Bauru e grande região

Cultura

Quando os 'perrengues' da profissão viram livro

Escrito na pandemia, obra narra as histórias reais de bastidores e os percalços da profissão que Thiago Paleari exerce há quase 10 anos

por Ana Beatriz Garcia

19/03/2021 - 05h00

Divulgação

Thiago Paleari abre seu "diário" de profissão nesta sexta

Nova York, Londres, Galway, Rio de Janeiro, Itajaí e Bauru são algumas cidades que o jovem assessor de imprensa Thiago Paleari percorreu para promover eventos, prestigiar shows e acompanhar entrevistas ao longo de quase 10 anos de carreira. Os bastidores dessas e outras ações - que envolvem perrengues, problemas com a imigração irlandesa, calotes, artistas consagrados e diversão - estão apresentados nos capítulos do livro "Diário de Um Assessor de Imprensa", pela Editora Scortecci, que chega nas principais livrarias virtuais nesta sexta-feira (19).

O livro foi escrito durante a pandemia do novo coronavírus, em 2020, período de restrições e distanciamentos, que o profissional, de 30 anos, até então acostumado com os "corres" da profissão, abriu seu diário e revisitou as memórias mais distantes. "Sempre gostei de ler e escrever. Como assessor e produtor cultural, fui colecionando várias experiências em vários lugares e até outros países. No período de quarentena relembrei esses momentos e comecei a escreve-los, o que ajudou a manter minha mente sã", afirma Thiago Paleari.

Apesar da pouca idade, o profissional já atua na área há 9 anos e reúne diversas e divertidas histórias do menino que deixou Bariri (56 quilômetros de Bauru), para se lançar aos leões da cidade grande, da indústria fonográfica e do mercado de assessoria de imprensa, em São Paulo. "Como venho de uma cidade pequena, as pessoas sempre me questionaram muito sobre os bastidores da profissão, como funcionavam determinadas coisas, as viagens, aparições na TV, entre outras. No livro, eu aproveito para tirar todas essas dúvidas e desmistificar um pouco do dia a dia da profissão", comenta Paleari.

'POUCAS E BOAS'

As histórias são contadas em primeira pessoa, a partir de 2012, quando o autor inicia a carreira profissional em uma agência de São Paulo, após se formar em Bauru. Assessorando os principais nomes do funk ostentação da época, além de Thammy Miranda, Mariana Weicker, Nathalie Alvim e outros, o assessor passou "por poucas e boas", que são descritas detalhadamente e com bom humor pelas páginas.

O livro segue mostrando as experiências vividas e o amadurecimento profissional que o encorajam a abrir o próprio negócio. A frente da A Assessoria, desde 2013, as histórias e improvisos continuam.

MARCANTE

Ele também relembra momentos acompanhando o DJ mais premiado da América Latina, Erick Jay, em viagens, campeonatos, apresentações e entrevistas nacionais e internacionais, além dos bastidores das idas e vindas aos Estados Unidos, participações em programas de TV como, por exemplo, Nasi Noite Adentro (Canal Brasil) e Hip Hop Brazil (Music Box Brazil), comandado por MV Bill.

O assessor cita, ainda, uma viagem muito divertida ao Rio de Janeiro com a banda NDK; uma palestra na 1º Semana de Relações Públicas no Centro Universitário FIAM-FAAM e o backstage da gravação do clipe "My Name Is" de Felipe Flip no Grajaú, extremo sul da capital paulista.

SERVIÇO

"Diário de um Assessor de Imprensa" será lançado nesta sexta-feira, dia 19 de março, pelo Grupo Editorial Scortecci. A venda estará disponível na Livraria Asabeça no valor de R$ 39,90 pelo link: https://www.asabeca.com.br/Mais informações no instagram: @diariodeumassessor ou @thipaleari

Guia prático

Em suas 100 páginas, Thiago Paleari narra encontros inusitados, variados tipos de "saia justa", palestra ao lado de gigantes, percalços e dificuldades e até calotes. Mas, acima de tudo, são relatos de aprendizagem, de amor ao trabalho e respeito ao sonho de vida das pessoas que estão em busca de seu lugar ao sol.

"O livro é um guia prático, com relatos das histórias reais de como a função de assessor funciona na prática. É uma opção para as pessoas saberem mais sobre esses 'perrengues' e dar boas risadas, além dos recém-formados e estudantes da área, que podem se aproximar do dia a dia que não se aprende em sala de aula", finaliza.

Ler matéria completa