Bauru e grande região

Cultura

"O livro que canta" será DOC show

Projeto de Nélson Itaberá tem aprovação no selo Proac para gerar documentário em vídeo que une literatura e música em espetáculo teatralizado

24/09/2017 - 07h00

Henrique Crivelli/Divulgação
O show musical com uma sala de leitura no palco vai virar documentário por Nélson Itaberá
Divulgação
Jornalista que se enveredou pelos caminhos da música e da literatura já fez vários shows

O livro e CD contendo narrativas, contos, crônicas e textos jornalísticos sobre identidade cultural brasileira juntou-se à música e percorreu palcos de diversos teatros do Interior Paulista na obra "Literatura cantada". Agora, o projeto recebeu a aprovação do selo Proac do edital da Secretaria Estadual de Cultura do Estado de São Paulo para ser um documentário. Ancorado no ineditismo de aproximar a entoação da literatura em forma de canções, o projeto assume o desafio de se transformar em uma espécie de DOC show.

O autor, o jornalista e compositor Nélson Itaberá Gonçalves, tem pela frente a missão de produzir um documentário que apresente, e explique, a proposta de relacionar sílabas com notas musicais e de roteirizar, no palco, a teatralização musical do projeto. Para isso, o projeto ganha a assinatura do produtor musical e instrumentista Rogério Plaza Silva, de Marília (SP), com a direção musical do também músico e produtor Josiel Rusmont, de Bauru.

"A primeira etapa do projeto envolveu pesquisa em linguagens, em textos literários e aproximação entre contos, narrativas e contos com a canção. A segunda etapa foi roteirizar o show musical em cima do palco, com teatralização. Esta fase quer apresentar esses conteúdos em forma de documentário, percorrendo a língua portuguesa, a pesquisa sobre identidade cultural brasileira inserida no livro e o uso dessas informações como show musical no palco, um espetáculo que oferece reflexão e mergulho nas estórias e histórias das narrativas", aborda o autor.           

A proposta do autor é atingir diferentes públicos e conteúdos. "O livro 'Literatura cantada' propõe a relação entre o ritmo linguístico e a composição de canções. Depois teatralizamos o show para promover reflexão entre esses conceitos. O desafio agora é fazer um documentário que amarre essas estruturas e ofereça um projeto em vídeo a educadores, estudantes, interessados em identidade cultural brasileira e em música, em história, em sociologia, em letras, em literatura", conta.

Divulgação
Outra cena de show recente: ambiente em sintonia com som

Para Josiel Rusmont, o show no palco mergulha dentro das pessoas. "A música se oferece como rito de passagem. O público curte a variação de estilos nas composições do Itaberá. Mas o que acho genial da proposta é que ele faz cada um mergulhar dentro de si, dos nossos medos, da revisão de nossos planos de vida e de como deixamos coisas simples de lado para entrar na correria do dia a dia. É muito difícil o público não se envolver emocionalmente com os temas que o espetáculo sugere", opina. 

DOCUMENTÁRIO

O jornalista conta que o projeto foi "abraçando" diferentes plataformas ao longo de sua concepção.

"O jornalismo apresenta oportunidade de burilar palavras, de organizar conteúdos em frases com estratégia todos os dias em uma redação. Eu sai a campo pesquisar como a estrutura sonora das palavras poderiam ajudar nesse processo. Minha contribuição é que, de um lado, estudantes possam perceber que o mergulho no conteúdo sonoro da língua portuguesa alimenta o aprendizado na criação de um texto", apresenta.

Assim o formato DOC Show tem a incumbência também de servir de ferramenta para a educação. "Se a pesquisa ficasse restrita ao show bastaria o CD. O livro dá suporte ao que foi pesquisado, em sociologia, em história e no uso da língua portuguesa para a música se unir aos textos. O documentário sugere a educadores discutir a identidade cultural brasileira a partir da música, de que forma as diferentes fases da rejeição social na formação de nossa sociedade ajudam a entender essa nossa identidade musical híbrida, de muitas facetas", comenta.  O projeto aprovado pelo selo Proac que percorreu oito cidades na primeira etapa, agora vai se apresentar em mais 10 cidades do Interior paulista, com shows gratuitos. O DVD será lançado em meados de 2018. 

SERVIÇO

O show "O livro que canta" tem entrada gratuita graças ao patrocínio master da Plasutil, Supermercados Confiança e os apoios da Cral Baterias, Mezzani e Thermic. A agenda pelo Interior tem apresentação no Teatro Municipal de São Carlos em 29 de setembro e no Teatro Municipal de Pederneiras em 5 de outubro, com início às 20 horas.