Bauru e grande região

Economia & Negócios

Dólar sobe 0,8% e fecha em valor inédito

A cotação chegou ao patamar inédito de R$ 4,322. Na máxima do dia, a moeda tocou os R$ 4,325, outro recorde

por FolhaPress

08/02/2020 - 06h00

Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

A divulgação de 225 mil vagas de emprego nos EUA em janeiro ajudou a valorizar o dólar

São Paulo - A disparada do dólar que começou no dia anterior, chegou, nesta sexta-feira (7) ao patamar inédito de R$ 4,322. Na máxima do dia, a moeda tocou os R$ 4,325, outro recorde.

O dólar turismo está a R$ 4,50, alta de 1,53%. Em casas de câmbio, o preço varia conforme a cidade. Na compra, a cotação está a partir de R$ 4,51. A cotação do cartão pré-pago está, em média, a R$ 4,75.

Na semana, a moeda americana acumula alta de 0,8%. No ano, a alta é de 7,6%, superando 2019, quando a moeda subiu 4%.

O movimento reflete a combinação do corte de juros no Brasil com a melhora da economia americana, o que fortalece o dólar ante o real, em meio ao temor de investidores com o efeito econômico do coronavírus.

Nesta sexta, foi divulgada a criação de 225 mil vagas de emprego nos Estados Unidos em janeiro, bem acima da estimativa da economistas que esperavam 165 mil novas vagas.

"A alta do dólar é um movimento global, totalmente externo. A economia americana está forte e, apesar da taxa de desemprego ter subido um pouquinho, os EUA continuam com pleno emprego" diz Cristiane Quartaroli, economista Ourinvest.

O desemprego nos Estados Unidos subiu de 3,5% em dezembro para 3,6% em janeiro, ainda no menor nível desde 1969.

INFLAÇÃO

O recorde do dólar, porém, é nominal. Em termos reais (corrigidos pela inflação), a moeda americana ainda está longe de sua máxima de 2002. Se for considerado apenas o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), calculado pelo IBGE, o pico de R$ 4 naquele ano, equivale a cerca de R$ 10,80 hoje. Caso também seja levada em conta a inflação americana, o valor corrigido seria cerca de R$ 7,50.

Enquanto a economia americana acelera, a inflação brasileira registrou a menor variação para janeiro desde o início do Plano Real, em julho de 1994. Segundo dados do IBGE divulgados nesta sexta, a inflação de janeiro registrou alta de 0,21%, abaixo da expectativa do mercado.

Ler matéria completa