Bauru e grande região

Economia & Negócios

?Getúlio só estava no começo?

por Editoria de ?Economia? do JC, com Dora Press Comunicação

22/12/2013 - 05h00

Empresário decidiu apostar no potencial da avenida quando ainda estava longe de ser badalada

Em 1992, Jad empreendeu de novo investindo no maior núcleo habitacional da América Latina, inaugurando a terceira unidade, no Mary Dota.

Foi uma atitude ousada para a época, pois o bairro havia sido fundado há apenas dois anos e ainda estava se estruturando. Mas a aposta deu certo e a loja é um sucesso até hoje, atendendo com a qualidade de sempre a um público de milhares de  bauruenses daquela região. 

Voltamos ao começo da história para lembrar outra palavra que traduz o espírito do empreendedor: intuição.

Em 1993, o País e a cidade viviam uma fase conturbada quando Jad resolveu ousar e investir em um negócio que parecia arriscado, mas acreditou nele, abrindo uma nova loja na região mais nobre de Bauru, na avenida Getúlio Vargas, na zona sul de Bauru.

“Chamaram-me de louco na época, até porque a Getúlio Vargas ainda estava no começo de seu desenvolvimento. Mas minha intuição era que a região tinha muito potencial e decidi apostar”, explicou o empresário. 

‘Na unha’

Dessa ousadia nasceu a principal loja da rede, o Confiança Max. E as novidades do local foram os grandes atrativos em sua abertura. Por exemplo: o Max foi a primeira loja informatizada no interior do Estado de São Paulo, nem as grandes redes do Brasil tinham o sistema.

“Foi um grande desafio, pois 50% dos produtos não tinham código de barra. Tínhamos que codificar na unha, um a um”, lembra Jad, que ainda completa: “Além disso, passamos a oferecer ambiente diferenciado”.

O crescimento da empresa fez com que Jad se preocupasse com a organização e estrutura do negócio. Por isso, em 1995 inaugurou o Centro Administrativo “Laurice Skaf Zogheib”, que fica junto à loja da Vila Falcão.

A escolha do nome do centro administrativo foi uma bela homenagem à sua mãe, Laurice, que sempre o apoiou nos negócios e na vida.

O local tinha como principal objetivo reunir em um mesmo espaço físico todas as atividades administrativas da empresa e, com isso, melhorar a qualidade dos serviços prestados a seus clientes, parceiros e fornecedores. 


A grande virada

Passada a desafiadora fase de abertura e estabelecimento da loja da Getúlio Vargas, em 1996 veio uma notícia que gerou certo alvoroço na cidade e preocupação em Jad, a maior rede de supermercados do mundo anunciava que estava vindo para Bauru, sendo a cidade uma das primeiras lojas da rede a se estabelecer no Brasil.

“A notícia de que a multinacional estava vindo para Bauru gerou grande apreensão em todo comércio. Diziam que eles chegariam para quebrar todo mundo por aqui”, recorda Jad.  É nesse momento que se aplica mais uma palavra-chave da história: estratégia. O que era preocupação se tornou o combustível necessário para uma grande virada do Confiança.

O empresário mostrou seu lado empreendedor e começou a estudar a multinacional. Durante a fase de construção do seu mais novo concorrente, ele ia todos os finais de semana visitar a unidade na cidade de Osasco, levando um comprador e um gerente de loja, com o objetivo de conhecer seu mix de produtos e os pontos fortes da rede. 

Mix aperfeiçoado

Assim, o Max começou a se transformar em uma loja diferenciada. Como estratégia, Jad aperfeiçoou o mix de produtos, focou em melhorar em suas deficiências operacionais e inovou ao colocar caixas exclusivos para idosos, gestantes e portadores de necessidades especiais, além de montar a primeira sala de entretenimento infantil em supermercados no país, colocando uma TV de 53 polegadas, passando filmes e desenhos o tempo todo.

Isso gerou muita repercussão na época e essa ação acabou virando referência no Brasil, conquistando espaço até no Jornal Nacional, em uma matéria que abordava sobre as novidades que os comerciantes ofereciam para entreter as crianças em suas lojas na ocasião.

Além disso, modernizou todos os equipamentos, fez nova decoração e melhorou seu layout na loja. Ainda adquiriu um terreno com 5.000 metros quadrados que ficava ao lado e começou a construir um novo estacionamento, com objetivo de proporcionar mais conforto para seus clientes.

