Bauru e grande região

 
Cultura

Classe artística de Bauru pede apoio emergencial

Eles têm expectativa de receber algum amparo da Secretaria Municipal de Cultura durante a pandemia

por Ana Beatriz Garcia

28/05/2020 - 04h48

Arquivo Pessoal

Paulo Tonon fala sobre pedidos do Conselho Municipal de Política Cultural: esperança por um edital sobre remuneração em lives

Artistas bauruenses de diversos segmentos estão se manifestando, por meio das redes sociais e do Conselho Municipal de Política Cultural da cidade, para que haja um projeto municipal que auxilie a classe neste período de quarentena. O secretário de Cultura, Rick Ferreira, afirma estar atento aos pedidos e elaborando uma ação (leia mais abaixo).

Representante do audiovisual e 1.º secretário do conselho, Paulo Tonon diz que a demanda é antiga e não foge dos padrões de iniciativas elaboradas por outras cidades - maiores e menores. "Desde março, quando tudo começou, já iniciamos pedidos por um edital que remunerasse os artistas por meio de lives, seguindo o modelo que está sendo feito por outras secretarias de Cultura do Estado", conta.

Segundo ele, as reuniões do conselho - que contavam com o mínimo de 32 pessoas - foram suspensas por conta da quarentena. Ainda assim, as iniciativas não foram paralisadas.

"Desde artesanato até profissionais da música, diversos artistas perderam suas fontes de renda e nós organizamos novas cobranças. Como pela ouvidoria da prefeitura, para que algo neste sentido fosse agilizado", destaca. "Também fazemos a economia se movimentar. Acreditamos que o auxílio seria uma injeção na economia do município", completa Paulo.

Ele ainda destaca que as reuniões do conselho são abertas ao público e que mais informações e contato podem ser obtidos pela página no Facebook com o nome "Conselho Municipal de Política Cultural de Bauru - 2018/2020".

EMERGENCIAL

A cantora bauruense Cátia Machado também destaca a necessidade de um apoio emergencial e atividade de trabalho com verba para apoiar a classe artística.

"Os artistas são os primeiros que param e os últimos que voltam e não existe o reconhecimento, muitas vezes, da importância da cultura na sociedade", diz. "Estamos cobrando um posicionamento de auxílio porque muitos sobrevivem da arte e estão passando por necessidades. Teria que ser em caráter emergencial", completa.

A cantora participa de um grupo de músicos que vem se reunindo por ferramentas online com o intuito de organizar e levantar informações sobre os músicos da cidade. "Todos os auxílios, até o momento, são fruto de uma rede particular de apoio entre nós músicos e demais artistas", afirma.

REUNIÃO

Procurado, o secretário de Cultura, Rick Ferreira, diz estar sensível às necessidades da classe e vem se planejando. "Faremos uma reunião, online, com a classe artística e o conselho, na próxima quarta-feira (3), para apresentar soluções para o grupo", finaliza.

Ler matéria completa