Bauru e grande região

 
Cultura

'Babenco', de Bárbara Paz, é o candidato do País na corrida ao Oscar

Sem participação do governo federal, escolha foi feita por comissão formada inteiramente por profissionais do setor

por FolhaPress

19/11/2020 - 05h00

Reprodução

Produção traz memórias e reflexões sobre Hector Babenco, que morreu em 2016

A Academia Brasileira de Cinema, a ABC, anunciou nesta quarta-feira (18) que o documentário "Babenco: Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou", de Bárbara Paz, será o candidato oficial do Brasil para tentar uma vaga entre os indicados ao próximo Oscar de melhor filme internacional.

Sem participação do governo federal, a escolha foi feita por uma comissão formada inteiramente por profissionais do setor. São eles os diretores de fotografia Afonso Beato e Lula Carvalho; os produtores Clelia Bessa, Leonardo Monteiro de Barros, Renata Magalhães e Rodrigo Teixeira; e os cineastas Laís Bodanzky, Roberto Berliner e Viviane Ferreira. Os também cineastas Andre Ristum e Toni Venturi serviram de membros suplentes do grupo.

Na disputa, além de "Babenco", estavam os filmes "A Divisão", "A Febre", "Alice Júnior", "Aos Olhos de Ernesto", "Casa de Antiguidades", "Cidade Pássaro", "Jovens Polacas", "M8", "Macabro", "Marighella", "Minha Mãe É uma Peça 3", "Narciso em Férias", "Pacarrete", "Pureza", "Sertânia", "Todos os Mortos", "Três Verões" e "Valentina".

Por causa da pandemia do coronavírus, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, responsável pelo Oscar, alterou o calendário da 93ª edição do evento, que em 2021 acontecerá mais tarde. Por isso, também será preciso esperar um pouco mais para saber se a candidatura brasileira vingou.

Pelo calendário do Oscar, no dia 9 de fevereiro será feito o anúncio dos filmes pré-selecionados para a categoria de longas internacionais. Quase um mês depois, no dia 15 de março, a lista completa de quem de fato foi indicado é anunciada. A cerimônia de premiação ficou para o dia 25 de abril de 2021.

No ano passado, o escolhido para representar o Brasil no Oscar foi "A Vida Invisível", de Karim Aïnouz, que acabou não entrando na lista. A última vez que o país foi indicado entre os filmes estrangeiros foi com "Central do Brasil", de 1998. Antes disso, apenas "O Pagador de Promessas", "O Quatrilho" e "O que É Isso, Companheiro?" já haviam chegado perto da estatueta da categoria.

O documentário

A produção sobre o cineasta Hector Babenco teve a sua estreia no Festival Internacional de Cinema de Veneza do ano passado e venceu na categoria de Melhor Documentário. Babenco morreu em 2016 e, no filme, Bárbara Paz mostra os medos, ansiedades, memórias e reflexões do diretor com quem era casada. Nascido na Argentina, mas naturalizado brasileiro, Hector Babenco concorreu ao Oscar pelo filme "O Beijo da Mulher Aranha" (1985) e foi o responsável pelo longa "Carandiru" (2003), baseado no livro homônimo de Drauzio Varella, seu amigo de longa data.

Ler matéria completa