Enfim, a loja estava preparada para receber seu maior concorrente. Uma semana antes da abertura da multinacional, Jad reinaugurou o Max todo reestilizado.

Feito histórico

“A loja ficou muito linda, à frente de seu tempo e o resultado surpreendeu, pois achávamos que nossa perda em vendas seria de cerca de 20%, mas aconteceu algo extraordinário. A comunidade bauruense adorou a loja e se solidarizou conosco. Em vez de diminuir, nossas vendas aumentaram em 50% no mês de inauguração do concorrente. Isso deu certo porque o Confiança foi a única empresa que não se acomodou com a vinda da grande rede para Bauru. Por isso, saímos vencedores desta batalha. Isto foi um feito histórico no comércio varejista brasileiro”, destaca o empresário. 

Os anos seguintes foram marcantes, tanto que a rede Confiança de Supermercados foi avaliada por três anos consecutivos a que mais vendia por metro quadrado no Brasil. Outro feito histórico e que trouxe muito orgulho, pois levava o nome da cidade para todo o País, por meio de inúmeras matérias e entrevistas em diversos veículos de comunicação. 

Em 2000, a rede passaria por mais um desafio. Outro concorrente chegava, próximo ao Confiança Max. A loja foi ampliada e os setores de hortifruti, rotisserie, congelados e padaria passaram a contar com espaços mais agradáveis.  Além disso, foram criadas mais vagas de estacionamento, com inauguração do novo estacionamento subterrâneo e ampliação das vagas do estacionamento já existente, e também a galeria de lojas.  


Superação e desafio (o incêndio)

Tudo corria muito bem com as lojas, quando no dia 29 de março de 2005 aconteceu algo inesperado. Jad estava em uma reunião de negócios em São Paulo quando recebeu uma ligação que mudaria os rumos da rede e de sua vida. Um incêndio de grandes proporções havia atingido o depósito do Confiança Max, destruindo todo o local e também parte da loja. É neste ponto que chegamos à nossa última palavra que traduz o empresário e é uma das mais importantes para seu sucesso: superação.

“Foi um dia muito triste. Eu vim na mesmo hora de São Paulo de avião e, ao sobrevoar a cidade, vi minha loja pegando fogo. Aquilo foi uma cena impensável para mim. Meu único conforto é que ninguém havia se ferido com o ocorrido”, lembra, emocionado, Jad.

Mas a vida continuava e o que poderia ter abatido qualquer um foi uma injeção de ânimo para o empresário, que sentiu a comoção e o apoio de toda uma cidade.

“Quando percebi o carinho que recebi de toda a comunidade durante aquela tragédia, o apoio dos empresários e fornecedores, além do empenho de todos nossos colaboradores, fiquei muito emocionado e determinado em reabrir a loja no menor espaço de tempo e muito melhor do que ela já era”, diz o empresário. 

E assim aconteceu. Logo no dia seguinte ao incêndio, a pressa e a ansiedade do empresário em reerguer sua principal loja falaram mais alto. Ainda em meio às cinzas foi montada uma “operação de guerra” para a reconstrução da loja. Os arquitetos Carmen Iza Sola Zogheib e Marcos Caracho deram início a um novo projeto para o Max. E apenas cinco dias após o incidente, as obras começaram.

Reconstrução

Todos estavam empenhados em colocar a loja em funcionamento novamente. O depósito teve que ser feito desde o chão, pois, além de ter queimado todo o estoque, sua estrutura tinha sido inteira danificada.

O incêndio também fez com que toda a loja fosse reconstruída, foram 4.000 metros quadrados de reformas. O depósito foi todo remodelado e ganhou um espaço maior de armazenagem de produtos, além disso, foi instalada estrutura metálica de ponta, deixando o local melhor e mais seguro para trabalhar.

A loja também sofreu muito com o ocorrido e as obras de reestruturação corriam em paralelo. “Fomos obrigados a trocar 3.000 metros de piso e forro, além de toda a instalação elétrica que ficou pronta em 30 dias. Também adquiri novas gôndolas, comprei novos check out, troquei todos os equipamentos, fizemos nova comunicação visual e redecoramos a loja. Foi um feito extraordinário”, comenta Jad. 

E assim se fez. E, em um tempo recorde e impressionante de 45 dias, o Confiança Max estava de portas abertas, todo atualizado, para a alegria de toda a cidade.