Bauru

Cultura

Leitura muda a vida da criança

Pesquisa mostra que os pequenos estão lendo muito mais

por Raphaela Ramos

28/11/2021 - 05h00

A pesquisa "Retratos da leitura no Brasil" mostrou que apenas 52% dos brasileiros têm o hábito de ler livros, uma redução de 4% em relação a 2015. Mas também teve boa notícia. De acordo com o estudo, realizado pelo Instituto Pró-Livro e Itaú Cultural, com dados coletados de outubro de 2019 a janeiro de 2020, a única faixa etária em que houve crescimento no número de leitores foi a de crianças de 5 a 10 anos.

Para a professora, escritora e doutora em Educação Lilian Menegucci, este dado traz um pouco de esperança em relação ao desenvolvimento do público leitor no País. "O incentivo à leitura na infância é fundamental. O quanto antes começarmos a fazer esse estímulo, mais chance teremos de formar leitores e leitoras para um país que precisa ter população que leia, e faça isso por perceber que o livro traduz possibilidades de muitas aprendizagens", afirma a professora.

Ler, porém, vai muito além do que aprender novas coisas. Estudos apontam que os benefícios do contato com a leitura são importantes desde os primeiros meses de vida, segundo a psicóloga, biblioterapeuta e contadora de histórias Bianca Lopes. Nesse período inicial da vida, o hábito de contar histórias para a criança promove o desenvolvimento da linguagem e a criação de vínculos com as figuras parentais.

"Ao nutrir o imaginário da criança por meio dos livros, damos possibilidades de construir ferramentas para que ela seja resolutiva na vida. Tanto nas questões mais práticas, quanto no campo emocional. Facilita a elaboração psíquica, de conflitos próprios do desenvolvimento infantil." Ao longo do crescimento, a leitura continua importante para o avanço de inúmeros aspectos, mas também facilita o desenvolvimento da empatia, da criatividade e da capacidade resolutiva.

Plataforma tem opções de livros grátis

Um problema que impede boa parte da população brasileira de ter acesso à leitura são os valores dos livros novos. Familiares que queiram começar a colocar em prática a leitura com as crianças, porém, têm a possibilidade de acessar o programa "Conta pra mim", oferecido pelo Ministério da Educação (alfabetizacao.mec.gov.br/contapramim). Na plataforma estão disponíveis materiais com dicas, além de livros infantis e histórias narradas em áudios.

A pesquisa também indicou que mais da metade dos brasileiros começou a ler por indicação da escola ou dos professores. Com muitas instituições de ensino fechadas devido à Covid-19, incentivar novos leitores pode se tornar um desafio ainda maior.

A doutora Menegucci afirma que, apesar dos educadores terem uma função importante de mediar o encontro com a literatura, a família também é essencial nesse processo, principalmente no primeiro contato das crianças com os livros. "A família tem um papel fundamental, porque mesmo antes de ir para a escola, a criança já está inserida em seu contexto familiar, e é o adulto quem de fato deve apresentar o livro a ela", afirma a professora.

A psicóloga Bianca Lopes acrescenta ainda que a relevância da família no incentivo à leitura se potencializou durante a pandemia do novo coronavírus, uma vez que o principal grupo social de convivência da criança se tornou o familiar. Por isso, dedicar mais tempo a essa importante tarefa pode fazer toda a diferença no futuro da criança.

Ler matéria completa

×