Bauru e grande região

Cultura

José Mauro Progiante é finalista do Prêmio Flipoços

Prêmio reconhecerá trabalhos nas categorias Literatura Infantil e Literatura Juvenil; o autor concorre com "O roubo do sonho azul", pela editora Canal 6

por Ana Beatriz Garcia

23/01/2021 - 04h44

Malavolta Jr.

O escritor José Mauro Progiante é finalista em premiação importante do setor literário nacional

Consolidado como um dos mais importantes do Brasil, o Festival Literário Internacional de Poços de Caldas, Flipoços, lançado em 2006, tem como principais características ser eclético, diverso, apartidário e para todos. Neste ano, ao lado de nomes de destaque, o autor José Mauro Progiante é um dos três finalistas do "Prêmio Flipoços" na categoria Infantil (10 a 12 anos). Os vencedores serão escolhidos por comissão julgadora e conhecidos em março.

Lançado em 2019, pela Editora Canal 6 - com o selo Plante -, o livro "O roubo do sonho azul" levou o escritor à fase final da competição, que tem a categoria Infantil dividida em duas faixas etárias, de 7 a 9 anos, e de 10 a 12 anos. As obras que concorrem na primeira faixa são: Achando a chave (Positivo), de Álvaro Faleiros e Fernando Vilela; O pequeno baobá (Paulus), de André Luis Oliveira, e Reinações de Emília (Bambolê), de Cassia Leslie. Na segunda faixa, além do livro de Progiante, também foram selecionados como finalistas: A menina e a planta (Madrepérola), de Marcia Paganini e O medo de rabo preso (Scipione), de Marina Miyazaki.

RECONHECIMENTO

Progiante não conhecia o prêmio, mas soube que poderia concorrer com obras já publicadas. Por isso, escolheu o livro lançado em 2019, para participar da competição. "Só o fato de ter sido classificado já é muito significante. Essa entidade que faz o festival, o Flipoços, realiza este trabalho em nível nacional há mais de 15 anos. Esse reconhecimento de estar entre esses autores e editoras já é muito bom", afirma o autor que também está lançando, neste ano, uma nova obra pelo mesmo selo da Editora Canal 6.

NOVIDADES

Antes do resultado do Prêmio Flipoços, ainda em fevereiro, o autor estará lançando mais uma de suas obras infantis, "Chapéu-de-sol em perigo" (Plante). "O livro já está à venda pela Editora Canal 6, mas o lançamento oficial teve de ser adiado. Neste livro, Aninha, Chicão e Vivi moram e brincam juntos na rua Cruzeiro do Sul. Adoram curtir a sombra de Chapéu-de-sol. Mas um dia chega Sebastião, com um machado e o Chapéu-de-sol está em perigo", conta José Mauro.

Esta obra, inclusive, figura entre os lançamentos de destaque no anuário da Associação dos Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ). "No Anuário 2021 da AEILIJ são recomendados mais de cem livros, com ficha técnica, o que ajuda muito na hora de escolher. É útil para professores e coordenadores pedagógicos montarem os projetos de leitura em suas escolas. Além de 'Chapéu-de-Sol em perigo', o meu terceiro livro 'O Conciliábulo ataca em Budapeste' também está na lista", finaliza.

SERVIÇO

Para adquirir os livros de José Mauro Progiante basta acessar o site da Editora Canal 6: encurtador.com.br/tKORS Já o Anuário pode ser consultado no site https://issuu.com/aeilij/docs/2021_anuario_aeilij

A obra

O primeiro dos cinco livros infantis de José Mauro Progiante, "A Maldição de Taruma e Nurana", apresenta os cinco personagens André, Hua, Mavomo, Rose e Érik. Depois de passarem pela aventura no Brasil, os amigos se encontram, novamente, em "O roubo do sonho azul" para solucionar um novo mistério, agora em Antuérpia, na Bélgica. Outros dois personagens se juntam a eles: a menina Claire e o jovem diplomata Lufimpu.

Num dia tenso, eles têm poucas horas para se livrar de um perigoso bandido, libertar um homem inocente e ainda evitar uma tragédia no hotel onde acontece uma importante reunião da ONU. Para isso precisam decifrar uma mensagem sobre o famoso Sonho Azul.

Você sabia?

Progiante começou a escrever contos aos 13 anos, quando o Conselho Municipal de Cultura de Catanduva, sua cidade natal, lançou uma coletânea com textos de estudantes e suas escritas estavam na obra.

Ler matéria completa