Bauru e grande região

Cultura

Coletivo RPretas exibe documentário

'Visionários da Quebrada' será apresentado a partir das 19h, no Teatro Municipal, com entrada gratuita; pede-se doação de agasalho ou alimento

10/07/2019 - 07h00

Divulgação
Da esquerda para a direita: Pryscila Galvão, Luana Protazio, Mariana de Moraes

Uma imersão nas quebradas de São Paulo conduzida por personagens que contam suas histórias e revelam a potência de atuações que mudam suas comunidades no fazer da vida cotidiana. Esse é o conteúdo do documentário "Visionários da Quebrada", que será exibido pelo Coletivo RPretas nesta quarta-feira, 10/7, às 19h, no Teatro Municipal de Bauru.

A entrada é gratuita, mas a organização pede a colaboração de 1 quilo de alimento não perecível ou agasalhos, que serão doados para famílias do assentamento Canaã.

"Nossa proposta é trazer a questão apresentada pelo filme para a nossa realidade local, afinal, quantas potências habitam as periferias bauruenses? Quantos de nós transformamos nossa vivência e cotidiano ao fazermos o que acreditamos?", questiona Mariana Moraes.

Ela, Luana Protazio e Pryscila Galvão criaram o RPretas. "É um coletivo idealizado por três mulheres pretas, comunicadoras, relações-públicas, que acreditam que a comunicação é um fator transformador na vida das pessoas. Pensando nisso, surgiu a necessidade de produzir conteúdos e plataformas que organizassem e catalogassem a cultura, os empreendimentos e projetos do povo negro e periférico, que há tempos já vem produzindo na cidade de Bauru", explica.

De acordo com Mariana, o RPretas também se propõe a contribuir com a discussão voltada a invisibilidade dos profissionais negros de comunicação no mercado e na academia. "Acreditamos que só uma comunicação verdadeiramente plural pode construir novas narrativas, paradigmas e representações", conclui. Mais informações obre o coletivo podem ser obtidos pelo endereço: https://linktr.ee/rpretas

SERVIÇO

Documentário "Visionários da Quebrada": 10/7, hoje, às 19h, no Teatro Municipal de Bauru - av. Nações Unidas, 8-9. Entrada gratuita (pede-se a colaboração de 1 quilo de alimento não perecível ou agasalhos).