Bauru e grande região

Economia & Negócios

Petrobras vence megaleilão do pré-sal

Arrecadação foi 30% menor que a prevista e a petroleira brasileira se aliou a estatais chinesas e levou duas áreas

07/11/2019 - 06h00

Tânia Rêgo

Leilão dos excedentes da cessão onerosa do pré-sal, foi sucesso, disse Décio Oddone, da ANP

Rio de Janeiro - Sem concorrência e com lances mínimos, a Petrobras arrematou duas das quatro áreas oferecidas pelo governo no megaleilão do pré-sal nesta quarta (6). Na maior delas, teve parceria com as estatais chinesas CNOOC e CNODC.

As outras duas áreas não tiveram interessados, frustrando a previsão de arrecadação de R$ 106 bilhões com a oferta. Ao fim do leilão, o valor arrecadado ficou em R$ 69,9 bilhões. Ainda assim, o governo considerou o resultado um sucesso.

O consórcio formado por Petrobras e pelos chineses pagará R$ 68,2 bilhões pelo direito de explorar a área de Búzios, a maior descoberta de petróleo do país. As empresas ofereceram o lance mínimo de 23,24% em óleo para o governo.

Não houve lance por Sépia, a terceira área que foi oferecida, nem por Atapu, a quarta e última.

A Petrobras será responsável por quase todo o valor arrecadado. Os chineses, que têm 10% do consórcio vencedor em Búzios, contribuirão com R$ 6,8 bilhões.

MERCADO

Já no início do leilão, o mercado financeiro reagiu mal à preponderância da estatal e à ausência das grandes petroleiras privadas -das 14 inscritas, apenas 7 apareceram nesta quarta.

Localizada na Bacia de Santos, Búzios é considerada a maior descoberta brasileira de petróleo, com reservas que podem chegar a 13 bilhões de barris, quase o mesmo volume que o Brasil tem hoje em reservas provadas.

A área já tem quatro plataformas em operação e produziu, em setembro, 406 mil barris de petróleo por dia. Foi a segunda maior produtora do país, atrás apenas de Lula, também na Bacia de Santos.

"Foi um sucesso porque foi o maior leilão já arrecadado, com o maior bônus e principalmente porque foi capaz de destravar arrecadação e investimento", afirmou o diretor geral da ANP, Décio Oddone.

Com o resultado, Estados e municípios terão valor reduzido

A falta de interessados em duas áreas reduz os valores que o governo dividirá com estados e municípios. Dos cerca de R$ 70 bilhões, R$ 34,2 bilhões serão repassados à Petrobras como ressarcimento por mudanças no preço do petróleo após a assinatura do contrato de cessão onerosa.

A União ficará com R$ 23 bilhões, e estados e municípios dividirão, cada grupo, R$ 5,3 bilhões. Localizado em frente às reservas, o Rio terá R$ 1,1 bilhão.

O governo decidiu apoiar projeto de lei do senador José Serra (PSDB-SP) que acaba com o chamado polígono do pré-sal, área no litoral da região Sudeste que garante ao governo participação nos contratos de exploração e produção de petróleo e dá preferência à Petrobras na região.

A afirmação foi feita pela secretaria de Petróleo e Gás do MME (Ministério de Minas e Energia), Renata Isfer, após o megaleilão do pré-sal nesta quarta (6). Segundo ela, o apoio ao projeto é parte de um processo de revisão das regras do setor de petróleo. 

Dólar sobe

A cotação do dólar teve uma forte alta de 2,20% nesta quarta-feira (6) e foi a R$ 4,0810, maior valor desde 21 de outubro. A falta de estrangeiros interessados no megaleilão do pré-sal frustrou as expectativas do mercado de entrada de dólares no país, o que poderia fazer a moeda americana a se enfraquecer ante o real.

"A frustração com os leilões foi bem grande, pegou todo mundo de surpresa. Acreditávamos que o dólar iria para R$ 3,95 com a entrada dos estrangeiros", afirma Fernanda Consorte, economista-chefe do Banco Ourinvest. "A falta do estrangeiro no leilão de hoje mostra que eles não têm interesse em investir no Brasil"

Ler matéria completa