Bauru e grande região

Economia & Negócios

Nova alta nos combustíveis irá atingir postos de Bauru

Aumento dos preços da gasolina e do diesel deve ocorrer nesta sexta-feira (8)

por Marcele Tonelli

08/09/2017 - 07h00

Fotos: Samantha Ciuffa
Posto com preços ainda em conta na avenida Nuno de Assis registrou grandes filas na última quarta-feira (6)
O motoboy Fabrício Lúcio da Silva ficará no prejuízo com o aumento: “Estamos pagando a conta da corrupção em Brasília”
Roque Martinelli aproveitou para encher o tanque antes dos aumentos nas bombas: “O consumidor nunca é beneficiado”

A onda de aumento nos postos de combustíveis não tem dado trégua aos consumidores. No início desta semana, a Petrobras anunciou a quarta alta consecutiva no preço da gasolina. Desta vez, o argumento é de que os preços internacionais subiram com os impactos do furacão Harvey nos Estados Unidos (EUA). O aumento de 3,3% na gasolina e de 0,1% no diesel, contudo, não havia sido repassado aos consumidores pela maioria dos postos de Bauru até esta quarta-feira. Os produtos eram vendidos a no máximo R$ 3,79 a gasolina e R$ 3,29 o diesel.

A expectativa, contudo, é de que o aumento seja repassado às bombas a partir de hoje, quando a maioria dos estabelecimentos é abastecida por caminhões. A informação foi confirmada por seis gerentes de pontos diferentes que conversaram com a reportagem. Mas o valor do possível reajuste não foi informado por eles.

"O aumento a partir do dia 5 foi nas refinarias e acredito que ainda não atingiu as distribuidoras, mas não teremos como escapar. Pode ser aplicado a partir de sexta (hoje)", reforça o vice-presidente regional do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sincopetro) de Bauru José Antônio Reghine. "Quase todos os dias há um anúncio de aumento e o consumo está cada vez pior, o pessoal está segurando o que pode", acrescenta Reghine, em tom crítico.

FURACÃO

A Petrobras explica que sua política de preços para diesel e gasolina leva em consideração, entre demais contextos, o alinhamento com os preços internacionais dessas commodities. Por isso, o furacão nos EUA afeta essa realidade.

Para Reghine, o argumento da alta em virtude do furacão nos EUA é o mais coerente desde que o ciclo de aumentos da gasolina teve início, no final de agosto.  "Não são aumentos lógicos, porque a inflação está baixa. O etanol mesmo baixou R$ 0,10 nesta semana, por causa de estoque alto".

ETANOL

O vice-presidente regional do Sincopetro acredita que, diferentemente de outras ocasiões, o preço do etanol, que era comercializado até quarta a, no máximo, R$2,49, não será afetado agora. "Não tem motivo para isso, mas não dá para confiar. Se as distribuidoras aumentarem, os postos terão que repassar", cita.

'VAI PREJUDICAR'

A alta nos preços prejudica diretamente pessoas como o motoboy Fabrício Lúcio da Silva, 28 anos, que trafega até 300 quilômetros por dia e terá sua margem de lucro engolida pelo aumento. "Não posso alterar o preço da corrida, senão perco trabalhos. Não é possível tanto aumento. Com certeza, estamos pagando a conta da corrupção em Brasília".

O aposentado Roque Martinelli, 64 anos, aproveitou para encher o tanque da caminhonete antes que o diesel suba. "A Petrobras tem lastro em dólar e, quando aumenta o consumo lá, reflete aqui. Porém, quando ocorre o contrário, o consumidor nunca é beneficiado", opina.

O aumento

Considerando todos os reajustes anteriores, a gasolina vendida pelas refinarias da Petrobras ficará 11% mais cara do que no fim de agosto, quando o ciclo de aumentos teve início. Já sobre o diesel, é o sexto aumento seguido, com alta acumulada de 8,9% no mesmo período.

O reajuste foi decidido pelos executivos que formam o Grupo Executivo de Mercado e Preços (Gemp). A nova política dá autonomia à área técnica para decidir por reajustes, desde que a variação acumulada em um mês não passe de 7% positivo ou negativo.

Etanol X gasolina: faça a conta!​

Como a variação de preços é grande nos estabelecimentos de Bauru, para saber se compensa abastecer com etanol ou gasolina é preciso fazer uma conta simples e rápida.

O consumidor deve dividir o preço do litro do álcool pelo valor da gasolina. Se o resultado for maior que 0,7, deve optar pelo segundo combustível. Se for inferior, é melhor ficar com o etanol.

Variação entre um estabelecimento e outro chegou R$ 0,44 nesta semana

Para o alívio dos consumidores, a forte concorrência entre os postos de combustíveis de Bauru repercute em grande variação de preços. Situação que já virou rotina na cidade e que faz com que muitos condutores da região optem por abastecer em Bauru.

Em rápida volta pela cidade, nessa quinta-feira (7), foi possível constatar variação de até R$ 0,44 na gasolina, que era comercializada a R$ 3,79 em um posto na Zona Sul e a R$ 3,35 em um posto na região do Jardim Bela Vista.

A mesma variação foi encontrada no etanol, que era comercializado a  R$ 2,49 no posto citado na Zona Sul e a R$ 2,05 no do Bela Vista.

Nestes mesmos estabelecimentos, o preço o diesel comum era vendido a R$ 3,29 e 2,84 respectivamente, uma variação de R$ 0,45 de um estabelecimento para o outro.

Samantha Ciuffa
Preços do etanol e da gasolina flutuam entre os postos e, por isso, é importante pesquisar bem