Bauru e grande região

 
Economia & Negócios

Dólar passa a subir de olho em Powell e atento a cena política

por Reuters

19/05/2020 - 12h17

Guadalupe Pardo/Reuters

Dólar

O dólar passava a subir contra o real nesta terça-feira, em sessão volátil marcada por discurso do chairman do Federal Reserve.

Às 12:10, o dólar avançava 0,60%, a 5,7569 reais na venda, enquanto o contrato mais líquido de dólar futuro tinha alta de 0,65%, a 5,7630 reais.

Mais cedo, nos primeiros minutos do pregão, o dólar havia caído a 5,683 reais, baixa de 0,69%, na mínima do dia, pressionado pelo apetite por risco global em meio a esperanças de recuperação econômica e sinais promissores de testes de uma possível vacina contra o Covid-19.

Esse mesmo cenário otimista levou o dólar spot a fechar em queda de 2%, a 5,7224 reais na venda na segunda-feira, perda mais forte desde 29 de abril.

No entanto, "ainda há preocupação com uma segunda onda de contágio da doença em países que estão em processo de abertura da economia", disse em nota a XP Investimentos. Por isso, a fala do presidente do Fed, Jerome Powell, atrai as atenções do mercado nesta sessão, completou a XP.

O chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, e o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, falam neste momento ao Comitê Bancário do Senado norte-americano. As declarações que Powell já haviam sido divulgadas na véspera.

O dólar no Brasil não acompanhava o movimento de pares arriscados no exterior, uma vez que dólar australiano, peso mexicano, lira turca e rand sul-africano registravam ganhos contra a moeda norte-americana.

Enquanto isso, investidores seguem atentos à trama política local, à espera da decisão de Celso de Mello, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), sobre o levantamento de sigilo de vídeo que poderia comprometer o presidente Jair Bolsonaro.

Denilson Alencastro, economista-chefe da Geral Asset, disse à Reuters que "os riscos político e econômico trazem volatilidade".

"Não conseguimos traçar uma tendência clara para a moeda", uma vez que o noticiário e o apetite por risco global oscila a cada dia, completou, dizendo que vê pressão de alta no dólar no curto prazo.

O Banco Central anunciou para esta terça-feira leilão de até 12 mil contratos de swap tradicional com vencimento em setembro de 2020 e fevereiro de 2021, em que vendeu todo o lote ofertado.

O mercado acompanhava ainda o desdobramento de projeto de lei do governo de São Paulo que autoriza antecipar feriados no Estado como medida de desacelerar o contágio do Covid-19 preocupava investidores, segundo comentários de agentes dos mercados.

Perguntado sobre se a bolsa de valores poderá funcionar nos dias de feriado antecipado, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) disse, em entrevista à CNN Brasil, que "qualquer atividade que está liberada, decretada como essencial, pode funcionar, desde que pague o seu funcionário com isso". "Não é lockdown, é feriado municipal", completou.

Instituições financeiras brasileiras, entre elas os maiores bancos do país e a B3, afirmaram que receberam com "grande preocupação" o projeto de lei e pediram em carta que os órgãos integrantes do sistema financeiro nacional fiquem fora dos efeitos da antecipação dos feriados.

Ler matéria completa