Bauru

Cultura

'Amor é mais importante que a morte'

31/12/2021 - 05h00

Em junho do ano passado, a escritora Lya Luf contou ao jornal Folha de S.Paulo que estava arrependida de ter votado em Jair Bolsonaro. "Te confesso que votei e me arrependi.  Na ocasião, Luft lançava seu novo livro "As Coisas Humanas", composto por crônicas sobre afetos e o luto pela morte do filho. "Em última análise, escrevi, talvez, para mostrar que o amor é mais importante do que a morte", diz. "Meu editor recentemente escreveu que existe o 'gênero Lya Luft'", afirma no texto em que se apresenta, "frente a frente". Boa parte dos textos rememora o filho André, morto aos 51 anos, em 2017, depois de uma parada cardiorrespiratória. A escritora ainda falou sobre a pandemia do coronavírus, que ainda estava no início. "É como se o globo terrestre estivesse coberto por uma nuvem escura, meio pegajosa, se arrastando por cima de tudo. É quase incompreensível que Ásia, Europa e Brasil estejam passando pela mesma coisa [ao mesmo tempo]. Parece um grande animal, com tudo parado", disse. 

Ler matéria completa

×