Bauru

Cultura

Estamos na semana da Cultura e da Paz

Iniciada nessa segunda-feira (19), as atividades seguem até 25 de julho, data em que se é celebrado o Dia Municipal da Cultura e da Paz

por Ana Beatriz Garcia

20/07/2021 - 05h00

Guilherme Oliveira/Prefeitura de Bauru

Houve hasteamento da bandeira da paz nessa segunda-feira

Começou, nessa segunda-feira (19), a Semana Municipal da Cultura e da Paz. O evento conta com atividades variadas nos formatos virtual e presencial, que seguem até o próximo domingo (25), promovidos pela Secretaria de Cultura, em parceria com as secretarias municipais do Bem-Estar Social, de Educação e do Esporte e Lazer.

A semana de atividades ocorre em comemoração ao Dia Municipal da Cultura e da Paz, instituído no calendário municipal pela Lei nº 6.364, de 14 de junho de 2013, e celebrado em 25 de julho. A lei, que também adota a Bandeira da Paz (leia mais ao lado), incentiva a realização de atividades artísticas, científicas, religiosas e culturais com grande confraternização.

"Essa data é um momento de reflexão mundial sobre a Cultura e a Paz, pois traz à tona o Pacto Roerich, documento oficial assinado por diversos países, em 1935, que tem como compromisso central a proteção a 'monumentos históricos, museus, instituições científicas, artísticas, educacionais e culturais', tanto em tempos de guerra como em tempos de paz", explica a secretária de Cultura, Tatiana Sa.

TEMA

Neste ano, o evento tem como tema "A busca pela paz entre nós e com a terra em tempos de pandemia" e confraterniza por meio da música, dança, agricultura, culinária, educação e meio ambiente. A realização tem apoio do Instituto Shanti, CSA Brasil e Instituto Noosfera.

"Queremos trazer reflexões sobre a Cultura e a Paz, primeiro, na perspectiva da relação do ser humano com a terra, em minúsculo mesmo, em sua concretude, ao alcance de nossas mãos. O que significa pararmos nossa guerra com a natureza, que é uma guerra contra nós mesmos, pois nesse conflito de poluição, matanças, uso de venenos e lixo, somos também espécie em extinção. Somos nós contra nós mesmos", afirma a titular da pasta.

Ela ainda afirma que, nesta semana, o intuito é pensar na perspectiva da paz do ser humano com a Cultura, ou seja, pensar na relação dos seres humanos com sua própria cultura - o que envolve dimensões diversas da vida, do ambiente, das manifestações artísticas - e na sua relação com a cultura do outro. "Apenas em uma rede de diálogo entre as culturas planetárias é que é possível buscarmos a paz. Apesar da separação das palavras, a relação com a terra também é parte da cultura humana. Resta escolhermos se seguimos pela cultura da destruição ou pela cultura da criação", diz.

REFLEXÃO

E a reflexão não para por aqui. De acordo com Tatiana Sa, até domingo, serão abordados temas da Cultura e da Paz por meio de mesas redondas, palestras, apresentação de música e vivências sobre Direitos Humanos, Linguagens Artísticas e Educação, Cultura do Apreço, Agricultura, Educação Ambiental Sintrópica, Culinária, kirtans (os cantos devocionais do Yoga) e terapias. "Ou seja, pensar a Paz dentro de um conceito amplo de Cultura", finaliza.

Bandeira da Paz

O desenho da Bandeira da Paz apresenta três esferas rodeadas por um círculo em cor vermelha escura sobre um fundo branco. O símbolo é em vermelho escuro ou magenta. Das muitas interpretações nacionais e individuais deste símbolo, a mais usual é a do círculo superior representando a espiritualidade que engloba a verdade de todas as religiões, com a mensagem de que todos podem se unir independentemente das crenças. Os dois círculos na parte inferior representam a arte e a ciência. O círculo que envolve as três esferas representa a cultura, a unidade da arte, da ciência e da espiritualidade.

Ler matéria completa