

 

Também no dia 20, a cidade de Indaiatuba recebe o rapper Emicida e a cantora Negra Li. Emicida ganhou popularidade nos últimos anos e é considerado pelos críticos a grande revelação do hip-hop. Sua apresentação acontecerá no Palco Parque Ecológico, à meia-noite. No mesmo palco, vinda diretamente da Brasilândia, periferia de São Paulo, Negra Li soltará a voz em show que tem início às 16h30. E é na cidade de Mogi Guaçu que Emicida e o hip hop se despedem da Virada. O artista irá se apresentar no domingo, 20, no Palco Avenida dos Trabalhadores às 18h.  A Virada Cultural Paulista é promovida pelo governo do Estado de São Paulo em parceria com 27 municípios e com o Sesc-SP. Cerca de mil atrações estão confirmadas, entre espetáculos de teatro, dança, música e stand-up comedy.