Bauru

Cultura

Morre Ivan Reitman, criador da franquia 'Os Caça-Fantasmas', aos 75 anos

Reitman dirigiu comédias que marcaram os anos 1980 e 1990, como "Recrutas da Pesada", "Irmãos Gêmeos" e "Um Tira no Jardim de Infância" e "Júnior"

por FolhaPress

14/02/2022 - 12h56

Reprodução

Morre Ivan Reitman, criador da franquia 'Os Caça-Fantasmas', aos 75 anos

Morreu neste sábado (12) o cineasta Ivan Reitman, diretor e produtor do filme "Os Caça-Fantasmas", aos 75 anos. Morre Ivan Reitman, criador da franquia 'Os Caça-Fantasmas', aos 75 anos.

"Nossa família está de luto pela perda inesperada de um marido, pai e avô que nos ensinou a sempre buscar a magia na vida'', disseram em comunicado à imprensa seus filhos Jason, Catherine e Caroline.

Reitman dirigiu comédias que marcaram os anos 1980 e 1990, como "Recrutas da Pesada", "Irmãos Gêmeos" e "Um Tira no Jardim de Infância" e "Júnior". Também teve uma carreira bem-sucedida como produtor --esteve envolvido em projetos como "O Clube dos Cafajestes", de 1978, e, mais recentemente, "Space Jam: Um Novo Legado".

Seu maior sucesso, no entanto, foi "Os Caça-Fantasmas", de 1984. O longa, sobre uma trupe de parapsicólogos excêntricos que começam um negócio para capturar figuras do além em Nova York, ganhou várias sequências, além de animações, programas de televisão e jogos.

O último título da franquia, "Ghostbusters - Mais Além", foi lançado no ano passado --a direção coube ao seu filho Jason Reitman, por trás de longas independentes do calibre de "Juno" e "Amor Sem Escalas".

Nascido em 1946 na cidade de Komarno, na antiga Tchecoslováquia, Ivan Reitman era judeu e teve de fugir de seu país aos cinco anos de idade por causa da perseguição antissemita nazista. Sua mãe foi sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz e seu pai da Resistência na Segunda Guerra Mundial.

Em entrevista à Folha em 1998, ele disse que gostaria de contar a histórias dos pais em um filme. "Quero filmar a história de como meus pais e eu fugimos. Fomos presos embaixo de tábuas no fundo de um barco de madeira e fomos até Viena. De lá, fomos para a França e finalmente para o Canadá, onde cresci."

Ler matéria completa

×