Bauru e grande região

Cultura

A ?estrela? da diversidade

Em entrevista ao JC, Kelly Key conta detalhes do show de encerramento da Parada da Diversidade em Bauru

por Mariana Cerigatto

31/08/2013 - 05h00

Divulgação

"Nas músicas que fiz e canto procuro abordar temas de relacionamento"

“Levanto a bandeira da liberdade! Tem algo melhor do que ser livre?”, expressou Kelly Key ao justificar seu apoio à bandeira pela diversidade. A cantora – dona de sucessos como “Baba”, que ficou bastante marcado entre adolescentes e jovens – é uma das atrações principais da 6ª Parada da Diversidade de Bauru, amanhã, com show gratuito de encerramento no Parque Vitória Régia, a partir das 18h.

Na apresentação, Kelly – que já esteve em Bauru – vai “passear” por sucessos de sua carreira que viraram hits conhecidos. Ela promete também fazer releitura de algumas músicas que gosta. Atualmente, a artista tem sua carreira associada ao público infantil pela participação no “Ídolos Kids” e com o lançamento do novo disco, “Kelly Key Festa Kids”. Entretanto, Kelly diz não estar focada neste público, sendo o CD apenas um projeto dentro de sua história musical.

O álbum traz diversas releituras de sucessos das casas de festas infantis, como “Super Fantástico”, do grupo Balão Mágico, “Vamo Pulá”, da também extinta dupla Sandy & Jr, e “Aquarela”, em que a cantora conta com a participação dos filhos. E ainda, o álbum traz a inédita “Parabéns da Kelly Key”. Escrita por ela, em parceria com Dennis DJ e Andinho, a intenção é que a canção se torne tão popular quanto a clássica “Parabéns da Xuxa”.

Público LGBT

A cantora é associada ao público LGBT desde o início de sua carreira. Porém, foi quando lançou seu disco “Remix Hits”, em 2002, que Kelly começou a realizar diversos shows em boates voltadas para o público “mix”. Mais tarde, já em 2011, a artista apostou em turnê apenas em boates do gênero, a “In The Night Tour”, com um repertório de seus sucessos remixado por Mister Jam, covers e uma nova canção.

A cantora também já declarou seu apoio ao casamento homossexual e, em entrevista à revista Veja, Kelly disse que se sentia livre cantando para o público LGBT e que defendia mais cantoras valorizando-os. Outro destaque é a Parada Gay de Florianópolis, onde Kelly ergueu a bandeira do orgulho LGBT e levou as pessoas pelas ruas para lutar pela diversidade e pelo casamento homossexual sob o lema “Por que seu amor pode e o meu não?”


‘Apresentação será divertida e dançante’, promete cantora

Em entrevista ao JC, Kelly Key promete fazer um show bastante divertido e dançante para encerrar a sexta edição da Parada da Diversidade em Bauru. Confira:

JC: Você agora parece estar com a carreira mais focada ao público infantil. O que te levou a trabalhar com este público?

Kelly: Minha carreira não é focada para o público infantil, só achei interessante fazer um CD de festa, no momento do Ídolos Kids (um programa para a família) para comemorar meus dez anos de carreira. O CD ‘Festa Kids’ foi um projeto dentro da minha história musical.

JC: Suas músicas fizeram sucesso por retratar situações em que os adolescentes se identificaram. Mas, também foram alvo de algumas críticas, algumas chegaram a apontar até certo “apelo sexual”. Como você encarou isso?

Kelly: Nas músicas que fiz e canto procuro abordar temas de relacionamento. Gosto de falar de amor de várias maneiras, me identifico com isso e acho que o público se identifica também. Mas não me lembro de ter cantado nada com apelo sexual. Sensual talvez... Não vejo mal nenhum nisso.

JC: Apesar de você ter trabalhos atuais voltados para público infantil, sua figura ainda ostenta a imagem de “mulherão” e até “símbolo sexual”. Concorda com isso?

Kelly: Sou uma mulher de 30 anos! Esposa há 12 anos, mãe de dois filhos, uma quase adolescente de 12 anos e um menino de oito. Não preciso provar mais nada para ninguém. E me cuido para estar bem, com saúde. Cuido da minha pele, do meu corpo. Adoro um elogio! E, mesmo se estivesse somente focada no público infantil, o que não estou, não veria problema nisso!

JC: Você vai encerrar a Parada da Diversidade em Bauru. Qual ligação tem com o público LGBT?

Kelly: Sempre estiveram presentes nos meus shows! Sempre acompanharam meu trabalho! Não há verdade maior que essa.

JC: Tem orgulho de defender a bandeira da diversidade?

Kelly: Levanto a bandeira da liberdade! Tem algo melhor do que ser livre?

JC: O que traz de repertório para Bauru? Como será o show?

Kelly: Vou levar todos os meus sucessos, além de releitura de algumas músicas que gosto bastante! Todas com uma nova leitura musical. O show será bem divertido e dançante.

Leia também

Balada solidária com Beyoncé Cover

Piquenique da Diversidade ocorre hoje no Vitória Régia