Bauru e grande região

Cultura

Uma nova inclusão em documentário

Produtores de Bauru lançam campanha para realização de segundo trabalho do tipo

19/05/2019 - 07h00

Divulgação
Rene Lopez e Maria Luiza Mariano (diretora da Emei Lions Club) durante gravação de depoimento inserido no primeiro filme: essa produção está disponibilizada

Está lançada a campanha de financiamento coletivo para a realização de novo documentário sobre inclusão por produtores de Bauru. Trata-se de uma sequência do primeiro trabalho, "Não me esqueci de você", cuja estreia ocorreu em 2018. Agora, o título ganhou uma dimensão mais específica: "Não me esqueci de você - Mercado de Trabalho".

Conforme sugere o nome, o foco do longa-metragem é a acessibilidade de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho. As informações são dos divulgadores.

O lançamento da campanha ocorre ao mesmo tempo em que o grupo disponibiliza publicamente a sua primeira obra. "Não me esqueci de você" é um filme que discute a educação inclusiva na rede pública de educação e que passa a estar disponível online de forma gratuita. 

INSERÇÃO

Sobre o novo desafio, o diretor do projeto, Rene Lopez, considera que é importante refletir sobre o lugar ocupado pelos adultos com deficiência na sociedade: "As crianças com deficiência têm garantias de acolhimento na infância e, frequentemente, têm atenção educacional e terapêutica. Isso faz com que, de alguma forma, elas possam estar inseridas socialmente. Por outro lado, é difícil encontrarmos adultos com deficiência nos espaços sociais. Temos a sensação que, conforme a pessoa vai crescendo, vai perdendo a rede de apoio para a inclusão social".

Assim, surgiu a ideia de investigar a inclusão no mercado de trabalho. Ele explica que a socialização da pessoa adulta é muito vinculada aos ambientes profissionais que ela frequenta. "O trabalho dá autonomia, ajuda a construir um sentido de existência e contribui para que as pessoas se sintam partes do todo. Por outro lado, sem ética e compromisso social, estes ambientes podem se revelar palcos para a perpetuação de preconceitos e exclusões".

Além de Lopez, a equipe de produção do documentário é composta também pela produtora Paula Marques, pelo diretor de fotografia Conrado Dacax e pelo editor Bruno Jareta.

FINANCIAMENTO

Para viabilizar a produção, Lopez conta que foi lançada uma campanha online para arrecadar fundos que garantam a execução do filme. A equipe espera conseguir o financiamento integral do projeto para a produção de um longa-metragem documental com entrevistas de pessoas com deficiência, empregadores e especialistas.

"O novo documentário, assim como o primeiro, será produzido integralmente em resolução 4k e contará com a tradução em libras, além de oferecer audiodescrição de modo a torná-lo um produto acessível, que valoriza a diversidade e inclusão".

Na plataforma de financiamento, são oferecidas cotas de apoio com valores entre R$ 10 e R$ 100 e cotas de patrocínio de R$ 2000 para empresas que tenham interesse em investir no longa. Quem colaborar recebe uma recompensa de acordo com a cota escolhida.

SERVIÇO

A campanha para financiamento do documentário "Não me esqueci de você - Mercado de trabalho" está disponível no link: catarse.me/naomeesquecidevoce e é possível contribuir até o dia 13 de julho de 2019. O primeiro filme está disponível na íntegra no site do projeto: www.naomeesquecidevoce.com.br

Divulgação
A página que dá detalhes sobre financiamento do projeto: catarse.me/naomeesquecidevoce

Pergunta-se

No Brasil, a legislação garante que empresas com mais de 100 funcionários devem contratar pessoas com deficiência para seu quadro funcional, a obrigatoriedade gera oportunidades de quebrar preconceitos, desenvolver potencialidades e ainda garante um espaço social diverso. Mas de que modo a lei vem sendo aplicada? As vagas têm sido preenchidas de maneira ética, garantindo espaço para quem realmente precisa? De que maneira as empresas se responsabilizam pela real integração dos funcionários e possibilitam o desenvolvimento de suas competências?

Essas são algumas das perguntas que o documentário propõe discutir.