Bauru e grande região

Cultura

O fôlego de Agnaldo Timóteo

por Aline Mendes

03/09/2015 - 07h00

Imagina quanta história Agnaldo Timóteo tem para contar com 77 discos gravados e mais de 150 “sucessos populares”, como ele gosta de frisar. 

Divulgação
Show traz vários sucessos que marcaram a carreira do cantor como “Quem É” e “Sonhar Contigo”


Parte dessa trajetória é cantada no show “50 Anos na Estrada Asfaltada”, que estará em Bauru no dia 25 de setembro, às 22h30, na Sociedade Hípica. 

Além de canções que marcaram época, o público pode esperar novas interpretações e homenagens aos ídolos do cantor: Roberto Carlos, Nelson Gonçalves, Ângela Maria, Dalva de Oliveira e Waldick Soriano.

Também não faltam romantismo e personalidade, em um estilo inconfundível. 

“Tenho um respeito tão grande pelo meu público que no show faço questão de estar impecavelmente vestido e cantar músicas que falem de amor. E tenho facilidade de me comunicar com o meu público, permitir que dancem e fiquem à vontade. Em Bauru não será diferente”, promete o cantor em conversa com a reportagem do Jornal da Cidade.

“Quero que nossos leitores não me neguem o privilégio e a honra de suas presenças no show para cantarmos juntos essas canções e a oportunidade de estar em suas casas com o DVD, um documento que registra um pouco da minha vida nesses 50 anos de palco”, convida.

Bate-papo 

 

Jornal da Cidade - O que foi mais marcante nesses 50 anos de carreira?

Agnaldo Timóteo - “Tive muitos momentos inesquecíveis da alegria de ter milhares de pessoas acenando com lenços brancos a chegar e sair para um show no carro da patrulha policial. Minha carreira se divide em duas partes: antes e depois do meu envolvimento político. 
Como cantor, jamais me manifesto politicamente no palco. E como político sou muito contundente. Isso me fechou muitas portas, mas eu sobrevivi, porque meu público é grande e absolutamente fiel. Agnaldo Timóteo tem uma imagem de família”.

JC – E o que tem pensado sobre política?

AT – “Eu continuo político, politizado, e intransigente a certas pessoas desse país e a partidos. Eu não tenho partido, eu sou Brasil. Fico extremamente chocado quando a oposição exige da presidenta que faça coisas que não fizeram quando governavam. 
O mundo passa por um momento delicado e, no Brasil, não é diferente. Temos que enfrentar nossas dificuldades e recolocar o Brasil onde ele deve sempre estar, como país importante que é”.

JC – Como se comunica com seu público?

AT  –  “Eu me dou o direito de passear, dirijo meu automóvel pra lá e pra cá, visito os amigos, ando a pé, sou muito fotografado nas ruas e falo com as pessoas, onde quer que eu esteja. E é evidente que eu tenho por esse público absoluto carinho e respeito”.

JC – Sua plateia conta também com jovens?

AT – “Hoje vai muita gente jovem no meu show. O jovem tem sido massacrado com músicas de péssima qualidade, que não tem letra e melodia, nem sentido e respeito com o público. Por isso quando me veem na televisão ou na internet, acabam se aproximando para ver como é. Quem vai nos substituir quando Jesus Cristo assinar nosso passaporte? Eu não tenho similar...”.

JC – O que gosta de ouvir? Alguém das novas gerações?

AT – “Quando estou viajando ouço Agnaldo Timóteo, às vezes escuto Roberto Carlos e Johnny Mathis, que me ensinou muito. Dos novos, gosto muito do Mumuzinho e do Thiaguinho, também do Péricles, que já não é tão novo!”.

JC – Há uma música emblemática na sua carreira?

AT – “Em 1967, Roberto Carlos era apaixonado pela Nice, que teve grande um papel importante na vida dele. 
Como ele não queria que ninguém tomasse conhecimento disso, fez a música ‘Meu Grito’ e me presenteou. Essa música veio no meu terceiro LP e alicerçou minha carreira”.

Serviço
O show de Agnaldo Timóteo será dia 25 de setembro, às 22h30, na Sociedade Hípica de Bauru. Mesas e ingressos à venda na secretaria do clube. 
Informações: (14) 3236-1255 e (14) 99651-5050 (fone/whatsapp). Estacionamento gratuito nas dependências da Hípica. Apoio: Jornal da Cidade e 96 FM.