Bauru

Cultura

O microfone é delas

Quarta edição geral do Festival Sonora contará com a participação de mais de 10 compositoras e 6 oficinas; o evento é gratuito

por Laylla Paes

14/10/2021 - 05h00

Caroline Rohwedder

Silvia Souto, Tatiana Calmon e Cátia Machado, no Sonora de 2020

O "Sonora - Festival Internacional de Compositoras" de Bauru vem aí! Com mais de 10 apresentações musicais e seis oficinas, o projeto promete agitar a cena musical feminina no município, incentivando a produção artística e criando um espaço de acolhimento e visibilidade para as vozes das mulheres cantoras. Neste ano, o festival ocorrerá entre os dias 19 e 22 de outubro, com uma programação completamente virtual e gratuita.

Iniciado em Bauru no ano de 2017 por Manu Saggioro e Jana Macena, o Sonora reúne anualmente diversas compositoras e cantoras da região que desejam divulgar seus trabalhos autorais para o público. Por se tratar de uma rede, ele também está presente em mais de 70 cidades e 16 países do mundo, contribuindo para a divulgação da mulher, cisgênero ou transgênero, no ramo musical.

"Ano passado, Bauru foi uma das quatro cidades que optaram pelo formato online e, neste ano, a gente já animou algumas pessoas e estamos fazendo de novo", conta Vitória Cação, produtora voluntária do festival. A decisão pelo formato remoto é reflexo da pandemia9. Desta forma, o público é convidado a assistir as apresentações sem abrir mão da segurança e conforto do lar.

Após um longo processo de curadoria, realizado pelas profissionais Adriana Rossetto, Fernanda Kalife, Magna Viganó e Meiri Brito, 10 projetos foram selecionados para participar desta edição. Entre os selecionadas, estão Lizze Ferrer, Marcela Chiapina, Ricca Luz, Vitória Cação, banda Gum Pop, Isa Vizoni, Isabel Marino, Cátia Machado, Débora Neves e o projeto Entrelinhas. Também participarão, por vídeo, Bruna Souza, de Rio Claro, Floresthá, de Ribeirão Preto, Mariana Verônica, de Bauru, e Tatiana Calmon, também de Bauru. As apresentações estão marcadas para o dia 22 e tem início às 17h, pelo canal do festival no Youtube.

Antes do grande evento, o Sonora promoverá três dias de oficinas online, transmitidas pelo Instagram, que abordaram temas relacionados a esta arte. No dia 19, às 19h, o público poderá acompanhar a oficina "Sua identidade na música, de que maneira colocar sua expressão num formato musical", ministrada por Fernanda Simião. Logo após, às 20h, Vitória Cação apresenta a oficina "Transformando texto em música".

No dia 20, às 19h, a oficina "A mulher e seus desafios no mercado da produção artística" fica por conta de Ana Evaristo. Já às 20h, Tchella fala sobre a "Identidade Artística: como construir uma carreira profissional que sustente seus sonhos e sua vida, em 3 etapas".

Encerrando a rodada de oficinas, no dia 21, Mara Síntique falará sobre a "Música e inclusão: práticas de ensino musical para pessoas com deficiência". Já às 20h, Taíla ministra a oficina "As redes sociais a seu favor: Como planejar um lançamento?".

Atualmente, o festival de Bauru conta com a ajuda das voluntárias Ana Lídia Aquino, Bianca Brito, Damaris, Débora Neves, Estela Nunes, Hanna Queiroz, Letícia Silva, Luiza Alessandra, Ju Pizano, Juliana Ramos, Magna Viganó, Mariana Brunatti, Rafaella Faria, Raissa Foschiani, Renata Azenha, Caroline Rohwedder, Isabella Hungaro, Taíla Valéo, Talita Neves e Vitória Cação. Estas mulheres são as responsáveis por dar vida ao projeto que, neste ano, conta com o apoio das empresas Ballet Art Scheila do Valle, Duckbill Cookies and Coffee, Hippie Artesanatos, Oriental Kiosk, R3 Produções Artísticas, Volitans Movimento, Adriana Rossetto, Caroline Rohwedder Fotografia, Catatau Produções e Eventos, Gabi Moura Personal Organizer, Hemova Banco de Sangue Animal, Museu do Café Fazenda São João, Shirley Terapias Naturais e ZAZ Conteúdo Digital. Pessoas físicas também podem colaborar adquirindo itens à venda pelo Instagram do projeto ou fazendo uma doação pela "vaquinha" online.

SERVIÇO

Os interessados podem seguir o festival "Sonora" pelo Instagram, @sonorafestivalbauru, ou acessar o link: https://linktr.ee/sonorabauru/. Nele, você encontra o endereço de acesso ao Youtube do projeto, bem como o link para doações pelo site "Vakinha".

Expectativa

Atingindo cada vez mais pessoas a cada ano, a equipe do Sonora espera que o festival de 2021 reúna um grande número de visualizações simultâneas no Youtube. "A expectativa é a gente superar os números do ano passado. No final da transmissão [de 2020], a gente tinha 780 pessoas ao vivo e, hoje, já temos mais de 1.200 pessoas que acompanharam a live", conta Vitória.

Para a produtora, a existência do Sonora é de grande impacto na produção cultural do município e na vida de quem participa. "Além dele fazer este trabalho de dar visibilidade para as mulheres, eu vi o Sonora ser o berço de muita gente. Eu tenho uma amiga que compunha e que não mostrava as músicas além do churrasco em casa. Ela foi em um dos Saraus de 2018, sem saber tocar nenhum instrumento. [...] Ali, ela foi no meio do Sarau e cantou a capela uma música linda e emocionante dela falando para o pai que era artista e que queria seguir o seu sonho. Todo mundo ficou emocionado. Um ano depois, essa mulher estava fazendo show no Sesc. Essa mulher é a Cátia Machado", conta. "O Sonora não foi o único responsável, mas ele foi o lugar onde ela se sentiu segura e acolhida para começar. Isso dá muito orgulho".

Ler matéria completa

×