Bauru

Cultura

'Obgestos': as formas animadas

Websérie simboliza a evolução do trabalho da Cia. Mariza Basso Formas Animadas ao longo dos últimos 17 anos

07/12/2021 - 05h00

Fotos: Eric Schmitt/Divulgação

'Obgestos'

Quem gosta de criação de alta qualidade não pode perder "Obgestos", o mais recente trabalho da Cia. Mariza Basso Formas Animadas. Trata-se de websérie dividida em dez episódios, que simboliza a evolução do trabalho da companhia ao longo dos últimos 17 anos. A montagem deixa transparecer, por trás de cada gesto, o intenso trabalho de pesquisa que vem sendo realizado pela Cia. na busca das infinitas manifestações artísticas do teatro de formas animadas. 

Composta por dez quadros curtos, muito divertidos, cada qual com uma linguagem desenvolvida ao longo da pesquisa com os objetos, a série "Obgestos", além de representar um marco na forma de apresentar espetáculos de teatro de formas animadas, tem trilha sonora original composta especialmente para a ocasião. Nesta terça-feira (7), vai ao ar a "Pescaria e Vento Fantasia". E amanhã, fechando o ciclo, o episódio "Na Feira". As apresentação são sempre às 19h. Os epidódios anteriores - "Obgestos", que dá nome à série; "Ohhh Vaquinha e Coral dos Bichos": "Na Natureza", "O Dono do Circo e a Bailarina" e "O Sonho do Bebê" - podem ser acessados através do https://www.youtube.com/c/MarizaBassoFormasAnimadas /.

A web série é uma realização conjunta do Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura, governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e a Cia Mariza Basso Formas Animadas. 

SERVIÇO

A websérie "Obgestos" vai ao ar sempre às 19h, pelo youtube da Cia. Mariza Basso Formas Animadas (https://www.youtube.com/c/MarizaBassoFormasAnimadas).  A produção audiovisual é de Luiz Fabiano Marquezin; concepção e direção geral de Mariza Basso; trilha sonora original de Ana Person, Amauri Muniz, Nél Marques e Chris Ventura; manipulação dos bonecos com Mariza Basso, Victor Deluzzi e Bruno Ospedal; direção de cena de Márcio Pimentel; cenografia de Emerson Gomes Vanderlei e Luiz Fabiano Marquezin; produção executiva de Márcia Basso; registro fotográfico de Eric Schmitt. Gravado no Estúdio da TV FIB Bauru.

Quando tudo começou

O ano de 2004 marca o início da trajetória da Cia. Mariza Basso com a construção de um espetáculo do zero. Após um período de sete anos, trabalhando como atriz em produções de teatro contemporâneo, Mariza Basso partiu para o universo do teatro de formas animadas, utilizando diferentes objetos domésticos consignados da cozinha de sua mãe. Os amigos da Companhia de Teatro Circense Catapimba ofereceram algum apoio financeiro e, assim, nasceu o premiado espetáculo "O Circo dos Objetos" que, logo na estreia, já foi selecionado para dois importantes festivais nacionais: Festival de Teatro Infantil de Blumenau e o Festival de Teatro de Pindamonhangaba, além de participar de festivais internacionais em Portugal e na Colômbia com sucesso de crítica e público. Em 2007, a companhia produziu o espetáculo solo "O Sítio dos Objetos" que obteve o mesmo histórico de sucesso. Selecionado para a Mostra de Teatro de Bonecos do Sese, a Cia. Mariza Basso levou o "Sítio dos Objetos" em turnê pelo Interior paulista, marcando presença em festivais por todo o Brasil e no exterior foi apresentado na Argentina, Colômbia, México, Portugal e Espanha. Em 2010, nasceu "João Come Feijão", com estreia no Sesc Vila Mariana, na Capital. O espetáculo participou do Festival de Teatro de São João Del Rei e foi selecionado para o Circuito Cultural Paulista. Em 2016 foi a vez de "O Menino e sua bacia". No ano seguinte, o espetáculo "Pachamama" marca sua estreia no Festival Cali Um Sueño Con Titeres, na Colômbia. Numa crescente de trabalho, a Cia. estreia o espetáculo adulto "A Dança da Ema - Kohixoti Kipaé".

Ler matéria completa

×