Bauru e grande região

Economia & Negócios

Bauru deve abrir cerca de 2,5 mil vagas temporárias até o final do ano

Contratações devem crescer 25% na comparação com o ano passado em supermercados, shoppings e comércio em geral, segundo a CDL

por Tisa Moraes e Thiago Navarro

17/10/2017 - 07h00

A retomada, ainda que lenta, do otimismo na economia deve levar os estabelecimentos comerciais de Bauru a aumentarem a contratação de funcionários temporários para o trabalho durante o final do ano. Segundo estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a expectativa é de que o aumento seja de 25% em relação ao ano passado, quando cerca de 2 mil profissionais foram recrutados.

Ao todo, o "exército" para reforçar o atendimento dos consumidores durante as compras de Natal e de Ano Novo deverá somar 2,5 mil pessoas em supermercados, shoppings e comércio em geral. Conforme Aldemiro José Alves, vice-presidente da CDL, o acréscimo decorre da maior confiança em relação à manutenção dos empregos, o que estimula os consumidores para as compras e, por consequência, os empresários a investir, de olho no crescimento das vendas.

A previsão é de acréscimo de 6% nas vendas em comparação ao final do ano passado, embora a maior parte dos empregos perdidos ao longo dos últimos anos ainda não tenha sido recuperada. "Mas, no Natal, ninguém deixa de consumir", analisa.

BOA CHANCE

Trata-se de uma boa perspectiva para quem está desempregado e pretende investir no trabalho temporário como uma oportunidade para se reinserir no mercado. Alves explica que as efetivações podem chegar a 30% em alguns segmentos, até em razão da necessidade de reposição de mão de obra com a melhora do cenário econômico esperada para 2018.

Ele conta que a seleção de currículos começou já no mês passado e que, em outubro, as contratações foram iniciadas para o treinamento dos profissionais. "A intenção é fazer com que, até dezembro, quando as vendas efetivamente crescem, os funcionários já estejam bem preparados", frisa.

DEMANDA

A expectativa é de que o recrutamento seja intensificado em novembro e, segundo Ivan Mouta, gerente geral do Bauru Shopping, muitas vagas foram abertas até mesmo para efetivos, justamente em razão da necessidade de restituição do quadro de funcionários após dois anos seguidos de queda no nível de emprego na cidade.

"De janeiro a setembro, registramos 9% de aumento nas vendas na comparação com o mesmo período do ano passado. E, para atender este crescimento de demanda, os lojistas estão se adequando", salienta, adiantando que, somente no empreendimento, cerca de 200 vagas temporárias deverão ser abertas, principalmente nos segmentos que operam com atendimento pessoal, como o de calçados, vestuário e cosméticos.

Até o momento, a grande demanda do varejo, conforme aponta a gestora de recursos humanos Melissa Ramos de uma agência de recrutamento de Bauru, é por atendentes.

Ela explica que, para ter chances de conquistar a vaga temporária, o trabalhador precisa, antes de tudo, ter disponibilidade para este tipo de emprego.

"Normalmente, as pessoas têm um pouco de receio, por não ser uma vaga efetiva, mas é preciso lembrar que todos os direitos trabalhistas, como hora extra e descanso semanal remunerado, estão garantidos, além de ser uma porta de entrada para a contratação fixa", pondera. Entre as características esperadas dos candidatos também está a disponibilidade de horário, a proatividade, a simpatia, a facilidade de comunicação e capacidade de adaptação e de trabalho em equipe.

Apas prevê o crescimento de 7,5% nas contratações para todo o Estado

O setor supermercadista é, tradicionalmente, um dos mais impactados pelo aquecimento do fim de ano. Para 2017, a Associação Paulista de Supermercados (Apas) prevê aumento de cerca de 7,5% no número de vagas em todo o Estado, em relação ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com dados da associação, em 2016, foram contratados 8.331 funcionários temporários, para os meses de novembro e dezembro. Para este ano, o número previsto é de 9 mil e, deste total, a expectativa é de que 20%, cerca de 1.800 pessoas, sejam contratadas de forma definitiva.

Já para o Brasil, a previsão é menor, contudo, também positiva: um crescimento de 4%. Em todo o País, em 2016, foram contratados 21.330 funcionários temporários, para os meses de novembro e dezembro. Já para este ano, o número estimado pela associação é de 22 mil e, deste total, a expectativa é de que 20%, cerca de 4.400 pessoas, sejam contratadas de forma definitiva.

VENDAS

A Apas prevê ainda que as vendas do setor supermercadista em novembro e dezembro de 2017, no Brasil e Estado de São Paulo, devem crescer 1,5% em relação ao ano anterior.

Otimista

Dainara Martins, de 21 anos, acredita que pode conquistar um emprego temporário nos próximos meses. Ela está desempregada há um ano e meio e tem enviado currículos. “Mandei para várias empresas, várias lojas, inclusive. Em algumas, cheguei a ser chamada para entrevista, mas não fui contratada. Agora, com o fim de ano, pode ser que consiga”, frisa a jovem, que mora no Núcleo José Regino, em Bauru. O comércio é um dos setores que contrata mais funcionários nos meses de novembro e dezembro para dar conta do aumento da demanda de consumo e, com isso, ela acredita que pode ter uma oportunidade. “Estou otimista”, conclui.