Bauru

Cultura

Globo de Ouro 2022 coroa 'Ataque dos Cães'

O filme "Amor, Sublime Amor" e a série "Succession", da HBO, também estão entre principais premiados

por Henrique Artuni

11/01/2022 - 05h00

Divulgação

Phil Burbank (Benedict Cumberbatch) e Peter Gordon (Kodi Smit-McPhee) em cena de "Ataque dos Cães"

Os filmes "Ataque dos Cães", "Amor, Sublime Amor" e a série "Succession", da HBO, foram os principais premiados do Globo de Ouro, na noite deste domingo (9), numa edição marcada por controvérsias. Não bastassem a incerteza e os riscos correntes da pandemia, a premiação, uma das mais importantes de Hollywood, teve um 2021 repleto de boicotes e polêmica por falta de representatividade na Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood. Isso resultou em um evento sem transmissão ao vivo, tapete vermelho ou celebridades - que recusaram o convite para estarem presentes. Os prêmios foram sendo anunciados no site da organização.

"Ataque dos Cães" ganhou a estatueta de melhor filme dramático, com seu retrato de um Oeste decadente e voltado a esmiuçar as crises particulares de seus personagens. O destaque para a linguagem cinematográfica também foi dado a Jane Campion, diretora do filme, premiada pela sua estética cheia de sutilezas.

Já Kodi Smit-McPhee levou o prêmio de melhor ator coadjuvante por seu papel no longa, somando três Globos para o drama. Seu personagem é um dos mais ambíguos e misteriosos do filme.

"Amor, Sublime Amor", de Steven Spielberg, remake do clássico longa de 1961, levou o prêmio de melhor filme musical. As outras duas estatuetas para o longa foram para a jovem Rachel Zegler, de 20 anos e de ascendência latina, que ganhou como melhor atriz em filme musical, e para a atriz negra Ariana DeBose, como coadjuvante.

Andrew Garfield foi um dos destaques como melhor ator de musical por "Tick, Tick... Boom!", dirigido por Lin-Manuel Miranda, em que ele vive um compositor de peças musicais. Will Smith, favorito para as categorias de atuação dessa temporada, por outro lado, levou a estatueta de melhor ator em filme dramático por "King Richard: Criando Campeãs", no qual interpreta o pai das tenistas Venus e Serena Williams. O destaque também pode ser um bom indício de suas chances de levar o Oscar.

Nicole Kidman arrebatou seu quinto prêmio de melhor atriz em filme dramático ao viver a adorada estrela da televisão americana Lucille Ball no filme "Being the Ricardos", lançado pela Amazon Prime Video, e que teve recepção morna O resultado foi um desencanto para os fãs de Lady Gaga, que concorria por "Casa Gucci".

"Succession", da HBO, a aposta segura entre as séries dramáticas, foi considerada a melhor, assim como Jeremy Strong foi considerado o melhor ator por seu papel na trama. A série também levou o prêmio de melhor atriz coadjuvante com Sarah Snook, indicada pela primeira vez ao Globo.

Já "Ted Lasso", do Apple TV , ganhou seu primeiro prêmio da noite com Jason Sudeikis, como melhor ator em série de comédia. Mas foi "Hacks" quem venceu o prêmio de melhor série de comédia, bem como Jean Smart recebeu a estatueta de melhor atriz na categoria por seu papel na série.

Ganhou uma estatueta de ator coadjuvante Oh Yeong-su, que faz o personagem idoso de "Round 6", série sul-coreana que se tornou a mais vista da Netflix no ano passado. Michaela Jaé (Mj) Rodriguez foi considerada a melhor atriz em série dramática por "Pose", em que vive uma personagem que abriga jovens LGBTQIA que foram expulsas de suas casas. Ela se tornou a primeira atriz trans a ganhar um Globo de Ouro.

"Drive My Car", do japonês Ryusuke Hamaguchi, levou a estatueta de melhor filme em língua estrangeira, celebrando o favoritismo do diretor que também está na corrida ao Oscar. "Encanto", da Disney, que já era a animação favorita à categoria, também foi premiada como a melhor. É uma vitória que também destaca a diversidade, considerando que a trama protagonizada pela família Madrigal se passa em uma Colômbia repleta de realismo mágico.

Sem glamour

Sem o glamour característico, o anúncio dos vencedores ficou restrito ao site e redes sociais da premiação. Cada um dos prêmios foi revelado por membros da associação e de organizações relacionadas ao seu lado filantrópico. O prêmio de melhor roteiro foi para Kenneth Branagh, por "Belfast", que conta a história de um menino que vive com sua família em meio às turbulências do final dos anos 1960 que sacudiram a capital da Irlanda do Norte. Seis anos após "Birdman", Michael Keaton recebe um novo Globo de Ouro, desta vez como ator em minissérie, por "Dopesick". Kate Winslet ganhou como atriz em minissérie por "Mare of Easttown". Mas foi "The Underground Railroad" o título considerado o melhor desta categoria. O som impactante de Hans Zimmer em "Duna" levou a melhor entre as trilhas sonoras. As outras foram por "Rei Leão", de 1995, e "Gladiador", de 2000. "No Time to Die", do último filme da franquia "007" com Daniel Craig, "Sem Tempo para Morrer", ganhou destaque como canção original, com a voz soturna de Billie Eilish desbancando o ritmo chiclete de "Encanto". Ainda que com sua importância abalada, o evento ilumina alguns dos títulos mais badalados da temporada do cinema, além de coroar as séries que marcaram o ano - ao menos para o gosto do público. "Não Olhe para Cima", de Adam McKay, porém, dominou as redes sociais com memes no final de 2021, mas não ganhou prêmio algum.

Ler matéria completa

×