Bauru e grande região

Economia & Negócios

Brasileiro poderá ter conta em dólar

Banco Central pode abrir caminho para que pessoas físicas possam guardar dinheiro em moeda estrangeira no País

por FolhaPress

08/10/2019 - 06h00

Marcello Casal JrAgência Brasil

Banco Central elaborou a proposta encampada pela economia

Brasília - O governo enviou um projeto de lei à Câmara dos Deputados com objetivo de diminuir os custos das empresas e reduzir a burocracia relacionada a operações cambiais. O texto pode abrir caminho para pessoas físicas terem contas em moeda estrangeira no País.

Hoje, só segmentos específicos podem ter contas em moeda estrangeira no país, como agentes autorizados a operar em câmbio, emissores de cartões de crédito de uso internacional, sociedades seguradoras e prestadores de serviços turísticos. 

Com o projeto de lei, o Banco Central pode gradualmente expandir a possibilidade de pessoas físicas e jurídicas serem titulares dessas contas.

Mas, de acordo com os técnicos da autoridade monetária, a liberação ainda demandaria uma regulação específica. "No futuro, sob certas circunstâncias, pode ser liberado", afirma o diretor de regulação do BC, Otávio Damaso.

Damaso ainda diz que o principal objetivo do projeto é diminuir a burocracia e tornar mais moderno o arcabouço legal sobre o tema, hoje disperso em mais de 400 artigos.

MODERNIZAÇÃO CAMBIAL

"O primeiro objetivo é a modernização da regulação cambial, pois temos dispositivos com caráter de lei em vigor desde 1920", afirmou.

Entre os pontos do texto, está também a liberação para que fintechs atuem de forma independente no mercado de câmbio.

Hoje, essas empresas precisam estar associadas a instituições financeiras tradicionais (como bancos e corretoras) para operar no mercado. Isso, no entanto, também demandará regulamentação específica.

Para o BC, entre os maiores beneficiados com o projeto de lei estão os exportadores. O projeto libera empréstimos de recursos para subsidiárias no exterior ou ainda para terceiros fora do país. 

A previsão é de um corte significativo nos custos com as operações cambiais, embora não haja uma estimativa oficial do quanto seria a redução. 

ESTRANGEIROS

Bancos centrais estrangeiros também poderão abrir contas em reais no Brasil com o projeto. De acordo com os técnicos do BC, existia uma demanda dessas instituições para que elas possam abrir contas e aplicar em títulos brasileiros.

Cotação

O mercado de câmbio teve um dia mais tenso nesta segunda-feira, acompanhando o movimento de aversão ao risco no mercado internacional. Após cair na semana passada no ritmo mais forte desde janeiro, o dólar voltou a subir e fechou em R$ 4,1045, em alta de 1,19%, a maior variação porcentual desde 19 de setembro. O foco de tensão novamente foi a questão comercial entre Estados Unidos e China, a dias de o primeiro escalão das duas maiores economias do mundo se reunir em Washington, na quinta-feira. O noticiário doméstico não ajudou, com declarações de que a votação da Previdência pode atrasar ainda mais no Senado em meio à disputa pelos recursos da cessão onerosa.

Ler matéria completa