Bauru e grande região

 
Cultura

'Trocadilho Xoteado': música a serviço da linguística

Canção integra pesquisa de Nelson Itaberá sobre sílabas e notas musicais

20/05/2020 - 05h11

Júlio Furtado

Jornalista e compositor Nelson Itaberá: maio no ritmo de junho

O jornalista e compositor Nelson Itaberá divulga "Trocadilho Xoteado" - canção que integra tanto o documentário "Linguagens", de 2019, quanto a sequência de sua produção literária. A ideia é dar ênfase à faixa às vésperas do calendário junino.

Itaberá segue com seus estudos sobre a relação entre sílabas e notas musicais e o uso de elementos da literatura em construções musicais como a narrativa.

A produção, portanto, explora fonemas, figuras de linguagem e muito humor. 

A música nasceu de uma brincadeira com a literatura e os fonemas, conta o autor.

"Xote é um 'estilo' de dança marcada que percorreu minha infância. A influência sulista que ganhou o Norte do Paraná e o sudeste paulista, onde tem terra roxa, fez quem nasceu 'pé vermeio' dançar muito vanerão e xote marcado nos bailes, antes nos terrenos batidos dos vilarejos".

Então, diz Itaberá, surgiu a ideia de usar a literatura para "amarrar" o "Auto da Compadecida" e elaborar uma narrativa comportamental brincando com fonemas. Primeiro porque a peça teatral do genial Ariano Suassuna retoma elementos do teatro popular, contidos nos autos medievais, e da literatura de cordel, exatamente para exaltar os humildes e satirizar os poderosos e os religiosos que se preocupam apenas com questões materiais.

O compositor, então, aproveitou o ironia sofisticada da obra de Suassuna para falar, ao mesmo tempo, de folclore, crendices e linguagem. E no ritmo, de xote, e sem deixar o humor de lado na letra.

Desta forma, a canção "Trocadilho Xoteado" tem "estória" na letra. O enredo traz o "conflito" de um casal interiorano, entre a diversão e a igreja. O "homi" quer ir pro baile , mas a mulher, beata, pretende "garrar" na novena.

A ironia da narrativa convoca a bem humorada contradição entre o "peso" de pagar promessa e o gosto pela boemia.

Na segunda parte, a letra também "brinca" carinhosamente com o espírito de contradições, a partir de sutilezas de sentido (semântica) embutidas nas próprias frases, como em "Ainda não sei de nada, mas fico esperto de quase tudo"…. "A vida passa todo dia, mas deixa peça amarrotada".

Marca registrada em várias canções do autor, a desfragmentação de palavras também está presente em "Trocadilho xoteado". Como na frase: "Esse negócio nega o ócio, nego".

O que seria o "refrão" faz uma crítica bem humorada a letras do cancioneiro brasileiro: "Se é pra rir do rimar, MARAVILHA…. do MAR VI A ILHA..".. "Se é pra te ENCIUMAR, ADVINHA… em si o mar, advir a vinha"…

SERVIÇO

A canção está no YouTube e Facebook (Nelson Itaberá).

Link direto: https://www.youtube.com/watch?v=Gzupgzqfg04&feature=youtu.be

Ou confira logo abaixo:

Ler matéria completa